Próximo Jogo


04.10 vs 20h15

quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Um Leão na baliza, cordeirinhos na defesa e lobos nas alas


Derrota previsível, mas por números "decentes", graças ao super-guarda-redes Rui Patrício. Mais do que nunca, foram expostas as debilidades defensivas do Sporting CP, ainda que ofensivamente tenham conseguido criar alguns desequilíbrios, fruto sobretudo da qualidade individual de Nani e André Carrillo.

Como já era esperado, Marco Silva não mudou uma vírgula na sua estratégia. Com isso, e para os adeptos mais atentos, verificaram-se os pouco surpreendentes desequilíbrios defensivos. Nas imagens abaixo, é possível ver uma análise mais detalhada aos 15 minutos iniciais:







Adrien Silva e as coberturas: começa a ser irritante ver um médio do duplo pivot defensivo sempre à frente da linha da bola. E esse médio é sempre o mesmo. Defender bem não é correr muito. Defender bem é estar no sítio certo no tempo certo. Defender bem é o que William Carvalho, João Mário e André Martins fazem. É saber que quando um dos médios sai na contenção o outro baixa para a cobertura. É saber ajustar em função do posicionamento dos colegas. Defender bem é o oposto do que Adrien Silva faz.





Podia realizar este tipo de análise para todo o jogo, mas penso que não vale a pena, dado que estas 10 imagens - principalmente as que mostram o Sporting CP em organização defensiva - são uma amostra representativa do que se passou durante os 90 minutos em termos defensivos.

Maurício esteve simplesmente horrível em tudo o que diz respeito ao posicionamento defensivo. Com ele em campo é demasiado fácil para o adversário abrir buracos na linha defensiva do Sporting CP. O seu companheiro comete o mesmo tipo de erros mas Maurício consegue exagerar no número de lances em que se encontra fora do lance. Na 2ª-parte mais do mesmo:


Relativamente aos comportamentos colectivos, continua a não existir reacção para controlar a profundidade, seja dos centrais, seja dos laterais. Graças a Deus que temos um guarda-redes tão forte no 1x0.

Ofensivamente, e falando já de um modo mais geral e não só nos 15 minutos assinalados na imagens, é impossível não referir mais uma vez a qualidade que Nani oferece à organização ofensiva do Sporting CP. Mostrando novamente as duas imagens acima analisadas, é fácil demonstrar a inteligencia e qualidade técnica que Nani oferece.



Mesmo sem ter tido muito caudal ofensivo, o Sporting CP dispôs de lances de grande potencial mas que, por culpa de más decisões dos seus executantes, resultaram em lances sem qualquer perigo.




Três jogadas que podiam ter resultado em lances de grande perigo, não resultaram em nada. Se em Nani este tipo de decisões não são habituais, em Adrien Silva já estamos habituados a vê-las.

Quanto aos destaques individuais, e referindo me apenas aos quais não analisei nas imagens apresentadas:
  • Rui Patrício
    Mais do que palavras, uma imagem:
  • William Carvalho
    Apesar de não considerar que tenha feito um mau jogo, teve lances pouco habituais nele. Demorou a soltar a bola em alguns lances e deu-se mal com a pressão dos jogadores do Chelsea FC.

  • João Mário
    O melhor do trio de meio campo. Se em posse já lhe são reconhecidas todas as qualidades que apresenta, sem bola começa a mostrar, mesmo aos menos atentos, o tipo de jogador que é. Defende muito mas muito melhor que Adrien Silva.
  • André Carrillo
    Nem sempre decidiu bem, mas a sua velocidade e qualidade técnica foram fundamentais para o Sporting CP conseguir desequilibrar o adversário.
  • Islam Slimani
    Já cansa fazer este tipo de análise, mas enquanto jogar será quase sempre esta: mau tecnicamente e com más decisões, foi um a menos no ataque leonino.
Em suma, foi uma exibição dentro do que já se esperava. Grande atitude e entrega mas, no que realmente importa, as fragilidades do costume: muito má a organização defensiva, se é que se pode chamar organização; ofensivamente, e tendo em conta a valia defensiva do adversário, não posso deixar de estar satisfeito com o que foi feito, ainda que considere que podia ter sido feito muito mais, e para tal bastava que em alguns lances a tomada de decisão fosse outra.

Equipa B: Leões somam 5º jogo sem vencer e 2º consecutivo sem marcar, em novo empate

A formação de Francisco Barão não foi além de um empate a zero em Tondela, em jogo da Jornada 9 da Segunda Liga.

Os leões prometeram ao início com um remate de Salim Cissé à barra, com três minutos decorridos. Num jogo tremendamente equilibrado e bem disputado, qualquer uma das equipas dispôs de boas oportunidades. No entanto, e apesar de algumas situações de perigo, principalmente no segundo tempo, o resultado manteve-se sem alteração, tendo sido o segundo empate da época para o Clube de Alvalade.

Tobias Figueiredo viu ser-lhe mostrado o 5º amarelo da temporada, pelo que estará supenso para o próximo jogo.

Na próxima jornada, agendada para as 16h do próximo dia 5,  Domingo, os leões recebem a formação do CD Trofense.

terça-feira, 30 de Setembro de 2014

De São Patrício a São Mateu: Leão perde em casa, ante Chelsea (0-1) numa exibição de garra, a dignificar a camisola

Árbitro
Antonio Mateu Lahoz (Espanha)

Assistência
40 734

Média de Espectadores em Alvalade
37 867

Titulares: Rui Patrício (cap.); Cédric Soares, Maurício, Naby Sarr e Jonathan Silva; William Carvalho, Adrien Silva e João Mário; André Carrillo, Nani e Islam Slimani.
Suplentes: Marcelo Boeck; Jefferson e Paulo Oliveira; Oriol Rosell e André Martins; Diego Capel; Fredy Montero.
Treinador: Marco Silva.

Golos:
  • 34' - Golo de Nemanja Matić (0-1). Livre cobrado por Cesc Fàbregas para o segundo poste, onde Nemanja Matić surge a cabecear, fazendo-a sobrevoar Rui Patrício e entrar para o fundo das redes.
Substituições:
  • 64' - Entra Paulo Oliveira, sai Maurício (por lesão). 
  • 81' - Entram Diego Capel e Fredy Montero, sai André Carrillo e Adrien Silva.
Disciplina:
  • 6' - Falta dura sobre Cédric Soares. O árbitro manda seguir...
  • 10' - Falta de Cédric Soares sobre Eden Hazard, não sancionada.
  • 25' - Cartão amarelo para William Carvalho. Por falta sobre Eden Hazard. É o primeiro na competição, e o 2º no total das competições.
  • 29' - Pé em riste de André Schürrle sobre Adrien Silva. Não sancionado.
  • 31' - Falta de André Schürrle, por trás, sobre Jonathan Silva. Marcada, mas sem a mostragem do devido cartão amarelo.
  • 32' - Nova falta do alemão, desta feita sobre João Mário. Novamente, sem cartão. 
  • 41' - André Schürrle pontapeia a bola, já depois de ter sido apitado offside ao alemão. O cartão amarelo ao lemão continua no bolso.
  • 42' - Após remate de Adrien Silva, Gary Cahill corta a bola com o braço. Livre perigoso, à entrada da área, por assinalar.
  • 43' - Cartão amarelo para João Mário. Por protestos, na sequência do lance anterior. É o primeiro cartão amarelo do médio português esta época.
  • 52' - Falta de Filipe Luís sobre Nani. Não sancionada. Dava um livre perigosíssimo e cartão amarelo para o lateral brasileiro. O árbitro espanhol está a ser claramente tendencioso a favor dos ingleses.
  • 58' - Falta de Branislav Ivanovic sobre André Carrillo, que lhe vale cartão amarelo. No limite poderia ser cartão vermelho directo, visto que André Carrillo ficaria isolado frente a Thibaut Courtois.
  • 63' - Cartão amarelo para Maurício. Por falta dura sobre Diego Costa, a travar contra-ataque dos londrinos. É o 2º cartão amarelo do central brasileiro na competição, o 4º no total das competições.
  • 67' - Grande penalidade por assinalar, por falta de Cesc Fàbregas sobre André Carrillo. O árbitro espanhol está em grande.
  • 74' - Entrada dura de Cédric Soares sobre Eden Hazard, a valer-lhe o cartão amarelo. É o 1º cartão amarelo do lateral na competição, o 2º no total das competições.

Youth League: Juniores leoninos goleados em Alcochete

A contar para a Jornada 2 da Fase de Grupos da UEFA Youth League, a equipa de Juniores do Sporting CP recebeu o Chelsea FC em Alcochete num jogo para esquecer. Tudo correu mal à equipa leonina, que realizou uma exibição aquém das expectativas e acabou derrotada por 0-5.

Decorria ainda o 2º minuto quando Pedro Silva, guarda-redes do Sporting CP, comete penalty após uma recepção mal feita. Colkett aproveitou a oferta e fez o .º golo no jogo, num início que não poderia ser pior para o Sporting CP. Menos de cinco minutos volvidos e Musonda (7') atirou de fora da área para o 0-2. O Sporting CP tardava em encontrar-se no jogo e iam-se sucedendo os passes e decisões erradas. A equipa inglesa não se importou e foi marcando: Abraham (25') encostou para a baliza após jogada pela esquerda e Solanke (27') fez o mesmo após entrada pela direita. Mais 2 minutos absolutamente terríveis da equipa do Sporting CP, que foi para o intervalo já derrotada com quatro golos de desvantagem.

Poderia pensar-se que o intervalo teria feito bem aos jogadores e que estes entrariam em jogo de outra forma, mas nada mais errado: jogada pela esquerda e Abraham bisa no encontro no 1º minuto da 2ª-parte. O pesadelo continuava. Até final, o jogo continuou a pender para o lado inglês, que até poderia ter dilatado a vantagem, mas o resultado não se alterou. O Sporting CP fica assim na 3ª posição do grupo, com 3 pontos em dois jogos disputados.

Na próxima jornada da UEFA Youth League, os leões deslocam-se à Alemanha, para defrontar o FC Schalke 04, em jogo agendado para o próximo dia 21 de Outubro, pelas 13h. No próximo fim-de-semana, o Sporting CP recebe a formação do Casa Pia AC, Sábado, dia 4, pelas 11h, em jogo relativo à Jornada 9 da 1ª Fase (Zona Sul) do Campeonato Nacional de Juniores.


segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Salvé, Godinho!

Como ponto prévio, importa referir que toda a gente tem o livre direito a defender-se, quando assim o ache necessário.

Luiz Godinho Lopes voltou a fazê-lo, quebrando (novamente) o pacto de silêncio que diz cumprir, respondendo assim a Comunicado Oficial do Sporting Clube de Portugal, relativamente à normativa do Fair-Play Financeiro, pela qual o Clube está (de novo) debaixo do escrutínio da UEFA.

Como já por mim escrito anteriormente (consultar "A Grande Herança"), e sobejamente avisado pelos Relatórios & Contas em causa, era notório que a UEFA iria abrir nova investigação às contas do Sporting Clube de Portugal, visto resultados negativos de exploração de 45.9M € e 43.8M € em 2011/2012 e 2012/13, respectivamente, ascendendo a um acumulado negativo de 89.7 M € nesses dois exercícios.

Posto isto, é igualmente claro, por factual, que as duas épocas em causa dizem respeito à vigência do mandato da presidência do infame Eng.º Luiz Godinho Lopes, como é igualmente facto que o Comunicado Oficial do Clube não diz mais que isto, ou seja, a mera constatação do óbvio.

Pois eis que o Eng.º, cujo historial enquanto dirigente do Sporting Clube de Portugal soma asneiras em catadupa - desde a construção do Complexo Alvalade XXI até aos 2 anos de mandato enquanto Presidente do Clube - achou premente quebrar o tal "pacto de silêncio", por uma mera constatação dos factos, a que até os mais leigos anuirão. Sem nunca se debruçar sobre o assunto em questão, nem sequer superficialmente, Luiz Godinho Lopes envereda por um conjunto de ataques pessoais a Bruno de Carvalho, a meu ver completamente fora de qualquer contexto, injustificados e que em nada dignificam a imagem do Eng.º, já de si estilhaçada em mil pedaços, mesmo perante quem mais o defendia, e até perante quem ainda hoje insiste em fechar os olhos, como se ao fazê-lo as coisas deixem de ser facto.

Godinho Lopes diz que "o actual Presidente confunde o Clube com ele próprio e, por isso, veio tratar a questão do fair-play financeiro, não como um assunto do Sporting, mas como mais um suposto trunfo na sua campanha de narcisismo e valorização pessoal à custa do Sporting e mesmo contra o Sporting.".

Porém - e porque GL continua sem tomar o comprimidozinho de Memofante, apesar dos meus conselhos - não foi Bruno de Carvalho que disse parvoíces como «sinto que se não tivesse vindo para cá, se não tivesse a equipa que tenho, se não tivesse feito o investimento que fiz, o Sporting tinha acabado» ou que «comprei 25 jogadores, alimentei os outros todos, por isso tenho a intenção de continuar com o mesmo tipo de atitude até sair. Se tiver de vender quem comprei ou se tiver de vender quem alimentei, qual é o problema?». A memória é, muitas vezes, traiçoeira, não é? Não só tal afirmação de Godinho Lopes é mentirosa, como afinal é (ou foi) ele quem se confunde (ou confundiu) com o próprio Clube, considerando os jogadores adquiridos no mandato dele como seus - e não do Clube.

Quanto à cultura narcisista de Bruno de Carvalho, devo dizer que concordo. É notório que BdC cultiva, com muito afinco e gosto, a sua própria imagem. Exageradamente, no meu entender. Por vezes, mais importante que calar é saber calar, sendo certo que esta máxima assenta que nem uma luva tanto o Godinho Lopes como a Bruno de Carvalho.

Mas esta não foi a única alarvidade cometida pelo digníssimo Eng.º Luiz Godinho Lopes. Este diz qualquer coisa como que «o objectivo de denegrir os que o antecederam à frente dos destinos do Clube e o sublinhar do pesado legado herdado, levam o presidente do Sporting a admitir publicamente que o Clube se encontra em violação das regras de fair-play financeiro da UEFA. A fiscalização da UEFA é recorrente e normal. E a recuperação dos rácicos financeiros previstos e concretizados são a única resposta explicativa que deve ser dada».

Entende-se, portanto, destas palavras que i) Bruno de Carvalho e a sua Direcção não deviam admitir a culpa de algo que, além de ser público (basta ler os Relatórios & Contas), corresponde à verdade dos factos e que, subsequentemente, ii) BdC e a actual Direcção deveriam mentir à UEFA, além de não admitir a culpa do supracitado, segundo as directrizes de Luiz Godinho Lopes.

O digníssimo Eng.º, quiçá por ilacção tirada do episódio dos paquetes, não sabe - ou não concebe - que a verdade dos números seja, per se, incriminatória e que a admissão ou não-admissão dessa verdade dos números, per se, não constitui prova de coisa alguma. Apesar de se perguntar, ele mesmo, se 
«não deveria impor-se só a explicação da verdade dos números e a defesa do Sporting?». A explicação a que Luiz Godinho Lopes sempre se esquivou, apraz-me sublinhar...

A hipotética punição do Sporting Clube de Portugal, relativamente à violação das normativas do fair-play financeiro da UEFA (que, repito, não acredito vir a acontecer, nem o desejo), não depende única e exclusivamente da explicação do Clube em relação ao factual das contas mas, antes, da forma como o Clube demonstrar, por A + B, que o problema em questão está sanado ou, pelo menos, controlado. Aliás, coisa que Luiz Godinho Lopes nunca iria conseguir fazer, por impossibilidade patológica, pois demonstrações financeiras não se fazem por tópicos nem folhas de cálculo baseadas em nada mais que wishful thinking - e a imagem que introduz este post é disso elucidativo.

O "narcisismo patológico" que o digníssimo Eng.º insiste em diagnosticar a outrém, com certeza sustentado num qualquer mestrado em medicina geral, esbarra na aparente ausência de espelhos em casa do próprio, e na incapacidade patológica de se olhar ao espelho e compreender que o reflexo que vê não é mais que a imagem que o próprio quer passar, e que não demonstra, nem de perto, a (in)capacidade da pessoa. E não é o simples vestir de um blazer bege que, subitamente, lhe empresta a credibilidade que nunca teve nem nunca transpareceu.

Acabo o post como comecei, com um "Salvé, Godinho!", na certeza de que o digníssimo Eng.º já esgotou todo o seu vazio argumentário.

Notas:
Observação:
  • sal·ve |sálvè|
    interjeição
    Expressão designativa de saudação, de cumprimento. (Equivale a Deus te salve ou Deus vos salve.) "salve"

domingo, 28 de Setembro de 2014

Leão mas não a tempo inteiro


Os melhores 45 minutos da época não bastaram para conquistar os 3 pontos que permitiam ultrapassar o FC Porto na tabela classificativa. Se ao intervalo o placard marcasse 3-0 ninguém punha em causa a sua justiça, mas a 2ª-parte trouxe um Sporting CP menos perigoso e um FC Porto mais capaz de criar mais situações de finalização. 

Os primeiros 45 minutos mostraram um Sporting CP muito bom em todos os momentos. Defensivamente, de realçar a reação à perda de bola que, sendo muito agressiva, permitiu ao Sporting CP dificultar muito a posse de bola do FC Porto. Em organização defensiva, o tipo de pressão que garante melhor ocupação do espaço. Islam Slimani e João Mário com obrigação de pressionar os dois centrais, Adrien Silva a "pegar" no médio do FC Porto que baixava para vir buscar jogo e os dois extremos (Nani e André Carrillo) a fechar o espaço interior.

Na 1ª-parte foi também notório o espaço que o Sporting CP deu entre a sua "linha" defensiva e a "linha" do meio campo, apesar do FC Porto não ter tido qualidade para o aproveitar, devido ao seu trio de meio campo. 

Passando para a organização/transição ofensiva, não se pode apontar nada a este Sporting CP, na 1ª-parte. Combinações laterais, ações individuais que desequilibram muito e jogo interior, houve de tudo nos primeiros 45 minutos. Fosse outra a eficácia e o jogo estava resolvido ao intervalo. 

Muito se pediu o ano passado por um extremo capaz de ocupar zonas interiores, e está à vista de todos a qualidade que isso traz ao futebol do Sporting CP. A maneira como os movimentos interiores de Nani criam desiquilíbrios na organização defensiva do adversário é algo deliciante e ontem voltou a sê-lo. 

Muito se criticam os cruzamentos sem critério, e ontem foi visível a importância que os cruzamentos com critério e inteligência trazem ao futebol do Sporting  CP.  Em baixo, dois exemplos de dois lances de muito perigo através de cruzamentos: 



A 2ª-parte foi bastante diferente da primeira, para pior, no que toca ao Sporting CP. Deixámos de pressionar a 1ª fase de construção do adversário, e o espaço de que falei na 1ª-parte (entre linhas) foi melhor aproveitado pelo FC Porto

Se o Sporting CP apresentasse uma linha defensiva e uma linha de meio campo compactas, podia ter sido uma boa estratégia baixar um pouco para depois aproveitar as transições mas, sabendo as dificuldades defensivas que temos, não me parece ter sido uma boa solução deixar o adversário ter tanta bola, ainda que uma elevada percentagem dela tenha sido em zonas recuadas. Em baixo, alguns lances em que foram postas a nu as debilidades defensivas do Sporting CP:  




Quanto aos destaques individuais nada de surpreendente.
  • Rui Patrício
    Muita segurança sempre que foi chamado a intervir e duas defesas de grande qualidade. Mais um jogo para calar os poucos "cegos" que o acham mau guarda-redes.
  • Cédric Soares/Jonathan Silva
    Defensivamente, não me parece que se tenham diferenciado muito um do outro embora considere que Jonathan Silva esteve uns furos acima. Ambos bem nos duelos, embora na 2ª-parte Cristian Tello lhes tenha colocado alguns dificuldades. Ofensivamente, Cédric Soares voltou a mostrar o seu pouco critério em posse, comparando por exemplo com Ricardo Esgaio.
  • Mauricio/Naby Sarr
    Não vale a pena abordar muito a exibição individual dos dois centrais. Fortes nos duelos  principalmente pelo ar, péssimos em tudo o resto.
  • William Carvalho/Adrien Silva/João Mário
    Exibições completamente diferentes. William Carvalho muito mais perto do nível a que nos habituou, muita calma e classe a sair da pressão e com a qualidade de passe habitual, ainda que tenha tido algumas perdas de bola evitáveis. Defensivamente, é ele que tem o trabalho quase todo. Adrien Silva, corre muito, mas corre poucas vezes para o sítio certo. Defensivamente, são mais as vezes que está fora da posição onde devia estar do que as vezes que está bem posicionado. Ofensivamente, pouco acrescentou. Por último, João Mário. 1ª-parte de bom nível, com muita qualidade nas suas ações. Importante a ocupar o espaço entre linhas no meio campo do FC Porto, na 2ª-parte foi desaparecendo mais do jogo, fruto da estratégia do Sporting CP.
  • Nani/André Carrillo
    As duas melhores exibições do Sporting CP.  Muito fortes tecnicamente, fizeram o que quiserem dos laterais do FC Porto, principalmente nos primeiros 45 minutos. Nani como referido acima foi fundamental na criação pelo corredor central. André Carrillo foi mais influente em zonas laterais. Muito mas muito superiores a Diego Capel.
  • Islam Slimani
    Corre muito, luta muito mas no que importa é banal. A falta de técnica faz com que estrague muitos lances. Difícil de perceber a insistência no argelino, com o tipo de futebol que o Sporting CP está e quer continuar a praticar. 
Em suma, foi um jogo muito distinto da primeira para a 2ª-parte, mas que mostrou um Sporting CP capaz de de disputar o jogo de igual para igual com outro dos candidatos ao título. Com 6 jornadas já disputadas e apenas duas vitórias, s próximos jogos só podem ter um resultado: a vitoria.

E vocês sportinguistas, o que acharam da nossa exibição e quais foram na vossa opinião os destaques? SL

Modalidades: Futsal leonino assina remontada frente ao Burinhosa | Andebol leonino continua senda vitoriosa | Futsal Feminino volta a golear

  • Futsal (Liga Sport Zone Futsal - Fase Regular
O recém-promovido à Liga Sport Zone Futsal, CCRD Burinhosa, deslocou-se a Odivelas para defrontar o Sporting CP, Bicampeão Nacional, na intenção de disputar e ganhar o jogo.

E esta intenção ameaçou passar a realidade durante toda a 1ª-parte: o CCRD Burinhosa colocou-se em vantagem no decorrer do 3º minuto e mesmo após o Sporting CP empatar através de Alex, foi a equipa de Alcobaça a distanciar-se no marcador com golos de Cintra – num livre directo a castigar a 6ª falta leonina – e Nino, de contra-ataque. O Sporting CP apanhava-se assim a perder por 1-3 e só um grande aumento de ritmo, tanto no campo como no apoio na bancada, fez com que a equipa conseguisse reagir – primeiro num livre ensaiado, que deu golo de Pedro Cary, e depois num remate potente de Diogo. O resultado era de 3-3 ao intervalo depois de uma grande primeira-parte!

A 2ª metade trouxe muito mais Sporting CP e, consequentemente, menos CCRD Burinhosa. A 12 minutos do fim, Fábio Lima isola-se e sofre falta do guarda-redes adversário, João Vala, que é expulso do jogo. A jogar contra quatro, a equipa leonina fez uma troca rápida de bola, aproveitou os espaços e chegou pela primeira vez à vantagem. A partir daí foi mais fácil para o Sporting CP, que foi controlando o jogo e marcando golos: Cássio fez o 6º e fechou depois a contagem em 7-3. Com este resultado o Sporting CP está no 1.º lugar da Liga Sport Zone Futsal, com 3 vitórias, 16 golos marcados e 5 sofridos em 3 jogos

Na próxima jornada, agendada para o próximo fim-de-semana, os leões deslocam-se ao reduto do Boavista FC.

  • Andebol (Campeonato Nacional - Fase Regular)
O Sporting CP somou hoje a terceira vitória no Campeonato Fidelidade Andebol 1, após vitória por 24-34 frente ao NAAL Passos Manuel, em jogo a contar para a Jornada 3 do escalão máximo do andebol português.

Os leões não tiverem um bom início de partida e, nos primeiros minutos, perdiam por 5-3, com o NAAL Passos Manuel a chegar à vantagem com menos um jogador em campo. Os comandados de Frederico Santos foram subindo de rendimento com o andar do relógio e equilibraram o rumo do encontro, virando o resultado para 5-6, à passagem do minuto 11. Até final da primeira-parte, a partida foi bem disputada, com o marcador a espelhar o equilíbrio observável em campo e a chegar ao intervalo com 14-16 a favor dos leões.

A segunda-parte trouxe um Sporting CP demolidor, capaz de defender com segurança e atacar com eficácia. Tendo Pedro Portela como principal marcador de serviço – o ponta direito foi o mais goleador do encontro, com 12 tentos – os verde-e-brancos dilataram facilmente a vantagem e atingiram o parcial de 18-26, a meio do segundo tempo. Rui Correia, que entrou para o lugar de Ricardo Candeias aos seis minutos de jogo, esteve em grande plano e permitiu ao Sporting CP aumentar a diferença no marcador, que, no final dos 60 minutos, registava a vitória dos leões por dez golos de vantagem.

A próxima jornada está agendada para o próximo dia 4 de Outubro, Sábado, pelas 17h, na recepção ao CF "Os Belenenses".

Classificação & resultados aqui.
  • Futsal Feminino (Campeonato Distrital - AF Lisboa - Divisão de Honra)
A equipa de Seniores Femininos de Futsal do Sporting CP teve uma estreia em grande na condição de visitada, esmagando o Sport Ereira e Benfica por 11-1 na Jornada 2 da Divisão de Honra do Campeonato Distritalde Lisboa.

Com este triunfo, e depois de ter somado os três pontos na Jornada 1 frente ao UA Povoense, a formação leonina ocupa o 1º lugar da classificação, beneficiando de um saldo positivo de 14 golos em apenas dois encontros.

A próxima jornada está agendada para o próximo dia 4 de Outubro, Sábado, pelas 17h, na deslocação ao reduto do CHE Nova Morada.

Classificação & resultados aqui.

Formação: Juniores leoninos derrotam Beira-Mar de Almada | Iniciados leoninos vencem em Belém

  • Juniores (Campeonato Nacional - 1 ª Fase - Zona Sul)
A equipa de Juniores do Sporting CP recebeu e venceu hoje o Beira-Mar AC de Almada por 2-1, em jogo a contar para a Jornada 19 do Campeonato Nacional – Zona Sul. Recorde-se que ambos os Clubes acordaram trocar a ordem dos encontros na primeira volta.

O Sporting CP entrou melhor e chegou com relativa facilidade ao primeiro golo, logo aos dez minutos, por intermédio de Arilton Ebó, num remate forte à entrada da área. Até ao intervalo, o mesmo Arilton Ebó ainda atirou uma bola com estrondo à trave (32’) entre muitas oportunidades para a equipa leonina aumentar a vantagem.

Na segunda-parte, Luís Elói fez o 2-0 aos 48 minutos, após assistência de Arilton Ebó. O Sporting CP manteve sempre o domínio do encontro mas sem a mesma intensidade do primeiro tempo. Ainda assim, o melhor que o Beira-Mar AC de Almada conseguiu foi reduzir a desvantagem por intermédio de Ricardo Santos (72’), que não falhou em frente a Pedro Silva na única oportunidade criada ao longo de toda a partida.

Com este triunfo, o Sporting CP, que fez muitas alterações na equipa inicial, soma 18 pontos em oito encontros, fruto de seis vitórias e duas derrotas.

Na próxima jornada do Campeonato Nacional,  agendada para o próximo fim-de-semana, os leões recebem a formação do Casa Pia AC. Antes, na próxima Terça-feira, 30 de Setembro, pelas 15h, os Juniores leoninos recebem a formação do Chelsea FC, em jogo a contar para a Jornada 2 da UEFA Youth League.

Classificação & resultados aqui.
  • Iniciados (Campeonato Nacional - 1ª Fase - Série F)
A equipa de Iniciados do Sporting CP foi ao Estádio do Restelo bater o CF "Os Belenenses" por 0-2, num jogo a contar para a Jornada 5 da 1ª Fase (Série F) do Campeonato Nacional de Iniciados.

Num jogo difícil, a equipa leonina entrou bem, mas teve de adaptar o seu jogo às características do campo, optando por um jogo mais directo. Esta alteração acabou por dar frutos, com um golo de belo efeito marcado por Bernardo Prego à passagem do 26 minutos, resultado que se verificou ao intervalo.

Na segunda-parte o jogo alterou-se, muito por causa da entrada da equipa da casa, que se apresentou mais aguerrida e agressiva. O jogo acabou por se definir pela grande luta pela bola mas mesmo assim, o Sporting CP conseguiu marcar o segundo golo, por Tiago Rodrigues.

Na próxima jornada, agendada para o próximo dia 5 de Outubro, Domingo, pelas 11h, os leões recebem a formação do Real SC de Massamá.

Classificação & resultados aqui.

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

Clássico de Alvalade dá mais um empate (1-1): Leões brilharam na 1ª-Parte mas eclipsaram-se depois do Intervalo

Árbitro
Olegário Benquerença

Assistência
37 999

Média de Espectadores em Alvalade
36 911

Titulares: Rui Patrício (cap.); Cédric Soares, Maurício, Naby Sarr e Jonathan Silva; William Carvalho, Adrien Silva e João Mário, André Carrillo, Nani e Islam Slimani.
Suplentes: Marcelo Boeck; Paulo Oliveira; Oriol Rosell e André Martins; Carlos Mané e Diego Capel; Fredy Montero.
Fora da Ficha de Jogo: Jefferson, Ricardo Esgaio e Junya Tanaka.
Treinador: Marco Silva.

Golos:
  • 2' - GOLO de Jonathan Silva (1-0). Grande jogada de Nani, que recupera a bola e abre bem para a direita. André Carrillo consegue cruzar para Jonathan Silva, que na área tem espaço para facturar, de cabeça. Alex Sandro apanhado de surpresa do lado esquerdo da defesa do FC Porto. Primeiro golo do lateral argentino com a camisola verde-e-branca.
  • 56' - Auto-golo de Naby Sarr (1-1). Danilo cruza, da direita do ataque azul-e-branco, e Naby Sarr desvia a bola para dentro da baliza de Rui Patrício, ao tentar cortar.
Substituições:
  • 65' - Entra Diego Capel, sai André Carrillo
  • 78' - Entram Carlos Mané e Fredy Montero, saem Adrien Silva e Islam Slimani.
Disciplina:
  • 11' - Cartão amarelo para Islam Slimani. O argelino fez falta sobre Martins Indi, este respondeu e o argelino empurrou o holandês. No limite, o argelino podia ter visto o cartão vermelho directo. É o 2º cartão amarelo do argelino no campeonato.
  • 14' - Maurício empurra Jackson Martínez. Olegário Benquerença não marca a respectiva falta.
  • 19' - Entrada duríssima de Ricardo Quaresma sobre Nani, na ala esquerda do ataque leonino, sancionada com cartão amarelo. Mais uma vez, no limite, seria uma falta passível da mostragem do cartão vermelho diecto.
  • 23' - Cartão amarelo para Maurício, por travar contra-ataque perigoso do FC Porto, através de Yacine Brahimi. É o 2º cartão amarelo do brasileiro no campeonato.
  • 28' - Adrien Silva chega atrasado a uma disputa de bola com Danilo e faz falta, passível de cartão amarelo. Não mostrado.
  • 34' - Martins Indi joga a bola com o braço. Falta por marcar a favor dos leões
  • 44' - Cartão amarelo para Cédric Soares. Por falta sobre Ricardo Quaresma. É o 1º cartão amarelo do lateral português no campeonato.
  • 50' - Vários jogadores do FC Porto a criticar as decisões do árbitro. Olegário Benquerença não sanciona com o devido cartão amarelo.
  • 50' - Obstrução de Alex Sandro a André Carrillo. O árbitro manda seguir.
  • 69' - Falta mesmo à entrada da área portista, de Marins Indi sobre Islam Slimani. Olegário Benquerença manda seguir.
  • 70' - Na sequência, Nani vê o cartão amarelo, por protestos. É o 3º cartão amarelo do ala.
  • 73' - Alex Sandro carrega Islam Slimani dentro da área azul-e-branca, impedindo-o de disputar a bola. Olegário Benquerença entendeu não ser motivo para grande penalidade. 
  • 81' - Yacine Brahimi volta a ajeitar a bola com o braço, e Olegário Benquerença continua com visão curta.
  • 83' - Carga de Martins Indi sobre Rui Patrício, na pequena-área leonina. Olegário Benquerença, manda seguir.
  • 84' - Falta de Jackson Martínez sobre Maurício. Olegário Benquerença insiste em não mostrar cartões amarelos aos jogadores do FC Porto.
  • 88' - Finalmente cartão amarelo pa um jogador do FC Porto: Cristian Tello. Por simulação de falta à entrada da área leonina.
  • 90' + 2 - Cristian Tello, em offside não assinalado, faz falta sobre Cédric Soares, antes de atirar ao lado da baliza de Rui Patrício. O árbitro não sanciona qualquer das infracções.

quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

A Grande Herança

Bruno de Carvalho já tinha avisado, os exercícios financeiros da vigência do mandato do digníssimo Eng.º Godinho Lopes podiam constituir matéria de análise perante a regra do fair-play financeiro da UEFA, entretanto instituída.

Pois eis que hoje o CFCP (Club Financial Control Body) aolicitou informações adicionais de monitorização, para Outubro e Novembro, a fim de detectar ou não violações da regra, sujeitas a sanção - que vai desde a advertência à retirada de títulos ou prémios.
 
Recorde-se que já em 2011 a UEFA havia solicitado o mesmo perante o Sporting Clube de Portugal, já sob a vigência de Godinho Lopes, então sem consequências (apesar da retenção dos prémios monetários das competições europeia, posteriormente repostos).

Apesar de tal investigação adicional não me parecer constituir perigo iminente para o Clube (por exclusão das provas europeias, por exemplo), até pelo equilíbrio financeiro posto em prática pela actual Direcção, é bom sublinhar, no entanto, que é já a segunda vez que tal sucede, ambas referentes à vigência da anterior Direcção, e que, pese embora não tenham havido quaisquer consequências, por ora, a imagem do Clube sai sempre algo abalada destes acontecimentos. Ainda mais se levarmos em conta a fragilidade económico-financeira do Clube.

O que me apraz dizer perante isto? Obrigado, Godinho! Mesmo que não queiras, a memória da tua grande liderança perdura...

quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

(O)caso Shikabala: Take 2

Quando escrevi a última vez sobre Shikabala (ler em (O)caso Shikabala), o post não mereceu muitos comentários, o que é compreensível pois havia saído um comunicado, posterior ao meu post, que de certa forma invalidava alguma da minha opinião, que se sustentava essencialmente nas palavras proferidas por Paulo Faria, àquela altura.

O que é certo é que hoje, 20 dias depois daquele meu post, as palavras de Paulo Faria continuam actuais, e aparentemente verdadeiras (independentemente dos interesses que poderia ter ao proferi-las).

O que é certo é que, neste momento, Shikabala resume-se a 13 minutos oficiais de jogo e 190 mil € jogados ao lixo, juntamente com outros milhares de euros que constituem os honorários do mesmo.

Não é que a soma seja avultada - que não é - mas o egípcio constitui hoje, como na altura da sua contratação, um erro de casting desnecessário. Shikabala é um "reforço" de Inverno que nunca foi, e que nem com a chegada dos primeiros raios de Sol da Primavera ou da alegria do Verão conseguiu perder o estatuto mental de Deus egípcio. Afinal, em pleno 2014, jogar à bola e jogar futebol são coisas distintas, e se jogar à bola é para quem quer, jogar futebol é só para quem pode. Shikabala pode ser um criativo, mas só se assume na arte de fazer asneiras.

Importaria qe Bruno de Carvalho e restante estrutura técnica e directiva procurassem rapidamente a melhor solução que, quanto a mim, passará sempre pela saída. Nem que seja para o raio que o parta...

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Bruno de Carvalho vs. Manuel Fernandes: Um Confronto Geracional

Motivada pela sucessão de maus resultados (e nem tanto pelas exibições em si), que culminaram com o empate a uma bola em Maribor, para a UEFA Champions League, Manuel Fernandes e Bruno de Carvalho - ou vice-versa, como acharem melhor - entraram numa toada, de todo infeliz, de troca de galhardetes que, a mim pelo menos, me soou mais de base pessoal que profissional ou, sequer, de defesa dos interesses do Sporting Clube de Portugal.

Devo dizer, para que não me acusem de falta de Sportinguismo - o que não admitirei, digo desde já - que o meu apreço por Manuel Fernandes é o mesmo que o dos "para cima dos 40 anos", sendo certo que, apesar de já ser nascido aquando das últimas épocas do Manel de leão ao peito, não tinha idade suficiente para me lembrar hoje desses tempos. Ainda assim, e porque nada me impede nem me retira o interesse pela História do Sporting CP, é-me fácil reconhecer a importância do "eterno Capitão", enquanto Património histórico e lenda viva (oxalá por muitos e bons anos) do Clube.

Quer-me parecer que a subversão das palavras e ideias que foram de facto proferidas, por um e outro, têm sido (ab)usadas à conveniência. Começando por sublinhar que todos têm o livre direito à sua opinião, a dizerem aquilo que pensam e bem entendem dizer, devo dizer que também não fiquei feliz com as palavras iniciais do Manel, quando menosprezou a equipa do NK Maribor para exponenciar o demérito leonino naquele jogo. Passe o exagero, fez-me lembrar, até certo ponto, a humilhação anunciada por Ribeiro Cristóvão... que nunca chegou a acontecer.

A resposta de Bruno de Carvalho (aquando de uma entrevista na Sexta-feira passada, onde se julgava ir "dar a cara" pelos maus resultados e renovar a confiança no plantel e equipa técnica), infeliz, desnecessária, cruel, vingativa e algo ditatorialista (já perceberam a ideia?), foi péssima e completamente fora de tom. Não é que alguns dos ilustres notáveis da praça leonina não mereçam críticas daquela ordem (e Dias Ferreira, outro dos visados, é com certeza um deles) mas, i) ao focar-se em Manuel Fernandes, errou completamente o alvo, ii) a crítica foi ainda mais exagerada que o exagero que o Manel cometera, antes, e iii) uma coisa é eu ou outro qualquer ilustre desconhecido Sportinguista tecer críticas (mais ou menos duras) a qualquer dos comentadores leoninos que opinam nas tv's e rádios, outra coisa é Bruno de Carvalho fazê-lo, enquanto Presidente de uma Instituição Nacional, centenária, com um Património e uma História que vai muito para além da vigência e do super-ego do próprio. O Sporting Clube de Portugal não é Bruno de Carvalho (e, já agora, espero que o registo da Sporting TV mude diametralmente, neste aspecto).

Bruno de Carvalho deve(ria) ter muito mais com que se preocupar que propriamente dar-se ao desplante de se servir da televisão do próprio Clube para atirar pedras a quem significa e significará muito mais que ele, não querendo com isto menosprezar os seus méritos enquanto timoneiro actual do Clube.

Dito isto, e como disse acima, parece-me que se subverteram as palavras de Bruno de Carvalho, que não disse que Manuel Fernandes mentiu, que - muito menos - destruiu (ou sequer tentou) a História do Manel enquanto Sportinguista e tudo aquilo que deu ao Clube, que não o colou a contratações algumas (seja a de Khalid Boulahrouz, Danijel Pranjic ou qualquer outra) mas, antes, que lhe apontou o acriticismo aquando dos dois anos em que fez parte da bandeira de campanha da anterior Direcção (juntamente com Luís Vidigal e Beto), com mais ou menos competências e com mais ou menos âmbito - o que não está em causa. E o que é facto é que a crítica que o Manel, por vezes tão incisivamente, decide fazer agora, no seu legítimo direito, não existiu naqueles dois anos, porventura com muito mais motivos para o fazer.

Perante a reacção exacerbada e de todo desprovida de qualquer sustentação de facto, por parte de Bruno de Carvalho, Manuel Fernandes decidiu fazer o contra-ataque.

No lugar dele, eu não o teria feito - e, para que não restem dúvidas, não se trata de qualquer defesa a Bruno de Carvalho ou qualquer ataque a Manuel Fernandes - mas compreendo perfeitamente que, perante a contundência da crítica que lhe foi endereçada, tenha decidido fazê-lo.

Antes de mais, Manuel Fernandes e Bruno de Carvalho, com ou sem, com mais ou com menos estatuto, devem mentalizar-se que o direito à opinião é tão livre quanto o direito à crítica e, neste aspecto, nenhum tem imunidade por ter mais ou menos História. É um direito que assiste a todos. Se esse direito é exercido acertada ou erradamente fica ao critério de cada um. Eu só falo por mim!

Seguidamente, devo dizer que, se se trata de uma querela pessoal, como já tive oportunidade de dizer que me parece (e que envolve também Augusto Inácio, uma inimizade de longa data), querelas pessoais resolvem-se em privado e, se possível, directamente. E isto vale tanto para um como para outro. Desejo profundamente e acima de tudo que tal não se volte a repetir, nunca mais, porque afinal de contas quem perde, para além dos visados, é o Sporting Clube de Portugal, com as consequentes divisões que contendas destas sempre criam. E o que se deseja é precisamente o oposto...

O que não posso deixar passar - e aqui, sim, faço uma crítica veemente ao Manel - é que, no meio da defesa que entendeu fazer ao seu bom-nome, o "eterno Capitão" decidiu diferenciar os Sportinguistas "para cima de 40 anos", porque esses sabem todos quem é o Manel, e os Sportinguistas "para baixo dos 40", porque esses alegadamente desconhecem-no. Para além do divisionismo claro a que declarações destas levam (se se critica este tipo de índole, noutras situações com outras pessoas, a lógica e a coerência dizem-me que também se deve fazê-lo com o Manel, independentemente do Manel ser o Manel), a insinuação de ignorância que, a mim enquanto sub-40 anos, me quer colar, não colhe. E devo dizer que é até ofensiva, para mim como para qualquer Sportinguista sub-40 minimamente informado.

Mas não disse só isto. Disse também que «esses rapazinhos dos blogs e das páginas devem ser pagos para dizer mal e depois dizem-lhes de quem é que eles devem dizer mal», o que, conhecendo o perfil pacato e pouco (ou nada) confrontista de Manuel Fernandes, só me leva a crer que terá sido industriado no sentido de dizer isto por alguns dos que ele considera seus amigos (lá está a tal coisa do "emprenhar pelos ouvidos"), incluindo o amigo (da onça) Luís Duque que, entre outros, o desprezou e ostracizou nos dois anos do mandato da Direcção de Godinho Lopes. E é ele mesmo quem o confirma... à parte de tudo isto, a manipulação de Manuel Fernandes por parte de Rodolfo Reis e António Simões (e o próprio moderador) é tão notória quanto é claro perceber que o Manel não se apercebe disso.

Para muitos, digníssimos frequentadores de Camarotes Leoninos, repletos de Fontes Seguras que lhes chegam através de Fax Verde e Branco, com certeza que tal declaração colheu frutos, que comerão nos próximos dias e sempre que lhes convenha, mas - não posso deixar de o dizer - da minha parte, Sportinguista sub-40, "rapazinho dos blogs", nunca recebi qualquer cêntimo pelo que faço (que faço voluntariamente e com muito gosto), não recebo absolutamente mais nada senão, por vezes, (muitos) problemas e não aceitaria receber um cêntimo que fosse, mesmo que mo impingissem.

Por muito apreço que tenha - e tenho - por Manuel Fernandes, esta é uma declaração que não lhe perdoo, nem lhe admito tais insinuações, pelo que, além de estar profundamente desiludido com Bruno de Carvalho pela forma como abordou (e nem o devia ter feito) a opinião do Manel, estou também profundamente aborrecido com Manuel Fernandes, pelo descaramento de algumas das afirmações que proferiu. Compreendo-lhes as lágrimas, ferido que foi onde mais lhe dói, no coração. Não lhe tolero os rugidos mudos para tudo e todos, generalizando o que não deve!

Finalizando, faço votos que ambos entendam que, com mais ou menos História, mais ou menos estatuto, mais ou menos ego, mais ou menos vaidade, nenhum está acima do Sporting Clube de Portugal e que, com isto, só conspurcam a Instituição e provocam o indesejável divisionismo, criando facções tão desnecessárias quanto excessivas. Vamos lá ter (só um bocadinho) de bom senso.

Sporting com perfume João Mário

Finalmente os golos apareceram! Vitória sem qualquer tipo de contestação, como ainda não se tinha visto esta época. Marcar cedo trouxe muita tranquilidade e confiança aos jogadores do Sporting CP, e o controlo do jogo foi total, principalmente na 1ª-parte - em que nem foi permitido ao Gil Vicente FC causar perigo. 

Mesmo tendo em conta a influência que os golos madrugadores tiveram, o facto de Marco Silva ter finalmente apostado em João Mário foi determinante para a exibição do Sporting CP. Quer na construção quer na criação, o médio leonino mostrou  qualidade como ainda não se tinha visto este ano, no meio campo verde-e-branco. Nunca teve medo de assumir o jogo e, por isso, apareceu mais recuado que o até então titular André Martins. A classe com que guarda a bola, com que temporiza e entrega no colega melhor posicionado foi fundamental não só para a criação de jogadas de perigo mas também para aumentar a qualidade da circulação de bola. 

Fruto da entrada de João Mário no 11, Foi um Sporting CP com mais capacidade para criar pelo corredor central, e isso traduziu-se na melhor exibição da época. Também Nani voltou a ser determinante neste aspecto: com muita liberdade para aparecer em zonas mais interiores, foi capaz de mostrar mais uma vez toda a sua qualidade. Seja no remate, no passe ou na maneira como fixa os adversário, Nani aumenta e muito a qualidade de jogo do Sporting CP.









Abordando a exibição do Sporting CP de um ponto de vista mais táctico, ou seja, mais colectivo, não posso dizer que algo tenha sido diferente, porque não o foi. Os princípios foram os mesmos, os comportamentos foram os mesmos, apenas mudou a qualidade individual de um jogador e o maior acerto de outros (Adrien Silva e Islam Slimani, por exemplo). Mas foi uma mudança que influenciou e muito o colectivo. Com João Mário a equipa apareceu mais próxima em organização ofensiva (Nani também contribuiu muito para este aspecto) e isso foi fundamental quer na construção quer na criação como já referido acima.

A linha defensiva, ainda que sem ter sido verdadeiramente posta à prova, apresentou as mesmas debilidades e qualidades dos jogos anteriores. Fortes nos duelos, fracos no posicionamento e assim vai ser durante toda a época, mas isso não tem necessariamente de resultar em pontos perdidos como já aconteceu este ano. 

Não há melhor organização defensiva que a organização ofensiva. Isto é, se temos uma linha defensiva que não funciona como uma linha, se os centrais mostram dificuldades gritantes ao nível do posicionamento, então não há melhor maneira de defender do que manter a posse de bola. Fazê-la circular com paciência e qualidade, mas sempre com o objectivo de penetrar no bloco adversário e fazer golo é a melhor maneira de disfarçar a falta de qualidade da última linha, dado que quanto menos lances tiver que resolver menor é a probabilidade de errar. 


Nem antes éramos os piores nem agora somos os melhores, mas foram 90 minutos que provaram o bom trabalho de Marco Silva, no sentido de fazer evoluir a qualidade do futebol do Sporting CP. Não me lembro de um único jogo da época passada resultante em goleada, que tenha tido 4 golos criados pelo corredor central. É este o caminho! Menos cruzamentos sem critério e mais qualidade no jogo interior, vai elevar o Sporting CP para um patamar exibicional como não se viu nem de perto na época transacta.

Em suma, boa exibição do Sporting CP com perfume de João Mário, e com a eficácia que até então não tínhamos tido. São precisas mais vitórias destas para que a confiança continue a aumentar e Marco Silva possa tranquilamente trabalhar. E vocês Sportinguistas, o que acharam da nossa exibição e quais foram na vossa opiniões sobre os obreiros da primeira vitória clara da época?




Licença de Conteúdos

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons.Quem copiar conteúdos sem especificar a origem está infringir os termos de copyright e fica sujeito a coima.
myfreecopyright.com registered & protected

Etiquetas

Tags:

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Web Hosting Coupons