Próximo Jogo

Próximo Jogo

12/10/2011

E se.... Yannick voltasse?

Confirmada a decisão do Tribunal Arbitral de Desporto (TAS), que validou a sentença da FIFA em não aceitar a inscrição de Yannick pelo OGC Nice, o clube francês afirma que o avançado português vai regressar ao Sporting CP.

«Defendemos os nossos direitos até ao fim e a decisão [do TAS] foi negativa, portanto, o jogador volta a ser do Sporting CP. Temos que aceitar a decisão e que nos conformar. No futuro veremos mas, para já, ele volta ser jogador do Sporting CP», disse o director geral do OGC Nice, Julien Fournier, frisando que «administrativamente», Yannick continua a ser jogador do clube português.

De acordo com a "Bola Branca" (Rádio Renascença), o Sporting CP não aceita o regresso de Yannick Djaló, que viu a sua transferência para o OGC Nice ser invalidada. Segundo informa uma fonte do emblema leonino contactada pela Rádio Renascença, Yannick tem contrato assinado com o OGC Nice e o Sporting CP não aceita o jogador de volta, que não está inscrito em nenhuma prova pelos leões.

Em declarações à Renascença, o dirigente do Nice admite uma eventual transferência em Janeiro: «Estávamos muito interessados em Julho mas, no dia de hoje, tudo se resume a nada. Foi o que falámos com o Sporting e com o jogador. Mas é lógico que mantemos o interesse no jogador».

Como acima indicado, e bem, Yannick Djaló, neste momento, não se encontra inscrito em nenhuma das duas Ligas, a francesa ou a portuguesa, pelo que não poderá jogar até à reabertura do Mercado de Transferências a 1 de Janeiro do próximo ano - ponto assente.

Assim, não encontro qualquer lógica na vontade expressa dos dirigentes do OGC Nice em fazer regressar o jogador a Portugal e ao Sporting CP. Teria o mesmo efeito prático que ficar em Nice até à abertura do próximo período de inscrições - nenhum!!!

Não querendo desconfiar (mas já desconfiando), parece-me que o OGC Nice, com ou sem interesse factual no jogador, não o tentará resgatar em Janeiro. Caso contrário, para quê devolver o internacional-A português à procedência?

Estranho.... muito estranho! Imbróglio bicudo à vista...

Obviamente, espero uma reacção firme do Sporting CP, em sede própria, salvaguardando os seus ("nossos") interesses. Financeiros... e, já agora, desportivos também!

Post Scriptum: De acordo com o jornal O JOGO (clicar para ler notícia), fazendo menção à agência Lusa, que por sua vez interpelou Pedro Sousa sobre o assunto, "o Sporting fez um contrato de transferência com o Nice e ao mesmo tempo um contrato de rescisão com o jogador, na véspera do último dia de inscrições", "neste momento, não está inscrito nem na Liga portuguesa nem na Liga Europa pelo Sporting".


Pedro Sousa explicou que o extremo formado nas escolas do clube de Alvalade esteve mais de 12 horas em França, no último dia de inscrições, para poder chegar a acordo com o Nice, assinar contrato e ser oficializado na FFF.
 
Não é preciso dizer mais nada, pois não?!
 
Já agora, o jornal O JOGO refere-se a Pedro Sousa como Director de Comunicação do Sporting; não era a Irene Palma?!
Partilhar:

14 comentários:

  1. Mas se subitamente houvesse um clube qualquer que desse 10M€ pelo Djaló, os Franciús iam querer parte do guito ! Ou não ?

    ResponderEliminar
  2. Jorge Mendes trata lá disso.

    ResponderEliminar
  3. Eles querem abortar o negócio, devolvê-lo ao Sporting, onde fica mais uns mesinhos a desvalorizar sem poder jogar, para depois o virem comprar por 50centimos...

    Sinceramente acho que para começar o Sporting não devia aceitar abortar o negócio feito. De maneira nenhuma. Se por acaso houvesse algum regulamento que permitisse ao Nice levar a devolução do jogador avante, acho que o melhor a fazer era re-integrar o Yannick no plantel, e protegê-lo das bancadas ao início, dar-lhe a confiança necessária, para voltar a ser útil...

    ResponderEliminar
  4. Paulo,

    Partindo do princípio que alguém daria 10M € (?!?) por Yannick Djaló, ainda por cima visto não jogar até Janeiro, e partindo do princípio que o(s) contrato(s) entre o Sporting e o OGC Nice e Yannick Djaló e o OGC Nice ficam sem efeito a apartir do momento da recusa do TAS, então o Clube francês não teria direito a um cêntimo que fosse - o passe jogador voltaria a pertencer na totalidade ao Sporting CP, logo....

    Quanto ao Jorge Mendes, não é o empresário de Yannick Djaló!
    A saber, o empresário de Yannick é Lionel da Silva. O que Jorge Mendes pode fazer é (face às suas boas relações no mundo futebolístico) interceder a uma futura venda, como mero intermediário...

    SL

    ResponderEliminar
  5. JPDB,

    Concordando com tudo o resto, vou apenas tentar elucidá-lo num pormenor, se me permite:

    Yannick Djaló não está (nem poderá estar até Janeiro) inscrito na Liga francesa, assim como não está (nem poderá estar até Janeiro) inscrito na Liga Portuguesa, logo, de qualquer das maneiras o jogador ficará sem jogar até à reabertura do Mercado de Transferências.

    Seria um caso à semelhança do que se passou com Marco Caneira, como bem se lembrará...

    SL

    ResponderEliminar
  6. Naturalmente que ninguém daria 10M€, foi uma brincadeira. Mas não duvido que aí,nessa suposição muito pouco realista, o jogador passaria a interessar ao Nice.

    Mas quer me parecer que se o Nice assinou um contrato com o jogador, acordou os termos da transferência com o Sporting, suponho que com contratos e demais documentos, logo, o jogador nunca será do Sporting mas sim do Nice, e tanto quanto me pude aperceber a questão está tão só no atraso da inscrição a tempo e horas, onde o Nice falhou, digo eu que não estou á vontade para falar de assuntos legais.

    Tenho pena é do jogador e da pessoa, e julgo que o que está aqui em causa são os salários, agora, quem é que os paga ?

    ResponderEliminar
  7. Mauro Silva,

    Também é isso que eu acho, mas como o Yannick já tinha actuado tanto na Liga Europa como na Liga Portuguesa, podia haver um mecanismo qualquer que o permitisse voltar a jogar no Sporting antes do Natal.

    Mas pronto, o que é dramático nisto tudo, é o que o jogador (o verdadeiro elo mais fraco desta rábula) está a passar...

    ResponderEliminar
  8. ca pra mim, viram alguns treinos dele e agora constatam q afinal o yannick é um cêpo

    ResponderEliminar
  9. Mauro, não estarás a dar razão ao dirigente do Nice, quando dizes que o contrato é nulo porque não foi aceite pelo TAS? Será esta nulidade suficiente para que a devolução de Djaló seja uma realidade?
    Fico serenamente a aguardar pelo comunicado do SCP a este caso.
    Tenho muita pena pelo jogador, apesar de não o querer de volta, ele não merece a situação em que está, SL

    ResponderEliminar
  10. Paulo Reixa,

    Sim, há contratos assinados, tanto do Sporting para com o Nice como do jogador para com o Nice, portanto é uma questão de legalidade ou ilegalidade, tão só.

    Também não sou nenhum 'expert' na matéria mas, especulando, o busílis da questão é saber quem tem razão; se o Sporting defendendo-se com os contratos assinados (e por isso vinculativos), se o Nice ao afirmar que, face à rejeição do TAS, os contratos ficam sem efeito (e portanto sem qualquer valor legal) - sendo que, neste caso, em princípio seria o Sporting a suportar a carga salarial de Yannick Djaló.

    Para que não hajam mal-entendidos, é apenas um exercício especulativo, pois não sou, nem de perto nem de longe, um entendido na matéria. Muito menos com as particulares especificidades inerentes ao desporto!

    Por último, dizer que, como afirmo na última frase do post, é uma situação que lesa financeiramente o Sporting, mas nem tanto (ou nada) desportivamente!

    Quanto ao jogador, profissioanl e pessoalmente, obviamente que é o maior perderdor deste imbróglio todo. Sinceramente, tenho pena, pois não gostaria de estar na mesma situação em que se encontra, embora saibamos que os jogadores profissionais têm outros tipos de regalias que nós, "meros mortais", não temos!

    ResponderEliminar
  11. JPDB,

    Desconheço completamente se existe tal regime de excepção. Desconfio que não.

    john cena,

    Passou-me pelo pensamento!... ehehe

    Mauro Silveira,

    Se estou a dizer que o Nice tem razão? Não. Afirmo simplesmente que é apenas lógico que assim seja!

    Quanto ao resto, basta ler os meus restantes comentários e encontrarás resposta.

    SL

    ResponderEliminar
  12. Quanto a mim, mesmo sem ser expert na matéria, parece-me que há dois contratos válidos assinados entre o SCP e o Nice, por um lado, e o Djalló e o Nice, por outro.

    O que faltou foi o cumprimento de um formalismo para que a inscrição do jogador tivesse sido aceite na Federação Francesa de Futebol: que essa inscrição tivesse dado entrada até a meia noite do dia 31 de Agosto.

    Essa formalidade não foi cumprida, porque o Nice, por razões que desconheço, apenas enviou a última das páginas do contrato já passavam alguns minutos da meia noite. Parece que se deveu à demora em acertar os últimos pormenores com o jogador.

    Em que é que isto pode ser imputado ao SCP?
    Se o fax do Nice tivesse avariado o que é que o SCP tinha a ver com isso?
    Se o funcionário encarregue de mandar o fax se tivesse esquecido de fazer a tempo o que é que o SCP tinha a ver com isso?

    Não creio, pois, que o jogador possa ser devolvido ao SCP e o contrato de venda dele ao Nice anulado.

    Parece-me óbvio.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  13. segundo li, a irregularidade está na inscrição do jogador, não nos documentos da transferência. Ora, do meu ponto de vista, é o mesmo que, px, o Pinto da Bosta fez no caso do lateral direito do corinthians, está reservado e pago, mas joga no clube "zuca", enquanto que o xajó está reservado e ?pago? mas não pode jogar em lado nenhum...penso eu de quê...

    ResponderEliminar
  14. JC,

    Entretanto editei o post com um Post Scriptum. Talvez te interesse ler, até porque vai de encontro ao teu comentário...

    Fábio,
    Sim, a irregularidade está na inscrição do jogador e não na transferência do mesmo. A particularidade é que o Nice afirma que tendo a FIFA e posteriormente o TAS rejeitado a inscrição, os contratos ficam sem efeito.
    Julgo eu, este imbróglio irá, novamente parar às mãos da FIFA (e possivelmente do TAS), tanto da parte do Sporting como do jogador, separadamente.

    Quanto à comparação que exemplifica com o FC Porto, digo-lhe desde já que não tem absolutamente nada a ver com o caso de Djaló. No caso do Porto, compraram o jogador com a particularidade de o deixar a jogar no Clube vendedor mais meio ano. No caso de Djaló, o jogador rescindiu com o Sporting para assinar com o Nice, logo não é jogador do Sporting (nem está inscrito em nenhuma competição), o que implica que, caso volte, não possa jogar na mesma. E não, Yannick Djaló não está pago, nem de perto nem de longe!

    SL

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!