Próximo Jogo

31.05 vs 17h15

28/05/2015

Andebol: Pedro Portela renova até 2018

O Sporting Clube de Portugal anunciou que chegou a acordo com o atleta de Andebol Pedro Portela, ponta direito de 25 anos, para a renovação de contrato, ficando com duração até 2018.

“Estou muito satisfeito por estender o meu contrato”, começou por referir Pedro Portela. “Sei que daqui para a frente teremos um andebol diferente e muito mais forte e eu quero fazer parte desse projecto”, acrescentou.

O atleta verde-e-branco fez ainda um balanço da época. “Estivemos a disputar todas as competições, no entanto, não conseguimos vencer nenhuma delas. Foi muito difícil para nós terminar a época sem alcançar as metas”, confessou. “Estamos no Sporting, temos de ganhar e é para isso que vamos continuar a trabalhar. O nosso objectivo é conquistar todos os títulos que pudermos”, rematou.

27/05/2015

#EmModoJamor


Até Domingo, e que todos possamos ver repetidas estas imagens!


24/05/2015

Formação: Equipa secundária leonina fecha Campeonato com vitória em Braga e sagra-se a melhor Equipa B | Juvenis leoninos vencem em Sacavém

  • Equipa B (Segunda Liga
A Equipa B do Sporting CP terminou hoje o Campeonato Nacional da Segunda Liga da melhor forma, vencendo fora o SC Braga B por 2-3 e batendo o record de pontos feito por uma Equipa B em Portugal, ao somar mais um do que os 77 pontos alcançados pelo FC Porto B na última temporada. Em paralelo, os leões acabaram a três pontos do primeiro lugar conseguido pelo CD Tondela.

O conjunto comandado por João de Deus entrou melhor na partida e chegou cedo à vantagem, com Diego Rubio a apontar o seu décimo quarto golo pessoal na prova, com apenas três minutos decorridos. A vantagem fez bem à formação verde-e-branca, que dominou o encontro e viria mesmo a aumentar o resultado por Fábio Martins "Fabinho" no último minuto da primeira-parte.

No segundo tempo, e quando nada o fazia prever, a reacção dos visitados acabou por ter resultados práticos, com os bracarenses a conseguirem chegar ao empate com golos de Carlos Fortes (66 minutos) e Fábio Martins, a cinco minutos do final. Ainda assim, os leões nunca deixaram de perseguir a vitória e, nos instantes finais, o estreante Luís Elói, um dos melhores marcadores da equipa de Juniores que fez a estreia no conjunto B, apontou o 2-3 final, que deu mais três pontos aos visitantes.

Com este resultado, o Sporting B terminou o Campeonato Nacional da Segunda Liga no quinto lugar (todos os segundos classificados venceram hoje as respectivas partidas) com 78 pontos, conseguidos através de 22 vitórias, 12 empates e outras tantas derrotas.

O CD Tondela sagrou-se Campeão com um golo nos derradeiros instantes em Freamunde, somando 81 pontos, ao passo que CF União, GD Chaves e SC Covilhã conseguiram 80 pontos. Assim, o CD Tondela e o CF União ascendem ao Campeonato Nacional da Primeira Liga de 2015/16, ao passo que FC Penafiel e Gil Vicente FC jogarão na próxima época a Segunda Liga.

O Sporting B encerra, assim, a época 2014/2015 na 5.ª posição, a meros 3 pontos do Campeão da Segunda Liga.

Classificação & resultados aqui.
  • Juvenis (Campeonato Nacional - Fase de Manutenção - Série D)
A equipa de Juvenis do Sporting CP deslocou-se ao terreno do SG Sacavenense, esta manhã de Domingo, onde registou uma vitória por 0-3, em jogo a contar para a Jornada 13 - penúltima - da Série D da Fase de Manutenção do Campeonato Nacional da categoria.

A equipa leonina não entrou da melhor forma no encontro, permitindo ao SG Sacavenense dominar durante os primeiros 10 minutos. No entanto, os leões responderam com a correcção de alguns pormenores como o acerto das marcações, conseguindo virar o controlo para o lado verde-e-branco que durou até ao fim da partida. Ainda no primeiro tempo, e como reflexo do domínio leonino, Gil Santos, na sequência de um canto, inaugura o marcador fazendo o primeiro para os leões.

Na segunda-parte, os comandados de João Couto continuaram a impôr o seu futebol e a construir jogadas de perigo, mas com pouco sucesso na concretização. Aos vinte minutos do segundo tempo, numa jogada desenhada, Gil Santos bisa ao colocar o esférico no fundo das redes adversárias, fazendo o 0-2 para o Sporting CP. Dez minutos depois, é Jovane que faz o terceiro e último golo do encontro, apontado na sequência de uma grande penalidade.

Com este resultado, o Sporting CP mantém-se no primeiro lugar da tabela classificativa com 79 pontos, com mais sete do que o segundo classificado.

Na próxima jornada, a última, os leões recebem a formação do Casa Pia AC, em jogo agendado para as 11h do próximo dia 31, Domingo.

Hóquei leonino perde Final da Taça de Portugal, em jogo marcado por arbitragem absolutamente execrável

Muitas maneiras haveria para se perder, mas por condicionantes externas ao mérito das duas equipas custa a todos.

Perante um pavilhão mais uma vez repleto, as duas formações quiseram cumprir com o seu papel e fizeram-no no primeiro tempo, com todos os intervenientes a darem o melhor de si. O nulo verificado a um minuto do intervalo justificava-se na qualidade de dois dos melhores guardiães do Mundo, com destaque para o verde-e-branco, chamado a intervir por inúmeras ocasiões, e sempre a grande nível. Quando faltavam 36 segundos Carlos Nicolia rouba a bola a Poka no meio-campo e isola-se, não perdoando. Com o 1-0 ao intervalo, tudo estava em aberto para a etapa complementar. Os dois conjuntos respeitaram-se no primeiro tempo e também por isso o jogo não ganhou muito ritmo.

Na segunda-parte, é difícil fazer qualquer análise. Quatro cartolinas azuis mostradas ao Sporting CP em nove minutos – apenas os primeiros dois bem mostrados – fizeram com que o jogo se descaracterizasse, principalmente depois do 2-0 – marcado numa grande penalidade inexistente por João Rodrigues -, altura em que foi mostrado o quarto e último cartão azul do jogo, precisamente a Ângelo Girão, autor de uma exibição memorável, onde se incluem quatro livres directos. Estavam decorridos 14 minutos no segundo tempo. Até final o Sporting CP continuou a tentar o golo, obrigando o guardião adversário a um número de defesas bem maior quando comparado com o restante tempo de jogo. Acabou por não surtir qualquer efeito e, a dois minutos do terminus, Carlos Nicolia fechou o resultado final em 3-0.

Devido aos acontecimentos do segundo tempo que limitaram o Sporting CP grande parte do tempo (um minuto a jogar com menos dois elementos e sete a jogar com menos um), não se questiona a justiça do resultado, mas fica a ideia de que as expulsões condicionaram bastante o jogo leonino que poderia ter uma palavra a dizer quando o marcador ainda se encontrava com a diferença mínima.

De referir que o jogo fica marcado por duas agressões ao intervalo, a Tiago Losna e Ângelo Girão. Na sequência, Pedro Henriques (SL Benfica) e Tiago Losna acabaram expulsos.

Desta forma, os leões encerram a época 2014/2015.

Modalidades: Futsal leonino, perdulário, vence Braga pela margem mínima | Andebol leonino perde na "negra" após dois prolongamentos | Hóquei leonino derrota Oliveirense e está na Final da Taça de Portugal | Dupla jornada de vitórias do Futebol de Praia leonino no início na Divisão de Elite | Futsal Feminino vence Fátima e isola-se na liderança

  • Futsal (Liga Sport Zone Futsal - Play-Off)
O Sporting CP entrou da melhor forma nas Meias-Finais do Play-Off da Liga Sport Zone Futsal, ao vencer o SC Braga, em Odivelas, por 2-1, no primeiro jogo da eliminatória.

Os leões entraram determinados a derrubar a 'besta negra' da época - os arsenalistas foram a única equipa que venceu os dois jogos da Fase Regular ao Sporting CP (4-2 e 3-6) - e, aos três minutos, chegaram à vantagem por intermédio de Diogo, a dar a melhor sequência ao remate de André Sousa, a subir pelo corredor central. O guardião leonino estava endiabrado e, aos 12', voltou a subir provocando o desequilíbrio ofensivo, desta feita junto à ala, e rematou de forma certeira para o 2-0 e para o seu terceiro golo no Campeonato. O Sporting CP estava por cima do adversário, criando perigo de todas as formas - de bola corrida, jogadas estratégicas e transições rápidas - obrigando o SC Braga a recuar as linhas e a errar. A melhor oportunidade da primeira parte para os arsenalistas ocorreu de bola parada, num canto a que Fábio Cecílio não soube dar a melhor sequência. Em sentido contrário, o Sporting CP criava inúmeras ocasiões para aumentar a vantagem, como a ‘bomba’ de Diogo ao poste ou o remate de Caio Japa, a picar por cima de Pli, perto do intervalo.

O SC Braga entrou no segundo tempo com vontade de subir linhas e imprimir maior dinâmica, mas não fez o suficiente para inverter o curso do marcador, com excepção de uma grande oportunidade de Miguel Almeida, defendida por André Sousa. Já o Sporting CP manteve-se no comando da partida e criou uma série de ocasiões flagrantes. Alex puxou demasiado a bola para a direita e ficou sem ângulo para finalizar a assistência de João Matos e, logo depois, desperdiçou o grande trabalho de Djô, junto à linha. Logo depois o guardião bracarense brilhou ao defender dois remates leoninos, primeiro de Alex e depois de Caio Japa - os dois protagonistas de mais uma oportunidade, instantes depois. O SC Braga tentou o tudo por tudo a 13 minutos do fim, colocando André Coelho como guarda-redes avançado e a estratégia relançou a equipa arsenalista na partida: depois das oportunidades de Paulinho e Miguel Almeida, Fábio Cecílio reduziu, com um remate ao ângulo sem hipóteses para André Sousa. Os instantes finais foram electrizantes, com os bracarenses a tentarem levar o jogo para prolongamento, mas o Sporting CP conseguiu, com todo o mérito, vencer a partida, colocando-se em vantagem na eliminatória.

O Jogo 2 está marcado para o próximo dia 30, Sábado, pelas 16h, desta feita no reduto dos bracarenses.

  • Andebol (Campeonato Fidelidade Andebol 1, Play-Off)
O Sporting CP perdeu o quinto jogo da Final do Campeonato Fidelidade Andebol 1 por 34-32, após um tempo regulamentar impróprio para cardíacos e dois prolongamentos ‘loucos’.

O jogo foi para prolongamento com 25-25 no marcador, terminou o primeiro tempo extra com um empate a 30 e o FC Porto acabou por vencer, no final do segundo prolongamento.

No derradeiro jogo da Final do Campeonato Fidelidade Andebol 1, o Sporting CP precisava de uma entrada de leão para contrariar o hexa-campeão FC Porto, empurrado pelo ambiente criado no Dragão Caixa. O conjunto comandado por Frederico Santos entrou bem na partida, contrariando a ofensiva azul-e-branca e, apostando nos pontas, conseguiu chegar à vantagem por duas vezes, com Pedro Portela e Fábio Magalhães em destaque. Até meio do primeiro tempo, o equilíbrio era a nota dominante do encontro, com nenhuma das equipas a conseguir ganhar uma vantagem superior a um golo. Aos 15’, o Sporting CP vencia por 7-8, quando o FC Porto pediu desconto de tempo; a partir daí, tudo mudou: os dragões deram a volta ao marcador e chegaram a uma vantagem de quatro golos. O Sporting CP caiu na defesa e falhou no ataque, permitindo ao adversário chegar ao intervalo a vencer por 15-12.

O segundo tempo começou com os leões a falharem a baliza do FC Porto e com Kasal, recém-entrado, a dilatar o resultado a favor dos dragões. O ataque leonino revelava-se demasiado perdulário e o FC Porto aproveitava para tornar o resultado mais confortável, chegando ao parcial de 20-14 (maior vantagem da partida). Aos poucos, o Sporting CP atinou na defesa e reduziu a desvantagem para quatro golos, mas faltava eficácia no ataque. Por várias vezes, os leões puderam reduzir para três golos de diferenças, mas por falta de paciência ou de pontaria no ataque, as ofensivas verde-e-brancas acabavam em insucesso e a vantagem da formação da casa parecia ter decidido o encontro. Mas o esforço, a dedicação e devoção do Sporting CP, aliados à garra leonina desta equipa vieram ao de cima e a recta final do encontro foi de supremacia verde-e-branca. Frankis Carol colocou o Sporting CP a perder por três, Nuno Roque fez o 25-21 e teve início a recuperação leonina. Com uma ponta final merecedora de um título nacional, Pedro Spínola reduziu para 25-22, Pedro Portela fez o 25-23 e Pedro Spínola, a um minuto do fim, colocou o marcador a um golo de diferença. A 30 segundos do final do tempo regulamentar, o Sporting CP tinha a bola e, com Ricardo Candeias na frente de ataque, Alfredo Quintana defendeu o remate do guardião leonino, mas uma falta foi cometida e o Sporting CP tinha um livre por bater, já com o tempo esgotado. Na conversão, Fábio Magalhães fez a bola passar no meio da barreira defensiva azul-e-branca e empatou a partida a 25 golos, levando o encontro para prolongamento.

O tempo extra começou melhor para os leões, com Pedro Spínola a dar seguimento à onda verde-e-branca que invadiu o Dragão Caixa. De seguida, Fábio Magalhães voltou a assumir papel de destaque e colocou o Sporting CP com dois golos de vantagem. Hugo Santos reduziu, Fábio Magalhães voltou a facturar, Ricardo Moreira também marcou e Pedro Spínola colocou o resultado em 27-29 a favor dos leões. No final do prolongamento, o Sporting CP não soube segurar a vantagem e o FC Porto chegou ao 29-29, por intermédio de Salina. Bosko recolocou os leões na frente, mas Hugo Santos fez o empate a 30. O prolongamento terminou da mesma forma que o tempo regulamentar, com Fábio Magalhães a dispor de um livre, mas, desta feita, Quintana conseguiu a defesa com o pé.

O segundo prolongamento teve início com o 31-30 de Ricardo Moreira, seguido do empate leonino, por Pedro Spínola. Salina recolocou a formação da casa na frente do marcador, após perda de bola da equipa verde-e-branca, e Pedro Portela, de seguida, permitiu a defesa de Quintana no livre de sete metros. Gilberto aproveitou a falha dos leões para fazer o 33-31 e o Sporting CP não mais teve capacidade para apanhar os dragões. Pedro Portela voltou a falhar na marca dos sete metros, Fábio Magalhães ainda reduziu para 33-32, mas Ricardo Moreira voltou a bater Ricardo Candeias e fez o 34-32 final, dando a vitória ao FC Porto.

A secção de Andebol do Sporting Clube de Portugal encerra, assim, a época desportiva de 2014/2015.

  • Hóquei em Patins (Taça de Portugal - Final-Four)
Uma exibição de encher o olho!

O Sporting CP qualificou-se este Sábado para a Final da Taça de Portugal, depois de vencer a UD Oliveirense por 1-4 no pavilhão da UD Vilafranquense - que esteve repleto.

Os pupilos de Nuno Lopes defrontarão o SL Benfica na Final, equipa que venceu o OC Barcelos na outra Meia-Final por 3-2.

O encontro começou de forma muito equilibrada e bem jogada, a um ritmo de fazer inveja a qualquer equipa tendo em conta a fase da época em que o hóquei patinado se encontra. Os leões tiveram as suas oportunidades mas foi a UD Oliveirense a formação mais perigosa, contando com muitos contra-ataques a seu favor, fruto da pressão defensiva que exerceu. Ainda assim, foi André Moreira - nascido para o Hóquei em Patins neste mesmo pavilhão - quem marcou primeiro, num excelente remate cruzado, estavam decorridos três minutos. A dez minutos do intervalo a UD Oliveirense empata através de Martín Montivero, aproveitando um passe em remate de Gonçalo Alves para desfeitear Ângelo Girão que teve uma primeira-parte de grande categoria, tirando um livre directo, uma grande penalidade e outros lances perigosos, vindos maioritariamente de contra-ataque. O resultado ao intervalo acabou por não sofrer alterações, ficando a supremacia leonina guardada para a segunda metade.

André Moreira, endiabrado na terra natal, voltou a colocar o Clube de Alvalade em vantagem num lance de oportunismo dentro da área defensiva do adversário. Aos 15 minutos foi a vez de André Pimenta fazer o gosto ao stick, de "picadinha", ampliando para 1-3. Com este resultado o Sporting CP justificava a superioridade na etapa complementar perante uma UD Oliveirense que se resguardou na segunda-parte e pagou caro por isso, pois desta forma não conseguiu contra-ataques e no ataque organizado embateu contra uma parede defensiva leonina, digna das melhores da modalidade. A finalizar, Ricardo Figueira colocou a cereja no topo do bolo, fazendo o 1-4 de livre directo.

Vitória que não merece contestação e que lança boas perspectivas para o último encontro da época, frente ao SL Benfica, no pavilhão da UD Vilafranquense, amanhã, Domingo, pelas 15h.

  • Futebol de Praia (Campeonato Nacional - Divisão de Elite)
O Sporting CP venceu hoje o CF "Os Belenenses" por 2-5, na Praia do Ouro em Sesimbra, em jogo a contar para a primeira jornada da Divisão de Elite do Campeonato Nacional de Futebol de Praia.

Madjer (bis), Coimbra, Jordan e Belchior apontaram os golos leoninos.

Os leões, que entraram em campo de início com Petroni, Coimbra, Jordan, Madjer e Belchior, começaram melhor o encontro e, já depois de Belchior ter acertado na trave da baliza adversária, Coimbra inaugurou o marcador na transformação de uma grande penalidade, resultado com que se atingiu o final do primeiro período.

No segundo tempo, a equipa da Cruz de Cristo tentou reagir e, depois de uma ameaça perigosa de Eugénio, Neto conseguiu mesmo fazer o empate. Os leões não acusaram a igualdade e partiram em busca do 1-2 mas Belchior voltou a acertar na trave. Quem não marca acaba por sofrer e, de penalty, Neto bisou o colocou o CF "Os Belenenses" na frente.

No terceiro e último período, Madjer conseguiu chegar ao empate logo na reposição de bola com um grande golo e embalou a formação verde-e-branca para um final de excelente qualidade onde os leões foram materializando a sua superioridade com tentos de Madjer, Jordan e Belchior, que carimbaram o 2-5 com que o Sporting CP bateu o CF "Os Belenenses" no final da partida.

Com este resultado, os leões ocupam o primeiro lugar da Divisão de Elite do Campeonato Nacional com três pontos num jogo.

Já este Domingo, o Sporting CP venceu o ACD "O Sótão" por 3-2 na segunda jornada da Divisão de Elite do Campeonato Nacional que se realizou na Praia do Ouro em Sesimbra, à imagem da ronda inaugural.

A formação leonina partia como favorita mas desde o primeiro tempo percebeu que não teria a tarefa facilitada, como indicou o empate a zero antes do primeiro intervalo.

No segundo tempo, ao fim de algumas oportunidades, os verde-e-brancos inauguraram o marcador por Coimbra, após combinação com Duarte Vivo, aos quatro minutos. Surpreendentemente, o ACD "O Sótão" que até então se tinha demonstrado muito organizado na defesa mas pouco esclarecido no ataque, marcou por Loja num livre a meio-campo e que não trazia perigo para Petrony, até o esférico embater na areia e trair o guardião de Alvalade. O tento marcado a meio da segunda etapa provocou ânsia no Sporting CP que complicou todos os seus processos. Madjer, numa desconcentração, permite o contra-ataque aos nazarenos que não desperdiçam, provocando a reviravolta no marcador, resultado com que atingiu o último intervalo.

No derradeiro tempo, outra atitude. Mais serenidade permitiu aos leões voltarem a criar oportunidades. Ao minuto quatro Duarte Vivo empatou numa recarga a remate de Madjer, o mesmo que acabaria por fazer a diferença ao fazer o 3-2, na marcação de um livre no meio-campo, atirando ao ângulo superior direito do guardião Bruno Estrelinha. Até final os verde-e-brancos controlaram, vencendo, com justiça, pela segunda vez em outros tantos encontros disputados.

A próxima jornada disputar-se-á no próximo dia 30, Sábado, ante a formação do GR Amigos da Paz.

Classificação & resultados aqui.
  • Futsal Feminino (Taça Nacional - 2.ª-Fase - Série C)
A equipa feminina de Futsal do Sporting CP recebeu e venceu hoje o CD Fátima por 4-2, numa partida a contar para a terceira jornada da Série C da 2.ª-Fase da Taça Nacional.

Eliana, com um poker foi a principal figura do encontro.

Com Cris, Ana Marques, Beta, Eliana e Catarina no cinco inicial, as comandadas de Filipe Carneiro não demoraram a chegar à vantagem, com Eliana a marcar logo no primeiro minuto. Apesar das várias tentativas de ambos os conjuntos, o 1-0 favorável à equipa verde-e-branca manteve-se inalterável até ao intervalo.

No segundo tempo, Eliana voltou a mostrar pontaria afinada logo de início, apontando o 2-0 e o 3-0 aos 21 e aos 23 minutos, respectivamente. O CD Fátima ainda reagiu e chegou à desvantagem mínima aos 33 minutos, antes de Eliana completar o poker (com que se chegaria ao fim do encontro) a seis minutos do final do jogo.

Com este resultado, o Sporting CP assume a liderança isolada com nove pontos em três jogos, mais três do que o CD Fátima, com o melhor ataque (24 golos marcados) e a defesa menos batida (apenas cinco golos consentidos).

Na próxima jornada, agendada para as 16h do próximo dia 31, Domingo, na deslocação das leoas ao reduto da formação do GDC Machados.

Classificação & resultados aqui.

23/05/2015

Nani despede-se do Campeonato com um golo, na vitória leonina nos Arcos

Árbitro
Bruno Esteves

Assistência | Média (Fora)
3 747 | 15 329

Titulares: Marcelo Boeck (cap.); Miguel Lopes, Tobias Figueiredo, Ewerton e Jonathan Silva; Oriol Rosell, André Martins e João Mário; Carlos Mané, Nani e Islam Slimani.
Suplentes: Luís Ribeiro; Cédric Soares e Naby Sarr; Wallyson Mallmann; Matheus Pereira; Junya Tanaka e Fredy Montero.
Fora da Ficha de Jogo: Nada a registar.
Treinador: Marco Silva.

Golos:
  • 48' - GOLO de Nani (0-1). Centro de Jonathan Silva na esquerda e cabeceamento de Nani ao segundo poste, cruzado, para o primeiro golo do jogo. É o 7.º golo do extremo no Campeonato, e o 12.º em toda a época.
Substituições:
  • 58' - Entra Wallyson Mallmann, sai João Mário
  • 61' - Entra Junya Tanaka, sai Nani
  • 82' - Entra Fredy Montero, sai Islam Slimani.
Disciplina:
  • 57' - Cartão amarelo para Nani. Por falta sobre Marvin Zeegelaar. É o 11.º cartão amarelo do extremo no Campeonato, e o 13.º em toda a época. 
  • 90' - Cartão amarelo para Jonathan Silva. É o 4.º cartão amarelo do lateral no Campeonato, e o 7.º em toda a época.

22/05/2015

Entrevista de Luís Boa Morte ao Jornal A Bola

De saída por ambicionar treinar Futebol Sénior, Luís Boa Morte deu uma entrevista ao Jornal A Bola onde, por entre elogios a Virgílio Lopes (Director da Academia de Alcochete), deixa alguns avisos às críticas de que toda a Formação leonina foi alvo esta época, à displicência que encontrou no escalão que treinou (Juniores A: sub-19) e alguma falta de união entre as várias formações.

Leia abaixo:

Pág. 1
Pág. 2

21/05/2015

A comunicação e postura presidencial

No fim-de-semana passado os Sportinguistas foram confrontados com uma Conferência de Imprensa do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho, que durou uma hora, a exigir respeito e a responder aos jornalistas sobre as notícias que têm saído ultimamente com o intuito de o desestabilizar - não ao Clube mas a si próprio, ao ponto de se sentir vítima de tentativas de humilhação. Esta Conferência de Imprensa teve toda a media nacional presente, sendo que foi marcada de urgência após a antevisão de Marco Silva ao jogo com Sporting Clube de Braga.

O Presidente contra-atacou com os seus argumentos metafóricos algumas notícias, e entre eles foi deixando recados, mas não conseguiu fazer o que os Sportinguistas desejavam: trazer de volta a tranquilidade ao Clube. Por isso, a Conferência defraudou as expectativas dos adeptos, que esperavam uma resposta ao Xeque que a imprensa tem feito ao Sporting CP, anunciando, dois dias antes, que a ligação de Marco Silva ao Clube seria cessada no final da época e criando, assim, uma enorme turbulência no universo leonino pois, independentemente dessa decisão estar ou não tomada, não pode nunca o Sporting Clube de Portugal ir para uma final com um treinador "demitido".

A Conferência de Imprensa foi turva e, no que era essencial (terminar com a especulação), passou ao lado, para não dizer que piorou ainda mais a situação, visto ter afirmado que a época já estaria a ser preparada com os elementos da SAD, uma hora depois de Marco Silva dizer que não haviam reuniões ainda sobre a preparação da época.

A Comunicação do Sporting Clube de Portugal, após trocar de responsável (pela saída de Morgado Fernandes para a Associação Nacional de Farmácias), terá que fazer muito (mas muito) melhor do que fez este ano, mesmo tendo em conta que o Sporting CP tem, de momento (embora com funções repartidas), três empresas na assessoria de comunicação, a WL Partners, a YoungNetwork Group e a Quintela & Reis Consultores. O que constatamos é que são muito ineficazes, perante a péssima imprensa de que "brinda" o Clube e pela falta de controlo dos "furos" que vão saindo do Clube. Um dia, numa AG, ouvi Bruno de Carvalho dizer: «A comunicação é a arma mais forte do Séc. XXI». Concordo plenamente, sendo que também reconheço que essa é a sua principal pecha.

Bruno de Carvalho cometeu diversos erros comunicacionais, neste segundo ano de mandato, como por exemplo (e passo a enumerar):
  • A resposta a Manuel Fernandes, onde apelidou o ex-jogador vivo com mais golos pelo Clube de "pior funcionário da História do Clube" e quis sugerir algum sentimento de vingança por parte deste, devido ao despedimento colectivo onde o Capitão foi um dos visados. Isto porque este achava que a dupla de centrais do Sporting CP não tinha "classe", e o único que tinha esse pressuposto era Marcos Rojo , além de - considerava o eterno Capitão - o Sporting CP devia ter contratado de forma mais cirúgica, passo a expressão. O Presidente afirmou que, e cito, «vir atacar o Património do Sporting CP - que são os seus activos, os seus jogadores - terá no Presidente do Clube alguém que virá a público dizer que ele está absolutamente errado».

  • Meses depois, segue-se a crítica aos jogadores, no facebook, e apesar da confiança mútua que nos era possível constatar, seguiu-se uma resposta de três jogadores, Nani, Rui Patrício e Jefferson, que foram directamente para o Presidente.

  • Na especulação de mau ambiente, após a "polémica" criada pela própria imprensa em torno desta questão, Bruno de Carvalho decidiu convidar os três principais jornais desportivos (representados por António Magalhães [Record], José Manuel Delgado [A Bola] e José Manuel Ribeiro [O Jogo]), a participar no programa "A Hora do Presidente" na Sporting TV com a moderação do pivot da casa, Nuno Graça Dias. No entanto, contrariamente ao que foi publicitado e, certamente, esperado pelos convidados, o programa foi preenchido com tudo menos questões livres. O pivot condicionou sempre as questões e Bruno de Carvalho, com uma oratória bem preparada, conseguiu sempre divagar nas respostas alongando-se até ao ponto de a emissão ter ultrapassado o tempo de antena. No final "tirou o coelho da cartola" e tentou humilhar os jornalistas, confrontando-os com várias notícias que saíam nos jornais e que ele considerava ridículas e falsas.
Este é ponto essencial; foi aqui que começou este ataque cerrado à sua pessoa e à sua imagem pois, tal como José Sócrates, esqueceu-se que ninguém se pode meter com o sectarismo dos jornalistas. Por esta altura, o Sporting Clube de Portugal até tinha uma boa relação com o Record de António Magalhães, substituto de João Querido Manha - accionista numa empresa de exportação de cavalos, que conseguia manter mais destaques relativos do Sporting CP, nas primeiras páginas, do que a marca de destaque de tempos anteriores, aproveitando também a marca Nani, e o Clube saiu valorizado com isso. Falamos do jornal de maior influência entre os Sportinguistas. Seguiu-se então uma mudança na linha editorial do Record, com sucessivos e desmedidos ataques ao Sporting CP e, principalmente, ao seu Presidente. Nos demais jornais apenas se continuou o "trabalho" que já faziam antes.
  • No final do ano de 2014, segue-se mais uma "bomba" em Alvalade: o Treinador é demitido pelos jornais (sendo que o Clube reagiu com um blackout) e à "festa" juntou-se o ex-jogador do Sporting CP (não "glória leonina", como vi num programa de TV) José Eduardo, que surgia durante o "rebentamento da bomba", na TV, como alguém "conotado" com a Direção do Clube, dando primeiro o ponto da situação (que de facto existiam divergências entre Treinador e Presidente) e, depois, dando o ponto final no aeroporto de Lisboa, seguindo para as suas férias de Ano Novo, afirmando que Marco Silva não teria mais condições para ficar no Sporting CP, dando assim a extrema unção à ligação do Treinador com o Clube. No mesmo dia, José Eduardo havia escrito um artigo no jornal A Bola, onde atacava Marco Silva de forma directa, alegando que este estava ao serviço de algo que não o Sporting Clube de Portugal. José Eduardo que chegou a afirmar consonância das suas palavras com a Direcção do Clube e nunca foi desmentido mas, no mesmo dia que deu Marco Silva como "carta fora do baralho", minutos depois, o Presidente do Sporting CP, através de recurso ao teleponto, afirmava que Marco Silva era uma escolha sua e que ficaria no Clube, numa declaração à Sporting TV. Isto, antes de um jogo em Alvalade e após um ataque cerrado dos adeptos ao suposto despedimento de Marco Silva nas redes sociais. No jogo que se seguiu, a JuveLeo deu o mote, mostrando uma tarja que marcou o novo nome de José Eduardo no Universo Sportinguista - "Zé dos Tachos" - tornando-o numa espécie de "carneiro sacrificado" de toda a especulação que se gerou na altura.

  • O Sporting CP determina o fim do blackout após conseguir estabilizar a situação na Comunicação, contratando a empresa WL Partners para amenizar a situação (visto que o Clube estava envolto de uma especulação vergonhosa e sem qualquer respeito pela sua dimensão - era bombardeado com notícias de "bradar aos céus" todos os dias). A empresa chega e começa rapidamente a "esticar" os contactos, organizando um almoço com os jornalistas, em Alvalade, onde Bruno de Carvalho foi "fonte oficial do Clube" e respondeu a diversas questões. Seguiram-se posteriormente várias entrevistas de simpatia (julgo, pelo menos quatro, salvo erro) para travar a ofensiva que havia contra o Presidente do Sporting Clube de Portugal, até que, na última delas, na SIC, em pleno "Jornal da Noite" com Rodrigo Guedes de Carvalho, o experiente jornalista questiona Bruno de Carvalho se Marco Silva fica no Clube, independentemente de atingir ou não o 3.º lugar na Liga NOS (ainda em aberto na altura) e ganhar a Taça de Portugal (o Sporting CP ainda não era finalista), ao que Bruno de Carvalho, de forma inocente - diria eu, se esquivou da pergunta directa, o que permitiu o regresso da especulação até aos dias de hoje, afirmando que «enquanto profissionais, todos dependemos de cumprimento dos nossos objectivos».
Bruno de Carvalho tem que perceber que, em Comunicação, se devia matar a pergunta, dizendo que Marco Silva fica no Sporting CP e tem contrato por mais três épocas, sem qualquer medo de ficar preso às suas palavras (mesmo que depois o despedisse) pois, assim, acabou por prender o Clube a um ciclo vicioso de especulação diária que nada precisava e que deu jeito a outros Clubes, escamoteando muito do que neles se passava, porque o jornalismo que hoje vende é o sensacionalismo e tem de haver sempre especulação sobre um Clube dentro, desta nova matriz de "jornalismo". O Sporting Clube de Portugal, sem nenhum jornal "oficioso-oficial" acaba por ser a maior vítima.

O primeiro ano de Bruno de Carvalho correu bem na Comunicação , sendo que usou e abusou dela de tão bem que lhe corria. A estratégia foi perfeita: o Sporting CP iniciou-se por um ataque a Pinto da Costa - o que agradou à maioria da imprensa nacional - e deu "poder de fogo" ao Presidente. O problema é que, hoje, pelo bom trabalho realizado, tanto Bruno de Carvalho como o Sporting Clube de Portugal são temidos, o que não acontecia na altura. A atitude da imprensa foi mudando e o Presidente do Clube está a demonstrar grandes dificuldades em lidar com uma imprensa que lhe é manifestamente adversa e à qual terá de se adaptar o mais rapidamente possível, sob pena de ver queimado o capital construído pelo bom trabalho realizado desde que chegou - e isto interessa a muita gente. O próximo passo dos media será tentar fazer do próximo Treinador - se este sair - um "gémeo siamês" de Bruno de Carvalho, em caso de insucesso.
  • Postura Presidencial
Numa questão de adaptação, aconselho Bruno de Carvalho a optar por uma postura mais Presidencial pois, como afirmei acima, os tempos mudaram: o Presidente que se senta no banco e anda para todo o lado com as equipas , já viu invertida a imagem de "o rapaz que cumpre o sonho e está sempre perto para dar apoio" para "o desestabilizador que apenas procura protagonismo".

Parece-me nítido que o Presidente deve afastar-se do banco e ser mais distante do balneário, por vários motivos: primeiro, sei que a defesa desta situação passa muito pela estadia de Pinto da Costa no banco, na Era de José Maria Pedroto, mas as pessoas esquecem-se que não existiam várias câmaras, como hoje existem, e não havia o constante foco na cara e na reacção de Pinto da Costa, como hoje existe para Bruno de Carvalho, como se este fosse tão protagonista do jogo dentro das quatro linhas como o Treinador, e, depois, as situações de indisciplina, já assumidas por si mesmo, protagonizadas por jogadores como Jefferson, mostram que existe demasiada confiança entre jogadores e Presidente. Torna-se necessário reestabelecer rapidamente as hierarquias, porque um Presidente do Sporting CP tem de ser respeitado e tem de se dar ao respeito e, disciplinarmente falando, por vezes o distanciamento é melhor solução.

Se no ano passado os sportinguistas muito precisavam de sentir um Presidente sempre por perto, e que trouxesse também a aproximação dos jogadores aos sócios do Clube e demais adeptos, de modo a recuperar a confiança do Universo leonino no Clube - que vinha de uma época de ruínas, este ano há óbvias diferenças. Tudo deve ser ao seu tempo, e é tempo de Bruno de Carvalho se afastar, de modo a preservar e proteger a sua imagem - que é, de facto, como ele diz, vítima de um ataque cerrado.

O segredo não passará por ficar "mudo" mas sim em ser mais pontual nas suas intervenções (como, diga-se, tem feito ultimamente) e evitar algumas situações desnecessárias que lhe criaram (ou aumentaram) este problema, como a tentativa de humilhação aos três directores/subdirectores dos jornais desportivos e, antes ,tentar reunir os Sportinguistas com voz na praça pública, de modo a entenderem que o Sporting Clube de Portugal deve falar a uma só voz, coordenadamente como acontece nos outros Clubes pois, se os outros estão coordenados e nós não, então estamos de "chinelo" numa festa de Gala e acabaremos por ser os alvos do "gozo", mesmo que esteja alguém com as vestes ao contrário.

20/05/2015

Andebol: Leões empatam Final e adiam decisão para o Dragão

Aguenta, coração!

Foi isso que milhares de Sportinguistas disseram para si mesmos, ao saírem do Pavilhão Multiusos de Odivelas com uma vitória por 25-24 frente ao FC Porto, obtida no prolongamento, no Jogo 4 da Final do Play-Off do Campeonato Nacional de Andebol 1.

Num jogo de emoções muito fortes, foi o Sporting CP quem entrou melhor na partida, colocando-se em vantagem. O FC Porto soube dar a volta, essencialmente através de remates da sua segunda linha, e chegou ao intervalo a vencer por 11-12.

Mas a segunda-parte traria consigo a garra de leão: o Sporting CP foi mais forte, soube sofrer e beneficiou da entrada de Ricardo Candeias, que evitou vários golos adversários com defesas de alto nível. O Sporting CP deu a volta ao marcador, chegou a ter dois de vantagem, mas o FC Porto foi equilibrando e conseguiu levar a partida para prolongamento através de uma defesa cerrada.

No prolongamento o Sporting CP voltou a ser mais forte, com um grande coração impulsionado por um Pavilhão Multiusos de Odivelas cheio e com um apoio absolutamente fantástico. A equipa leonina acabou por vencer por 25-24, mesmo jogando o último minuto em desvantagem numérica (2 minutos para Pedro Solha) e adiou a decisão do Campeonato Nacional de Andebol 1 para a “negra”.

O 5.º e último jogo desta Final, agora no Dragão, está agendado para as 18h do próximo dia 23, Sábado.

18/05/2015

O Marco e o Macaco

Quando soube da Conferência de Imprensa que Bruno de Carvalho convocou, mais ou menos de urgência, na Sexta-feira, pensei - e julgo que pensámos todos - que tal teria um único propósito: acabar com as especulações jornalísticas que, na última semana, incidiam cada vez mais, perigosamente, sobre a não continuidade de Marco Silva e a ruptura deste com o Presidente do Sporting Clube de Portugal.

Pois eis que as minhas expectativas saíram frustradas, ao ponto de nem sequer perceber qual o sentido da convocação de uma CI, por algo que poderia muito bem ter sido dito através de nota ou comunicado oficial, sem recurso à mediatização que Bruno de Carvalho achou merecer. Não mereceu...

Se, por um lado, convergimos todos na ideia de que o Presidente estaria "obrigado" a dizer algo, face ao ocorrido, por outro, anuímos que o Presidente - que muito falou, como é seu apanágio - passou completamente ao lado do ponto de ordem. A ponto de semear, ele próprio, mais desordem.

De toda a CI, que fiz questão de voltar a ouvir, a única coisa que se pode dizer ter sido mais assertiva terá sido acerca dos jornalismo, das fontes jornalísticas e daquilo a que ele chamou "papagaios", e a que costumo eu chamar fetichistas do microfone. Há demasiados anos que o Clube se rege muito pela autofagia, e disso fazem exemplos crassos esta CI (e a demanda interminável do Presidente pelo seu próprio mediatismo), bem como as opiniões assacadas a inúmeros "ilustres" Sportinguistas - às tantas, sempre prontos a mandar bicadas no próprio Clube, ao contrário do que acontece noutros rivais, chegando ao ponto de chamar a isto uma "democracia salutar de que nos orgulhamos"! Já quanto ao jornalismo, e sabemos perfeitamente que uma grande quantidade dos jornalistas da nossa praça faz notícia e opinião "de luvas" (se é que me entendem), basta por exemplo ouvir Pedro Sousa, ex-assessor de comunicação do Clube, especialista recolector das "fontes" que lhe chegam aos ouvidos, que está sempre pronto a vomitar inside information do Sporting Clube de Portugal mas, ao invés, guarda para si mesmo o mesmo tipo de informações relativas aos dois mais directos rivais, SL Benfica e FC Porto, com quem - sei eu - se tem dado "maravilhosamente" desde que saiu de Alvalade. Adiante...

Tão ou mais lamentáveis que as manobras jornalísticas, a que nenhum de nós fica indiferente, foi o próprio discurso de Bruno de Carvalho. Fútil, supérfluo, vazio... Das muitas indirectas, a que já nos habituámos quando se trata de quem se trata, não concretizou absolutamente nada, ao jeito de um qualquer Octávio Machado ("vocês sabem do que estou a falar"), e - pior - não colocou um ponto final naquela que seria a resposta da noite: Marco Silva, afinal, continua? O tabu presidencial permanece, sublinhando cada vez mais a ideia de que o Treinador será "carta fora do baralho", mal acabe o último jogo oficial, ganhe-se ou perca-se a Final da Taça de Portugal. Não será propriamente um "tiro no porta-aviões", mas destruirá com certeza a frota que pretendia construir no início da época, quando assinou por 4 épocas com o ex GD Estoril-Praia. A Conferência de Imprensa foi um total acto falhado, e que só não deu (ainda) mais pano para mangas muito devido aos acontecimentos sintomáticos desta noite de Domingo, em plena Lisboa do Séc. XXI.

Bruno de Carvalho continua a falhar redondamente, no capítulo da comunicação - aquela que é, desde sempre, a sua maior pecha, por mais empresas especializadas que contrate para o efeito...

Sublinhar também, como nota final, a descontextualização de que tantos jornalistas (?!) são useiros e vezeiros - e em que fazem cair alguns colegas, como o Leão de Alvalade no A Norte: Bruno de Carvalho não "acusou" Marco Silva da falta de telefonema nenhum a desmentir coisa nenhuma, como quiseram vender as redacções dos jornais. Pelo contrário, reforçou que "nem teria que o fazer, de tão ridículo". Às vezes a vontade de atacar as pessoas é tão grande que se sai do registo crítico apenas para se entrar noutro registo pior: o do bota-abaixismo barato. É uma questão de princípio, e de princípios...

Errata: A frase, ipsis verbis, é «Hoje saiu uma notícia num jornal, que o Marco Silva já desmentiu, e fez muito bem, mas não houve um telefonema do Treinador do Sporting ao Presidente, a falar directamente e a desmentir directamente. O que considero normal, porque está 100% focado em vencer o jogo de amanhã! E é isso que os Sportinguistas querem.»

"Aqui não há Marcos com macaquinhos", e já estamos todos fartos deste novo capítulo verde-e-branco da História Interminável, que depois de chegar ao fim há-de voltar ao princípio, eternamente, agrilhoados ao "Feitiço do Tempo", agarrados ao Marco e ao Bruno, o Bruno e o Marco, o Marco e o Bruno, etc., etc., etc. ... Até dia 28 de Junho!

17/05/2015

Leão sedento verga Braga em Alvalade (4-1)

Árbitro
Carlos Xistra

Assistência | Média (Casa)
36 912 | 30 919

Titulares: Rui Patrício (cap.); Miguel Lopes, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva e João Mário; André Carrillo, Nani e Fredy Montero.
Suplentes: Marcelo Boeck; Cédric Soares e Naby Sarr; André Martins; Carlos Mané; Junya Tanaka e Islam Slimani.
Fora da Ficha de Jogo: Oriol Rosell.
Treinador: Marco Silva.

Golos:
  • 13' - Golo de Felipe Pardo (0-1). Na conversão de uma grande penalidade, a castigar falta de Tobias Figueiredo sobre Luiz Carlos (bem assinalada) na área dos leões
  • 45' + 1 - GOLO de Adrien Silva (1-1). Na conversão de uma grande penalidade, a castigar obstrução de Dolly Menga a André Carrillo (algo forçada), na área dos bracarenses. É o 7.º golo do médio no Campeonato, e o 9.º em toda a época.
  • 52' - GOLO de Tobias Figueiredo (2-1). Canto de Nani da esquerda, cabeçada de William Carvalho junto ao segundo poste, defesa apertada de Matheus e a bola a sobrar para Tobias Figueiredo que encheu o pé. É o 2.º golo do central no Campeonato, e o 3.º em toda a época.
  • 74' - BIS de Adrien Silva (3-1). Após um canto da direita, marcado por André Carrillo, a bola sobra para Adrien Silva, à entrada da área, que remata sem hipóteses parra Matheus. É o 8.º golo do médio no Campeonato, e o 10.º em toda a época. 
  • 90' + 4' - GOLO de Islam Slimani (4-1). O argelino volta a marcar no regresso aos relvados, correspondendo a um excelente cruzamento do inevitável André Carrillo. É o 12.º golo no Campeonato, e o 14.º em toda a época.
Substituições:
  • 58' - Entra Islam Slimani, sai Fredy Montero
  • 68' - Entra Cédric Soares, sai Jefferson. Por lesão. Miguel Lopes deriva, assim, para a lateral esquerda. 
  • 83' - Entra Carlos Mané, sai Nani. Para a ovação da tarde!
Disciplina:
  • 12' - Cartão amarelo para Tobias Figueiredo. Por cometer penalty sobre Luiz Carlos. É o 2.º cartão amarelo do central  no Campeonato, e o 3.º em toda a época. 
  • 25' - Cartão amarelo para Nani. Por travar Luiz Carlos, num contra-ataque dos bracarenses. É o 10.º cartão amarelo doe xtremo no Campeonato, e o 12.º em toda a época.
  • 39' - Luiz Carlos corta a bola com o braço, à entrada da área dos bracarenses. No limite, poderia ter visto o 2.º cartão amarelo (e consequente expulsão), embora se conceda que tal decisão seria demasiado rigorosa. 
  • 43' - Cartão amarelo para Jefferson. Por protestos. É o 8.º cartão amarelo do lateral no Campeonato, e o 10.º em toda a época. 
  • 59' - Cartão amarelo para Felipe Pardo, por alegadamente simular nova grande penalidade. Miguel Lopes faz, de facto, falta sobre o peruano. Penalty por assinalar.
  • 62' - Cartão amarelo para William Carvalho. Por falta sobre Luiz Carlos. É o 10.º cartão amarelo do médio no Campeonato, e o 13.º em toda a época.

Iniciados: Leões vencem Benfica, no Seixal, e sagram-se Campeões Nacionais do escalão

O Sporting CP sagrou-se Campeão Nacional de Iniciados ao bater o SL Benfica por 1-2, no Seixal, com um golo nos últimos minutos da partida.

Rodrigo Vaza adiantou os leões no marcador, mas o SL Benfica respondeu bem e Tiago Dantas conseguiu a igualdade. Com o encontro a terminar, Tiago Rodrigues foi melhor do que a defensiva encarnada e fez de cabeça o golo da vitória leonina, que, para além dos três pontos, ofereceu o Título ao Sporting CP.

O equilíbrio foi a nota dominante num encontro que o Sporting CP precisava obrigatoriamente de vencer para ascender ao primeiro lugar da tabela classificativa e conquistar o Título de Campeão Nacional de Iniciados. Embalados pela sede de vitória, foram os leões a abrir as hostilidades, perto dos dez minutos de jogo, com Tiago Rodrigues, no interior da área, a obrigar Tiago Silva a uma defesa apertada. Pouco depois, foi Bernardo Sousa quem encontrou espaço à entrada da área para chutar, mas o guardião encarnado voltou a agarrar. O SL Benfica respondeu por Mário Ferreira, que entrou na área e atirou para defesa de Tiago Simões. O jogo passava por uma fase sem lances de perigo, onde todos as jogadas contavam e a garra leonina começava a vir ao de cima. Na sequência de um pontapé de canto, Diogo Brás cabeceou à barra, naquela que foi a melhor oportunidade do primeiro tempo. Antes do intervalo, Sérgio Velosa ainda obrigou Tiago Silva a nova defesa, mas a igualdade a zero manteve-se até ao descanso.

O segundo tempo iniciou-se como decorreu o primeiro: equilibrado, bem disputado e com lances de parte a parte. Tiago Rodrigues caiu na área num lance que deixou algumas dúvidas e, do outro lado, Mário Ferreira rematou contra a defensiva leonina, já no interior da área. Aos 50’, o melhor ataque veio da defesa: a realizar uma partida irrepreensível, Rodrigo Vaza surgiu nas alturas e, na sequência de um canto batido por Diogo Brás, cabeceou para o primeiro da partida, dando aos leões a preciosa vantagem de que necessitavam. Mal houve tempo para festejar porque, na resposta, Mário Ferreira percorreu todo o flanco esquerdo e cruzou ao segundo poste, onde apareceu Tiago Dantas a fazer a igualdade. O Sporting CP precisava de ganhar e retirou Bernardo Sousa para colocar Paulo Rodrigues, passando a ter mais gente na frente de ataque. Depois de algumas tentativas, chegou o momento esperado: com o encontro a terminar, os leões retribuíram ao SL Benfica o tratamento dado no jogo da primeira volta e chegaram ao golo da vitória, com Tiago Rodrigues a cabecear para o fundo das redes, e a rebentar a festa junto dos muitos Sportinguistas presentes no Seixal.

Com esta vitória, o Sporting CP terminou o Campeonato na primeira posição, com 15 pontos, à frente do SL Benfica, com 13 pontos, do FC Porto, com sete pontos e Anadia FC, com zero.

PARABÉNS, CAMPEÕES!!!

Formação: Equipa B leonina deixa-se empatar ao cair do pano | Juniores leoninos deixam-se empatar no derby (1-1) e fecham campeonato no 2.º posto | Juvenis leoninos esmagam GRAP

  • Equipa B (Segunda Liga
O Sporting B recebeu o Marítimo B, esta manhã de Domingo, em jogo a contar para a Jornada 45 do Campeonato Nacional da Segunda Liga. O encontro terminou com um empate a uma bola, apesar da vantagem leonina ao longo de grande parte do encontro.

Nos primeiros minutos da primeira-parte, a partida foi muito equilibrada, com poucas oportunidades para ambas as equipas. Aos 17 minutos, na sequência de uma falta sobre Mica Pinto, Ousmane Dramé, do lado esquerdo, marcou um livre perigoso para os leões mas a defesa adversária conseguiu aliviar. A equipa verde-e-branca começava a organizar-se e a apostar nas jogadas construídas. Aos 31 minutos, Diego Rubio recebeu a bola de Cristian Ponde, arrancou em velocidade em direcção à baliza adversária, fintou o guarda-redes insular e fez o primeiro e único golo do primeiro tempo.

Dez minutos depois do reatamento, Ousmane Dramé, do lado direito, conduziu o esférico até à entrada da grande área adversária, com um passe para Mica Pinto que surgiu do lado esquerdo a rematar por cima da baliza do Marítimo B. Três minutos depois, o Sporting B voltou a perder uma oportunidade de aumentar a vantagem, com Ousmane Dramé isolado em frente ao guarda-redes adversário a falhar o remate. O Sporting B dominava por completo mas, em cima dos 90 minutos, e contra a corrente de jogo, António Carlos aproveitou uma grande penalidade cometida por Ramy Rabia sobre Marcos mas restabelecer o empate e dar contornos injustos ao resultado. Os leões ainda procuraram reagir mas já não foram a tempo de evitar a repartição de pontos na penúltima jornada da Segunda Liga.

Com este resultado, os comandados de João de Deus baixaram para o sexto lugar do Campeonato Nacional da Segunda Liga com 75 pontos, a dois do trio perseguidor do líder CD Tondela composto por SC Covilhã, CF União e GD Chaves.

Na próxima jornada - a última - os leões deslocam-se ao reduto da formação secundária do SC Braga, no próximo fim-de-semana, ainda sem calendarização definida.

  • Juniores (Campeonato Nacional - Fase Final)
O Sporting CP empatou com o SL Benfica na Academia, em Alcochete, num encontro em tudo semelhante ao da primeira volta, onde só os leões tentaram ganhar.

Para conquistar o Título Nacional de Juniores, a formação de Luís Boa Morte dependia de uma não vitória do FC Porto em Barcelos e precisava de bater o SL Benfica. Os leões empataram, o FC Porto ganhou, e o Sporting CP terminou, assim, em segundo lugar na tabela classificativa.

A precisar da vitória para ser campeão como quem precisa de ar para sobreviver, os leões entraram na partida com uma atitude dominadora. Muito pressionante, o conjunto de Luís Boa Morte encostou o SL Benfica ao seu meio-campo e tomou conta da posse de bola. Os encarnados limitavam-se a travar as ofensivas leoninas, não conseguindo avançar no terreno com a bola controlada, fruto da alta pressão exercida pelo Sporting CP, o que permitia aos leões um elevado número de recuperações de bola no meio-campo adversário. O primeiro lance de perigo até foi do SL Benfica, com Flávio Silva a cabecear ao lado, na sequência de um livre bombeado para a área leonina, mas a partir daí só deu Sporting. Na resposta, Bruno Wilson cabeceou ao lado do alvo, depois de um livre batido por Matheus Pereira. Pouco depois, Rafael Barbosa conseguiu um excelente lançamento para as costas da defensiva adversária, aproveitado por Lisandro Semedo, que recebeu a bola na área e atirou por cima, com muito perigo. Os leões não tiraram o pé do acelerador e demonstravam ser a única equipa interessada em vencer, perante um SL Benfica concentrado apenas em defender e reduzido ao seu meio-campo. Perto do intervalo, Matheus Pereira teve nos pés a melhor oportunidade do primeiro tempo, mas respondeu ao cruzamento de João Serrano com um desvio a raspar o poste. À descida para os balneário, o marcador registava o nulo de golos, mas não reflectia a superioridade leonina em campo.

O segundo tempo começou como o primeiro e Matheus Pereira deixou o primeiro aviso, com um remate cruzado que saiu por cima da baliza defendida por Rafael Lopes. À passagem do minuto 54, os leões materializaram, finalmente, a vantagem em campo, com Matheus Pereira, de livre directo, a bater o guardião encarnado. O jogo era verde-e-branco e Rafael Barbosa, cinco minutos mais tarde, obrigou Rafael Lopes à defesa da partida. O SL Benfica tentava reagir, mas raramente se aproximava com perigo da baliza de Pedro Silva. Do outro lado, os lances de golo sucediam-se, mas a bola não entrava: primeiro, Matheus Pereira desviou à boca da baliza, mas Rafael Lopes defendeu; de seguida, foi Lisandro Semedo a atirar, já no interior da área, com a bola a passar bem perto do poste esquerdo encarnado. O jogo estava controlado pelos leões, mas, a três minutos do fim, Ivanildo Fernandes viu o segundo amarelo e deixou o Sporting CP reduzido a dez elementos. Em superioridade numérica, o SL Benfica lá saiu do seu meio-campo e, numa jogada rápida pela esquerda, chegou ao empate, com Jesse Sekidika a bater Pedro Silva.

No final do encontro, os encarnados fizeram a festa com a igualdade, estando a desilusão e a tristeza estampadas no rosto dos leões, que mereciam melhor sorte depois de uma exibição digna de um Campeão Nacional.

Classificação & resultados aqui.
  • Juvenis (Campeonato Nacional - Fase de Manutenção - Série D)
A equipa de Juvenis do Sporting CP recebeu e venceu o GR Amigos da Paz, esta manhã de Domingo, em jogo a contar para a Jornada 12 da Série D da Fase de Manutenção do Campeonato Nacional da categoria.

Na primeira-parte, a equipa leonina cumpriu o seu objectivo: desequilibrar o encontro com um número elevado de golos. Jovane Cabral inaugurou o marcador aos oito minutos. 12 minutos volvidos, André Serra faz o segundo tento, para Hélder Almeida aumentar a vantagem para 4-0 ao minutos 24 e 25. A fechar o primeiro tempo, a equipa verde-e-branca ainda apontou mais dois golos por intermédio de Jovane Cabral e Rafael Leão.

No reatamento, o GR Amigos da Paz encontrava-se ainda mais desorganizado e menos motivado. Os leões aproveitaram esta partida frente a um adversário mais fraco para apostar tudo no trabalho ofensivo e na finalização. No segundo tempo, os comandados de João Couto aumentaram a vantagem para 15-0.

Rafael Leão e Mohamed Djamanca bisaram, Jovane Cabral, David Teles, Tiago Palancha, Leonardo Almeida e André Franco apontaram os nove golos do segundo tempo.

Com este resultado, o Sporting CP soma 76 pontos e mantém-se no primeiro lugar da tabela classificativa.

Na próxima jornada, agendada para as 11h do próximo dia 24, Domingo, os leões deslocam-se ao reduto da formação do SG Sacavenense.

Classificação & resultados aqui.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Web Hosting Coupons