Próximo Jogo

Próximo Jogo

20/08/2012

Jogo ofensivo: uma ideia (ou duas) para reflectir

Notas
  1. Mais que os jogadores, interessa a ideia - um trio de meio-campo mais aberto, por forma a explorar as alas quando necessário (médios-interiores) e um tridente atacante mais fechado, por forma a dar mais apoio ao ponta-de-lança. Basicamente, um tridente ofensivo que saia de dentro para fora quando necessário e não de fora para dentro, como (raramente) acontece no 4-2-3-1 de Ricardo Sá Pinto.
  2. Ricky van Wolfswinkel pode não ser o melhor ponta-de-lança do Mundo, mas é o possível, e o mais talhado para a posição (Diego Rubio precisa crescer muito ainda, Wilson Eduardo e Valentín Viola não são finalizadores - são mais móveis). Neste 4-3-3 que exponho, Ricky estaria (bem mais) apoiado e, por conseguinte, não teria que se submeter tanto ao esforço de sair da posição para criar linhas de passe e/ou desequilíbrios, além de que, assim, haveria um jogo posicional mais propício ao passe e desmarcação (tabelas).
  3. Em relação ao meio-campo, o duplo pivot ofensivo mais aberto, justifica-se em apoio à subida dos laterais, que teriam que ter a mesma preponderância ofensiva no jogo colectivo. Como já referido os dois avançados de apoio ao ponta-de-lança (no caso, escolhi Jeffrén e Carrillo [poderiam ser outros]), poderiam, em conveniência, descair para as alas, tornando o jogo colectivo mais imprevisível - lateralizado ou central, dependendo da necessidade. O médio-defensivo (ou trinco) escolhido teria de ser mais construtivo (e daí ter escolhido Rinaudo, em detrimento de Gelson)
  4. Somos todos treinadores de bancada. Esta (...) é apenas uma ideia, que obrigaria, obviamente, a outra dinâmica colectiva, outro tipo de movimentações e uma lógica de compensações mais elaborada. Relevar só que esta é uma ideia focada unicamente no jogo ofensivo.
Partilhar:

13 comentários:

  1. Honorio_Fudencio20/8/12 19:09

    Concordo plenamente. Alias, toda a gente ou praticamente toda a gente consegue ver que um dos grandes problemas do Sporting está na qualidade de jogo ofensivo que temos desde que o Sá Pinto entrou. Organização defensiva é excelente, mas a produção ofensiva é fraca, não há movimentos de ruptura , extremos sempre colados à linha etc. Claramente o 4x2x3x1 não é o mais indicado para o plantel que o Sporting tem.

    ResponderEliminar
  2. Sinceramente, acho que qualquer sistema de jogo precisa de criar rotinas para começar a dar frutos.
    Estamos perante uma equipa que ontem apresentou 5 jogadores novos no onze titular e onde apenas Boula e Elias tinham mais de 24 anos de idade.
    Por isso, ao fim da primeira jornada é ainda muito cedo para se analisar o quanto pode render esta equipa neste sistema.
    Uma coisa se nota: a equipa está bem melhor do que nos jogos da pré-época e exibe já assinalável segurança defensiva e boa circulação de bola.

    Se o Sá Pinto estivesse a utilizar o 4-3-3, penso que os problemas de falta de oportunidades aconteceriam na mesma enquanto as rotinas não estivessem criadas.
    Provavelmente, este é o sistema que, nesta fase, dá mais segurança defensiva, e, como sempre ouvi dizer, uma equipa constroi-se de trás para a frente.
    Não me espanta que ao fim de 4/5 jornadas duas coisas comecem a acontecer: primeiro, que esta equipa, neste sistema, comece a produzir mais oportunidades de golo e, segundo, que o Sá comece durante o jogo a introduzir variantes tácticas ao sistema, quiçá utilizando o tal 4-3-3.
    E nem se diga que Sá Pinto não sabe formatar equipas para o 4-3-3, pois que era nesse esquema de jogo que tinha a equipa de juniores a jogar e que tão bons resultados produziu.

    Jarvalho.

    ResponderEliminar
  3. Jarvalho,

    Entendendo o teu ponto de vista, neste momento (e sublinhe-se o neste momento) não me parece sequer que o Sá tenha uma alternativa táctica (quer posicional quer movimentacional) a este 4-2-3-1. Ou não mais que inverter o triângulo do meio-campo (o que quanto a mim ainda é pior, quanto ao que à construção de jogo ofensivo concerne).

    E daí este meu apontamento, o de criar uma (verdadeira) alternativa de jogo, e que engloba as mesmas nuances tácticas que o 4-2-3-1, apenas incrementando o jogo ofensivo (já que o defensivo está bem treinado - parece-me).

    E com isto não quero dizer que o sistema actual ou as ideias do Sá estejam erradas e que eu esteja certo por contra-ponto. Afinal, a discutir é que a gente se entende! Ehehe

    Um abraço...

    ResponderEliminar
  4. Wilson Eduardo não é finalizador!? Se contarmos os golos de bola corrida dele e do Wolfswinkel para o campeonato na época passada, a diferença não é muita, e a jogar a extremo, numa equipa que passou grande parte dos jogos mais numa postura defensiva.

    Tenho a certeza que por 5M se contratava um ponta de lança melhor que wolfswinkel, e se quiserem posso dar alguns exemplos.

    Também sei que há um pequeno "fosso" em relação aos médios e ao ponta de lança, e isso não ajuda nada, e se o ataque do Sporting concretiza pouco, muito se deve a esse factor, embora não seja a única causa, porque não nos podemos esquecer que o avançado holandês é muito perdulário, perdemos dois pontos em Coimbra por culpa dele, na luz e dragão passou ao lado dos jogos, e muitos dos golos que marcou fez lembrar os golos do Alecsandro, ou seja, pequena área-encostar-golo !
    É um avançado que tem pouca iniciativa de rematar, raramente o vemos a pegar na bola e a rematar, e não sendo um exímio no jogo aéreo, pergunto qual é então o seu ponto mais forte?

    Em relação a esta aposta em Viola, não entendo se não for para Avançado, mas dar 4M por um jogador que tem poucos golos no seu currículo, e o Sporting a necessitar de golos como de pão para a boca.
    E se for para extremo, não entendo mesmo, porque temos bastantes extremos de qualidade no plantel.

    ResponderEliminar
  5. Concordo com a análise feita. Temos uma equipa forte defensivamente, o 1º jogador pós defesa (Gelson) faz também bem o seu trabalho, embora a minha 1ª opção seria Rinaudo pois distribui o jogo melhor. Daí para a frente temos otimos jogadores, mas de fato não rende ofensivamente o futebol do Sporting! Wols está abandonado na frente sem qualquer apoio. Parece-me evidente tornar-se urgente não encostar os extremos tanto á linha e pior que isso alguém que se posicione atrás do Wols. Penso que nesta altura talvez Carrilo atrás do PL e Jefren no lugar de Carrilo seria a melhor opção. Só mais uma situação nem Andre Martins, nem Adrien são nºs 10, por isso, não percebo o porquê da insestência naquilo que nunca trará resultados.

    Mega

    ResponderEliminar
  6. Em relação ao post;

    Elias a jogar ao lado do médio defensivo num esquema 4-2-3-1 é um desperdício das suas qualidades ofensivas, e Adrien é um bom transportador de bola, e podia jogar ao lado de Elias em vez de atuar como numero 10. Wilson Eduardo é um extremo\ avançado bem diferente de capel, porque gosta mais de aparecer na área, é mais finalizador, e tem um remate melhor, o que a jogar na esquerda podia fazer uma diagonal e rematar, ou cruzar, o que tornaria o seu futebol( e o do Sporting) mais imprevisível. Viola não conheço o seu futebol...

    Na minha opinião, jogar em 4-3-3 ou em 4-2-3-1 não é assim tão diferente, depende é das funções que o treinador dá a cada jogador. De qualquer das formas, o Sporting tem jogadores para jogar em vários esquemas, e se eu fosse Sá Pinto, no jogo contra a equipa Dinamarquesa operava uma revolução no 11, e quiçá tentava jogar noutro esquema táctico, para dar minutos a outros jogadores e por se tratar de uma equipa frágil que em condições normais o Sporting levará de vencida

    ResponderEliminar
  7. André Pinheiro,

    Vou por partes, senão perco-me:

    Ricky van Wolfswinkel: Quer queiras quer não, é o melhor Ponta-de-Lança do Sporting (até porque não há outro - todos os outros são 2º ou 'falsos' Ponta-de-Lança). É o melhor finalizador que há.

    (...)e muitos dos golos que marcou fez lembrar os golos do Alecsandro, ou seja, pequena área-encostar-golo(...) - E o que é que se pede a um finalizador? Pois... (vide Jardel, esse jogadorzaço que fintava aos 4 de cada vez)

    Wilson Eduardo: Todos os golos que marcou na época passada (ou grande parte deles), foi a partir de uma posição que lhe é intrínseca - a de extremo/ala ou avançado móvel - e numa equipa pequena que faz 90% dos seus golos em contra-ataque (numa equipa grande como o Sporting, por princípio, supõe-se que se jogue em ataque continuado, logo, Wilson, além de não ser PL, não teria o mesmo rendimento).

    Ricky van Wolfswinkel vs Wilson Eduardo (2011/2012 - Liga ZON Sagres): 14 golos vs 7 golos; 4 penalty's (3 ganhos por ele) vs 1 penalty. Tudo dito, é fazer as contas.

    Em relação a esta aposta em Viola, não entendo se não for para Avançado, mas dar 4M por um jogador que tem poucos golos no seu currículo, e o Sporting a necessitar de golos como de pão para a boca.
    E se for para extremo, não entendo mesmo, porque temos bastantes extremos de qualidade no plantel.
    - Lê o post, coisa que parece que não fizeste. Mais que o jogador em si, é a ideia de jogo e o jogo colectivo o que mais influencia a rentabilização. No caso, podias pôr o van Persie no lugar do Wolfs que dava no mesmo...

    Wilson Eduardo é um extremo\ avançado bem diferente de capel, porque gosta mais de aparecer na área, é mais finalizador, e tem um remate melhor, o que a jogar na esquerda podia fazer uma diagonal e rematar, ou cruzar, o que tornaria o seu futebol( e o do Sporting) mais imprevisível. - E o que faz Carrillo?! Pois, a mesma coisa...

    Na minha opinião, jogar em 4-3-3 ou em 4-2-3-1 não é assim tão diferente - Não é a táctica, é tudo o resto, que a táctica por si só vale muito pouco.

    ResponderEliminar
  8. Jardel era único, e apesar de ser um podão fora da área, dentro dela era o inverso, pois tinha uma capacidade assinalável de transformar cada remate seu em golo, fosse de pé(esquerdo ou direito) ou de cabeça, onde raramente perdoava. Não vejo Wolfswinkel com essa capacidade...

    Que o wolfswinkel é o melhor ponta de lança do plantel, até acredito, agora dizer que Wilson não teria o mesmo rendimento que no olhanense, isso é profecia que só será desvendada se o Sá Pinto apostar nele, quer a extremo, quer a Avançado, isto se ficar no plantel...

    Carrillo aparece na área, eu não disse que não, mas os seus 3 golos a época passada em mais de 40 jogos...

    Wilson Eduardo é um jogador que gosto já desde os escalões de formação do Sporting, onde era ponta de lança e fazia muitos golos, e quando passou para sénior foi adaptado a extremo( á boa maneira portuguesa) e mesmo assim continua a fazer golos, eu sou suspeito quando falo deste jogador, porque gosto bastante dele.

    ResponderEliminar
  9. André Pinheiro, Esqueci-me de te notar o caso de Carlos Saleiro, muito bom na Académica e pouco mais que medíocre no Sporting.

    Dizer o mesmo do Wilson (numa posição que não é a dele, como tu apontaste) não é profecia, é probabilidade, e contra essa não podes contrapôr.

    Outra coisa, o Wilson não era PL na formação, era (e é agora, como antes) avançado. Daqueles que faz qualquer posição das 3 (ou 4) do ataque, conforme o esquema. Não quer dizer que por isso seja melhor ou pior. Vide os casos de João Paiva, Silvestre Varela, o próprio Carlos Saleiro que já referi, e essa ex-estrela dos júniores chamada Yannick Djaló (e há mais)...

    Carrillo aparece na área, e fá-lo cada vez mais. Ainda bem. Na época passada foram raras as vezes que o fez (por causa do jogo demasiado lateralizado) e daí também os poucos golos.

    ResponderEliminar
  10. André D.21/8/12 01:25

    Acho que tens toda a razão!! A meu ver o problema do Sporting não está no Ricky, até porque o ano passado deu muitas alegrias e é um jogador com muita qualidade, está sim no apoio que vem de trás. A defesa tem que ser mais subida e pressionante e meio campo precisa chegar à frente para finalizar o que o duplo pivot ofensivo faria. Jogando como joga o Sporting actualmente, sempre que um dos alas do tridente ofensivo (Carrilho ou Capel) cruza, tens apenas 2 homens na área, o Ricky e o ala contrário, o que é insuficiente!

    ResponderEliminar
  11. Mauro,

    Percebo o que dizes mas duvido que Sá Pinto alguma vez vá por aí excepto em situações excepcionais.

    Também não me parece uma opção muito equilibrada, dada a evidente "tracção à frente" que, na minha opinião justificaria mais a presença de Gelson, mais fixo do que pode ser Rinaudo.

    E dos 6 elementos que propões apenas 2 dão algumas garantias de reagirem à perda de bola deixando-nos demasiado expostos na retaguarda.

    Julgo que sem alterações tão drásticas consegues um efeito semelhante mas mais equilibrado, subindo Labyad para o lugar de Carrillo ou Jeffren ( o peruano parece em melhor forma embora me "apetecesse apostar 2 ou 3 jogos em Jeffren, mas qualquer um deles capazes de procurar as diagonais e com Elias ladeado por Adrien, numa posição mais recuada do que jogou no domingo e onde me parece poder ser mais útil.

    Pronto, aqui fica o meu veredicto de treinador de bancada.

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. 4x2x3x1, 4x3x3, 4x4x2, etc... nao passam de numeros para descrever a forma como a equipa se distribui em campo.
    Geralmente as tacticas sao escolhidas mediante as caracteristicas dos jogadores que formam o plantel. O Sporting tem um plantel vasto que da para jogar em varias variantes tacticas...
    O que falta ao Sporting e dinamica!!!
    Podem escolher a tactica que quiserem, os jogadores que quiserem, sem a necessaria dinamica nenhuma delas resulta!!!

    O futebol nao e estatico, ha sempre momentos em que os jogadores tem que fazer movimentacoes para locais que nao sao os deles, ha os que sao planeados, outros para compensar, abrir espacos etc...

    Olhando para a nossa equipa pouco ou nada se ve de entrosamento, mecanizacao ou compensacao...Tirando as trocas de flancos entre os extremos ou o ponta de lanca esporadicamente a cair para uma das linhas, esta tudo parado no seu lugar. Diagonais ou triangulacoes no miolo nao existem, sempre que um se liberta la vai a bola para tras porque nao ha opcoes de passe!!!
    Os extremos so tem uma dimensao, especialmente capel, se esta na esquerda procura ir a linha cruzar, na direita entra em diagonal a procura do remate... Tudo isto torna o nosso futebol muito previsivel e ineficaz!!

    Sobre a sugestao do topico, nada a opor, so nao percebo porque nao faz parte das variantes de jogo de Sa Pinto?

    Dinamica!!!!

    ResponderEliminar
  13. De referir ao contrário do que aqui se tem dito e também por muitos blogues que o 4-2-3-1 é uma tactica defensiva, a tactica é apenas a disposição dos jogadores em campo, dificilmente entre duas equipas com a mesma tactica joga-se da mesma maneira (vide o real madrid a jogar em 4-2-3-1 parece-vos uma tactica defensiva?). Penso que o Sporting deveria atacar em 4-3-3 e então a defender transformar-se num 4-2-3-1, mas como já aqui referido somos todos treinadores de bancada!

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!