Próximo Jogo

Próximo Jogo

03/12/2012

Um rumo insuficiente...

Face ao actual momento da equipa de Futebol do Sporting CP - e não estou certo se será o mais indicado chamar momento a um período que, com as normais flutuações, já dura há demasiados anos - tenho evitado explanar a minha opinião. Porque é só minha, e porque acho que a acidez com que me apetece falar um pouco do universo verde-e-branco não será a mais indicada. A bem dizer, apetece-me destruir, não só as figuras que vão capitaneando as diversas naus de uma frota já destroçada como a forma com que os rumos são traçados. 

Salva-se a nau do Futsal, ao comando de Nuno Dias e Miguel Albuquerque, que - brade-se a competência - tem subsistido, quando tudo o resto afunda lentamente, olhe-se para onde quer que seja. Importa fazer aqui uma excepção às modalidades autónomas (Hóquei em Patins, Basketball e Rugby), pelas dificuldades económico-desportivas ainda mais acrescidas. No entanto, o Andebol permanece a somar erros de casting e já nem o Atletismo consegue rivalizar com a emergência de outros Clubes, nomeadamente o Sport Lisboa e Benfica. Independentemente de quem é encarregue pelas várias secções do Clube, a figura do Presidente, enquanto tal, pode, deve e tem que ser tida em conta, seja para o bem ou, no caso, para o mal...

Desde 1995, com o advento de Pedro Santana Lopes (e poderia alargar bem mais a data até ao período da presidência de João Rocha, onde foram surgindo os primeiros sintomas), o Sporting Clube de Portugal, enquanto maior potência desportiva nacional, tem decrescido notoriamente na sua força, quer desportiva quer económica, sem sinal mais aparente senão a (in)competência de quem foi liderando e defendendo (?!?) os desígnios que o 3º Presidente desta grandiosa história a caminho dos 107 anos escalonou - «Queremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande como os maiores da Europa».

O oásis da formação, um pouco (ou muito) por tudo quanto é modalidade, profissional ou amadora, é tudo quanto me - nos - resta de esperança. Esperança num futuro que se auspicia cada vez mais finito, mais negro ainda que a emocionalidade da paixão que sinto por este Clube.

Que cancro é este que se metastizou tanto sem que ninguém o percebesse, ou sem que ninguém o alertasse?! Um cancro que, com as consequentes presidências de José Eduardo Bettencourt e Godinho Lopes, foi posto a nu, exponenciado ao ponto da incapacidade de disfarce que, mal ou bem, Filipe Soares Franco conseguiu, com relativo sucesso.

Não me quero alargar mais, nem deixar-me levar pelas emoções, mormente negativas, que me vão assolando, dia-após-dia, jogo-após-jogo, época-após-época. Mas cá estarei para tomar parte de uma futura decisão. Uma que não me - nos - atire mais areia para os olhos...

Saudações Leoninas
Partilhar:

2 comentários:

  1. Precisamos de várias coisas, entre elas:

    Organização nas estruturas, seja de futebol, seja de andebol por ai fora.

    Presidente com carisma, pulso forte e capaz de combater o mal interno

    Depois de combater o mal interno, partir para o mal externo

    ResponderEliminar
  2. Eu sinceramente não consigo ser positivo e ver algum tipo de cura para este cancro. Isto porque na minha relativa ignorância em questões económico-financeiras me parece que o ponto de não retorno já foi atingido há muitíssimo tempo no Sporting. Godinho Lopes apenas e só deu a estocada final. Não me parece que seja viável continuarmos mais uns anos a negarmos o indesmentível, que o Sporting deixou de ser viável financeiramente porque a dívida acumulada e os juros daí consequentes são já incomportáveis. Restam a meu ver duas possíveis saídas. Ou por um lado aparece um (ou mais) mecenas que pagam a dívida e passam a mandar na SAD ou por outro esta declara insolvência e começa-se tudo do princípio. Cada uma das possibilidades tem prós e contras, mas é nesta discussão que se tem de centrar os próximos debates de ideias no âmbito do Sportinguismo. Espero que a assumpção das dificuldades seja o decisivo factor de união entre os Sportinguistas, união esta que tem parecido virtualmente impossível nos últimos anos.

    Saudações Leoninas

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!