Próximo Jogo

Próximo Jogo

29/11/2011

Sporting C.P. vs F.C. Zurich - Antevisão


Escolha de jogadores:

Jogava com o Rui Patrício na baliza, o João Pereira e o Emiliano Insua nas laterais, com o Oguchi Onyewu a fazer dupla com o Daniel Carriço no centro da defesa.

No meio-campo, o André Santos em duplo pivot com o Stijn Schaars, ficando o André Martins á frente deste duo.

A cair nas alas, punha o Bruno Pereirinha, na direita, testando o André Carrillo do lado esquerdo do ataque.

No centro do ataque, colocaria o jovem Diego Rubio como opção inicial para a partida.

Para o banco, optava pelo Marcelo Boeck, Evaldo e Anderson Polga, João Carlos (júnior), Diego Capel, Valeri Bojinov e Ricky van Wolfswinkel.

Portanto:

Patrício, João, Onyewu, Carriço, Insua; André, Schaars; Pereirinha; Carrillo, Rubio.

Razões da escolha:

- Dupla de centrais: a meu ver, e apesar do Polga andar a ter um rendimento bastante positivo (apenas falhou, tal como o Daniel, nas bolas paradas do jogo contra o Marítimo), esta é a dupla de centrais. Para a temporada e, provavelmente, para o próprio futuro do Sporting. Custa-me apostar numa dupla de centrais com dois trintões, sem capacidade de progressão desportiva nem de valorização financeira para o futuro. Tendo características e qualidade semelhante á do Polga... entendo fazer sentido a apostar no DC3.

- Meio-campo: O duplo pivot seria, exectamente, para impedir que jogasse ali o Carriço num jogo deste grau de dificuldade (será talvez importante para a partida com o Belém, porque jogam muito com passes directos e cruzamentos). Discordo de quem diz que o André Santos não resulta a médio-defensivo, mas acho que no modelo de Domingos (onde a primeira linha do meio-campo está bem longe da segunda), não resulta. Portanto, um duo de médios (na posição 8, não na 6) a comandar o ritmo da equipa. E o André a 'acelerar' e a romper (á Elias).

- Alas e frente de ataque: O Pereirinha na direita é para duas coisas: dar mais consistência e posse de bola ao meio-campo ofensivo (aproximando-se, também, da zona de acção do André Martins); e possibilidade ao Carrillo de actuar na esquerda, onde me parece poder render mais, aproximando-se assim muito do Rubio. Muitas vezes, seria um quarteto de médios (com o duo na zona 8, e AM e BP na zona 10 - com os laterais a explorarem as alas) e um duo de avançados (Carrillo e Rubio). A opção pelo chileno justifica-se na medida em que a equipa está confiante, os adeptos estão com o conjunto, e acho uma boa altura para apostar no miúdo.

Conclusões:

Quero um Sporting a jogar no meio-campo adversário. Os centrais nbem á frente (com Carriço, a assumir mais a saída de bola que Onyewu), com uma linha seguinte com o André e o Schaars, no centro, a circular de forma segura (para garantir manutenção da bola). Mais á frente, Pereirinha e A. Martins a tentarem acelerar o jogo (com o Bruno a procurar mais dar uma linha de passe curta aos de trás), com Carrillo e Rubio a romperem, e J. Pereira e Insua a aproveitarem os espaços laterais (mais vazios sem Capel).

Uma equipa que provavelmente nos garantiria uma boa saída de bola desde trás (Carriço), um critério na circulação, com privilégio á segurança nas fases imediatamente seguintes (André, Stijn, Bruno), e depois uma aceleração de André Martins e Carrillo (especialmente este), com Rubio sempre em movimento, procurando os espaços vazios.
Partilhar:

2 comentários:

  1. Acho que era uma boa oportunidade para Domingos mudar a tactica para 4/4/2.
    Jogaria com: Marcelo, Joao, Oneywu, Carriço, Insua, meio centro A. Santos, Scharrs, nas alas Pereirinha, Capel, e no ataque Rubio, e Bojinov.
    Caso no decorrer do jogo as coisas nao estivessem a correr bem entao descaia para uma ala Bojinov e Pereirinha recuava para o centro juntando-se a A. Santos e Scharrs.
    Se apostar nop Polga para o centro com Oneywu entao Arias entrava para o lugar de Joao, para começar a ganhar mais confiança, porque com estas noticias da possivel saida do Joao temos que preparar ja um substituto.
    Se na segunta parte o jogor estiver praticamente ganho ai apostar nos juniores uns 10 ou 15 minutos.

    ResponderEliminar
  2. Martucho,

    Eu também apostaria numa mudança táctica, mas não para o 4-4-2 (até porque na Liga Europa não há Elias - preponderante nas manobras tanto defensivas como ofensivas). Apostaria num 4-1-3-2, com Marcelo Boeck na baliza, João Pereira, Oguchi Onyewu, Daniel Carriço e Emiliano Insúa, Stijn Schaars, André Martins, Diego Capel e Bruno Pereirinha, com o mesmo Ricky van Wolfswinkel na frente apoiado por Valeri Bozhinov...

    Santiago Arias nem sequer está convocado para este jogo...

    Quanto aos juniores, talvez apostasse no João Mário e no Chaby, mas não mais que 10 minutos e se o jogo estivesse a correr de feição, caso contrário, só numa perspectiva de risco, perante os processos da equipa...

    No entanto, não posso deixar de fazer a ressalva ao post do Gonçalo, e à equipa que sugere, com a qual concordo por inteiro, sistema táctico incluido! Pese embora a indisponibilidade do Carrillo, que o Gonçalo ainda não sabia à altura da publicação...

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!