Próximo Jogo

Próximo Jogo

11/01/2012

Elias, Matías e… mais um:

 
Um novo paradigma:
 
Para o clássico, tendo em conta as características da partida e do adversário, bem como a ausência de ritmo de Matías Fernandez, fiz um post em que referi que faltava encontrar mais um parceiro para o duo Schaars & Elias.
Para a partida de amanhã, frente ao Nacional da Madeira, em Alvalade, entendo que há dois jogadores imprescindíveis na segunda linha do meio-campo: o brasileiro Elias Trindade e o criativo chileno Matías Fernandez.
 
Quais as opções para a posição 6?

- Renato Neto: É um médio-defensivo que, pessoalmente, ainda considero algo verde para a titularidade. Tem uma dimensão física muito significativa (e importante), sabendo-a já usar bastante bem, mas ainda fica algo perdido em campo. Considero que tem um grande futuro á sua frente como médio-defensivo, e quando perceber melhor o que deve fazer em campo nos momentos em que não tem a bola e que não requerem duelos físicos, alcançará um grande nível.
- Stijn Schaars: O jogador holandês tem actuado numa segunda fase do meio-campo, mas com um Matías Fernandez plenamente apto e que acrescenta criatividade e capacidade de “inventar” espaços, e com um Elias Trindade que é tão só o melhor médio da equipa, pode estar aqui a solução para o lugar até o regresso de Rinaudo. Lê muito bem o jogo, está sempre bem posicionado, sempre atento a espaços deixados pelos colegas, e sabe impor a capacidade de choque e a presença física que tem.
 
A minha escolha:

Pessoalmente, optaria por Stijn Schaars como médio-defensivo para esta partida, atrás do duo Elias-Matías.
Acho que defensivamente não perde muito para o Renato (apenas os centímetros, mas também está mais em jogo, sempre no sítio certo, e sempre atento aos “buracos” deixados pelos laterais), e ofensivamente acrescentará bastante.
Além disto, acho que o Elías e o Matías se poderão entender muitíssimo bem jogando lado a lado, e o chileno poderá dar o Sporting a criatividade e a capacidade de atacar pelo centro que a equipa, por ora excessivamente dependente das incursões ofensivas dos laterais e dos extremos, ainda não tem.
Partilhar:

14 comentários:

  1. Penso claramente que stjin schaars é a melhor solução para ocupar a vaga 6. No entanto deixo aqui uma sugestão. Tendo em conta a boa meia distância de schaars, e o a fraca capacidade de finalização de elias, porque não elias a 6? mas claramente esses 3 são os mais fortes!

    ResponderEliminar
  2. O Scharrs, mais nao como 6, podemos jogar em 4-2-3-1 com Scharrs lado-a-lado com Elias, quando um subisse ficava o outro e os adversarios ficariam muito baralhados na hora das marcaçoes porque hora vinha um hora outro, e Domingos no decorrer do jogo pode fixar qualquer um deles a 6 fazendo subir o outro a 8. Matias numa linha com os alas sendo este a chegar mais vezes a frente sem receios pois tem uma rectaguarda confiavel.
    Mais por mim deveria-mos poupar Capel e Carrilo pois o proximo jogo necessitamos deles em forma e parece que estao um pouco cansados, principalmente Capel, e vendo que os restantes jogadores ja estao voltando das lesoes e hora de carrilo voltar ao banco e entrar apenas na segunda parte dos jogos para trazer mais velocidade e desiquilibrios no jogo.
    Por mim poderia-mos entrar da seguinte maneira:
    Rui Patricio, Arias, Oneywu, Polga, Evaldo, Scharrs, Elias, Matias, J. Pereira, Insua, Wolfswinkel.

    ResponderEliminar
  3. O Sporting, quando fica a perder por 0-1, revela sempre muita dificuldade em dar a volta ao resultado.
    Consequentemente, não é conveniente apresentar um meio campo demasiado ofensivo, pois assim a defesa fica muito vulnerável.
    Por outro lado, não é por jogar com 5 jogadores de características ofensívas, que se ganham mais facilmente os jogos.
    Assim, proponho a seguinte equipa, com os jogadores disponíveis, em 4-3-3:

    Patrício;
    João Pereira, Onyewu, Polga, Insúa;
    Elias, Renato Neto, Schaars;
    Carrillo, Wolfswinkel, Capel

    DUARTE

    ResponderEliminar
  4. Anónimo,

    Muitas vezes vejo sugerir-se o Elias para a posição de médio-defensivo, num meio-campo com o triângulo habitual. Eu não concordo de todo. Por algumas razões:

    1) O Schaars é médio-defensivo de raiz, tendo sido "adaptado" a médio-centro. O Elias até começou a sua formação como segundo avançado.

    2) O Schaars, fisicamente, tem mais poder de choque e uma presença física mais dominadora que o Elias;

    3) Defensivamente, o Schaars é um jogador que se posiciona bem, que sabe cobrir os colegas. O Elias também o faz, mas não lê o jogo tão bem.

    4) Ofensivamente, o Elias dá muito mais imprevisibilidade e velocidade á equipa que o Schaars. O Schaars tem qualidade de passe, mas é previsível. Coloca quase sempre a bola nas linhas. O Elias consegue acelerar o jogo, aparecer na área, romper o muro adversário...

    5) O Schaars tem uma meia-distância razoavelmente boa, mas não acho brilhante. Ou melhor, não acho que seja um jogador que procure muito finalizar os lances. Se atendermos ás suas carreiras, o Elias tem muito mais golos que o holandês. Está a ter azar na finalização, mas é jogador para aparecer na área e marcar golos. Mais que o SS (que pode usar a sua meia-distância também jogando a 6, como o Veloso fazia).

    ResponderEliminar
  5. martucho,

    É uma solução que ponho algumas reticências. Ter um dos médios a jogar na linha dos alas obrigaria a que o duplo pivot jogasse a médio-centro, para não haver um espaço demasiado significativo entre eles.

    E o Sporting jogaria sem médio-defensivo, o que não me parece uma boa hipótese.

    Por exemplo, o Porto utiliza um duplo pivot no meio-campo. Mas jogam os dois (Fernando e Moutinho) na posição 6, com o Bellushi na posição 8, e com os alas ligeiramente mais á frente.

    Isto é, para utilizar um duplo pivot e manter sempre um jogador a médio-defensivo, os jogadores que estão á frente desse duo terão sempre de recuar, caso contrário abre-se um buraco entre eles.

    Quanto ás poupanças, discordo por completo. Por duas razões:

    1) O jogo de hoje é muito provavelmente um dos mais importantes da temporada. Ganhar a Taça de Portugal é absolutamente fulcral e indispensável.

    2) Quer ganhemos, quer empatemos, quer percamos em Braga (e eu acredito que vamos ganhar, claro!), acabaremos o Campeonato á frente deles. Porque faremos, na segunda volta, mais pontos que o que fizémos na primeira, e porque eles farão menos pontos que os que fizeram nesta.

    ResponderEliminar
  6. Duarte,

    "Por outro lado, não é por jogar com 5 jogadores de características ofensívas, que se ganham mais facilmente os jogos."

    Sem dúvida. Mas ajuda, se quiseres assumir a iniciativa do jogo, dominá-lo e criar situações de golo.

    Com esse meio-campo, parece-me que os problemas que temos evidenciado se manteriam: incapacidade de desequilibrar pelo meio, atacando sempre pelas alas.

    ResponderEliminar
  7. No meu ponto de vista, um jogador adaptado - independentemente da sua qualidade - é sempre um problema para a equipe. Contudo, julgo que neste post se levanta uma questão interessante: Schaars ou Renato Neto? Isto tendo em linha de conta que o Elias Trindade e o Matias Fernandez serão titulares. Bom, eu sou apologista em se jogar com o Schaars na posição anteriormente ocupada pelo Rinaudo. Porém, o que me preocupa é semana após semana debater-se este assunto. Por vezes, debate-se este assunto não apenas para o meio-campo leonino, como também para outros sectores da equipe. Julgo que uma equipe precisa de estabilidade e essencialmente de rotinas. Todos sabemos que temos sofrido contrariedades através de lesões (Matias, Izmailov, Rodriguez, Rinaudo,Jeffrén) contudo, importa definir - dentro das nossas possibilidades - um esboço do "onze titular". Mais do que seleccionar o “onze” tendo em consideração as características individuais do atleta, gostaria de ver o “onze” a ser seleccionado como consequência das rotinas adquiridas ao longo da época. Um Sporting com rotinas tácticas poderia por um lado fazer sobressair a qualidade individual, assim como, omitir alguma fraqueza individual.

    Com os meus cumprimentos.

    ResponderEliminar
  8. Subscrevo todas as considerações do Gonçalo, tanto no post como nos posteriores comentários.
    E no jogo de hoje não é mesmo para haver poupanças.
    O jogo da segunda mão na Madeira é tremendamente dificil razão pela qual temos de conseguir o melhor resultado possivel hoje.
    É que a Taça é mesmo para ganhar e não pode haver facilitismos de espécie alguma.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  9. Gonçalo, sabendo que ambos podem jogar a 6 ou a 8, quando um subisse para a posiçao 8 o outro ficaria na posiçao 6 e ai nao teria-mos um buraco no meio.
    Fizeste a comparaçao do porto tem 2 pivot e um 8, pois quando um sobe para a posiçao 8, o Bellushe continua na mesma posiçao(8)? acredito que nao vai para 10 e ai nao fica na mesma linha que os alas?

    ResponderEliminar
  10. Zézé,

    As rotinas têm sido muito discutidas aqui.

    De elogiar:

    - o Sporting, ao contrário da temporada passada, quer ter a bola em sua posse.

    - a equipa defensivamente está muito mais segura e equilibrada, os processos estao mais consolidados e são bons.

    A melhorar:

    - a distância entre a primeira e a segunda linha do meio-campo no processo ofensivo. A equipa perde com isso menos bolas em zona perigosa (defensiva) mas perde capacidade de construir pelo centro do terreno.

    - a somar a esta perda de incapacidade de começar a construir pelo centro, identificada acima, há falta de criatividade no meio-campo. Elias e especialmente Schaars não são jogadores que dêm linhas de passe junto á área, que ataquem as zonas de finalização, que tentem furar os muros defensivos pelo meio

    ResponderEliminar
  11. Temos solucões exelentes para o meio-campo, temos grandes jogadores. Seja para a posicão 6, seja para qualquer outra posição no nosso meio campo. O Elias, médio brasileiro é um criativo, e é energético, caracteristica dos jogadores brasileiros. O Shaars é um médio Holandes, bom passe, um capitão, faz lembrar o Frank Lampard. Depois o Matias, o Renato Neto são ambos solucões francamente viáveis. É isto que se quer, que o sporting tenha bons médios. 4-3-3 é o esquema tático preferivel em que se encaixam o Renato como trinco, o Shaars e o Elias mais á frente. Acho que vamos derrotar o Nacional!

    ResponderEliminar
  12. martucho,

    Sim é verdade. Mas após a perda da bola, teria de haver vários processos de movimentação.

    Por exemplo, no Porto, o Bellushi tem uma optima resposta defensiva: após a equipa perder a bola, ele é rápido a equilibrá-la.

    Isto é, aproxima-se mais rapidamente dos outros médios que o que o Matías (sem ser mau neste aspecto; apenas não é tão bom) faria.

    Eu não tenho nada de especial contra inverter o triângulo do meio-campo, mas, neste Sporting, não me parece que fosse uma mudança que beneficiasse muito a equipa.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo,

    Concordo que temos óptimos médios!

    Não acho que o Elias seja um criativo. É energético, sem dúvida, e não só a nível físico, mas também táctico.

    É um jogador que é rapidíssimo a pensar e a executar: mal a bola lhe chega, ele já sabe o que fazer com ela.

    E por norma faz o que é aconselhável, e fá-lo bem.

    Quanto ao Schaars... não o vejo tão "Lampard" assim. O Lampard tem mais soluções que o Stijn.

    Especialmente no passe: não digo que passe melhor (porque não passa), mas varia mais o tipo de passe que faz, e verticaliza mais.

    Eu acho que o Matías é mais que uma solução viável. Em boa forma física, é uma solução absolutamente única no meio-campo.

    Para quem gosta muito de ver bom futebol, acrescento.

    Quanto ao Renato, não o incluiria nesse lote. Se incluísse, teria de falar do André Martins e até do André Santos.

    Que é uma das únicas soluções para a posição 6, neste momento, é. Mas não é melhor que nenhum dos Andrés.

    É razoavelmente bom (os outros dois, são bons) e pode crescer muito para o futuro.

    Mas, para já... ainda é cedo. Bem cedo.

    ResponderEliminar
  14. Mais uma vez enganaste-te matias vai mas é para a ala que é onde faz falta! Ja estamos a perder 2-0. Grande Polga! Entrou bozhinov para subtituir o infurtunádo wolfswinkel. Ou seja já não há mais ponta lancas no banco. Rubio nem sequer foi convocado... ribas sem ritmo foi para a bancada. Muito bom! Jeffren vem de lesão e é logo titular! Espectáculo! Ainda há muito trabalho para fazer e para quem cria ser já campeão aqui vai um concelho! Tenham paciência!

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!