Próximo Jogo

Próximo Jogo

21/02/2014

Entre os 383 e os 1500 €

Como já era expectável, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, presidido pelo juiz Herculano Lima, confirmou a presença do FC Porto na meia-final da Taça da Liga, a disputar ante o SL Benfica.

Depois de tornadas públicas as gravações do processo de inquirição, que mais não fizeram senão pôr a nu as incongruências da defesa dos dragões e a inaptidão do juiz para o cargo que ocupa, o CD decidiu punir o FC Porto com sanção de repreensão e multa acessória de uns estapafúrdios 383 € (relembre-se que António Salvador, Presidente do SC Braga, pagou também 77 €, perante as suas ofensivas declarações para com a arbitragem da meia-final da Taça da Liga, que opôs o seu Clube ao Rio Ave FC), após o adiamento da decisão, de Terça-feira para esta Sexta-feira, aparentemente sem motivo nenhum (ou para "afinar" o montante da coima).

Já não bastasse o estado da justiça comum, constata-se (novamente) que a justiça desportiva portuguesa consegue estar ao mesmo nível senão pior. Medíocre, leia-se! Seguir-se-á agora o recurso para o Conselho de Justiça que, provavelmente, mais não fará senão ratificar a decisão da primeira instância, pese embora a maior ou menor morosidade. Para os envolvidos, o maior problema será conseguir um consenso para a calendarização do jogo, visto estarem ambos ainda envolvidos na Taça de Portugal e na Europa League.

Honestamente, estou a marimbar-me para a Taça da Liga, enquanto existir (ou enquanto fôr competida nos moldes actuais ou semelhantes). Para mim, a questão passa apenas pela verdade desportiva, no caso o (não) cumprimento das normas regulamentares, é isso que me indigna. Afinal, percebemos todos, as regras existem não para se cumprirem mas para se subverterem a bel-prazer da conveniência das circunstâncias, passando os prevaricadores pelo manto da impunidade selectiva de que (ainda) gozam! Basta acenar com quaisquer 500 €. Ou nem isso...

De resto, apraz-me concluir que o Sporting Clube de Portugal irá doravante tratar a Taça da Liga como já o deveria fazer há largos anos. Com o mesmo desprezo e indiferença com que nos tratam a nós...
_______________________________________

O tema central de toda esta semana foi o facto de Maurício ter sido multado, no Porto, por conduzir alcoolizado (0.54gr/L) na madrugada de Sábado passado, na companhia de Gérson Magrão.

Desde logo a comparação com o que se passou com Rúben Semedo, para defender que a punição deveria ser similar, é errada. O jovem defesa-central foi apanhado a conduzir sem carta (o que constitui crime) durante a madrugada em véspera de dia de treino, já o defesa-central brasileiro foi apanhado a conduzir alcoolizado (com uma taxa correspondente a contra-ordenação grave) em véspera de dois dias de folga. Não um mas dois!

Ao contrário da sensação que por vezes temos, de que os atletas são meros autómatos que só servem para dar uns pontapés numa bola, os jogadores são pessoas como nós, com o direito à privacidade e à liberdade que (também) lhes assiste. Não conheço os regulamentos internos (disciplinares ou de outra ordem), portanto não sei que sanções estarão previstas, se é que estão. No entanto, comparar este caso com o do Rúben Semedo é de todo uma desonestidade, como já referi anteriormente. E a importância de ele jogar ou não com o Rio Ave FC nem sequer é para aqui chamada, nem como atenuante nem agravante. Se as circunstâncias fossem as mesmas seria punido de igual forma. Mas não são...

Uma multa (retenção de todos os prémios de jogo e utilização, por exemplo, ou coima de valor a considerar) será o suficiente - para ele e para Gérson Magrão, que também estava com ele. Criminalmente, a lei contempla actos qualificados e actos negligentes, com diferentes penas. Os regulamentos devem tentar fazer o mesmo.

O jornal O Jogo traz à 1ª Página do seu diário desta Sexta-feira que a coima de que Maurício terá que despender será de uns (quase) insignificantes 1500 €. Quero acreditar que se esqueceram de mais um zero à direita, caso contrário o (mau) exemplo está dado para futuros casos como este! A coesão e disciplina de um plantel não pode custar tão pouco...

De resto, que amanhã Maurício jogue, e que possa marcar! A propósito, leiam isto: Carta aberta a: Maurício
Partilhar:

2 comentários:

  1. Excelente post, MS!
    Concordo com ambos os segmentos.
    A multa aplicada ao FCP é ridícula.
    Como não bastasse a apreciação distorcida dos factos por parte do conselho de disciplina da federação - que transforma um claro atraso intencional num atraso negligente, com base numa argumentação ridicula do clube interessado - o montante pecuniário escolhido para sancionar o Porto é uma anedota.
    Desconheço o valor máximo da multa prevista para estes casos, mas quando vemos todas as semanas os clubes serem multados em milhares de euros por comportamento incorrecto dos seus adeptos, aplicar uma multa de 383 € ao Porto, neste caso, é mesmo gozar com o SCP.
    O que não é de admirar, vindo de um órgão presidido por alguém que, sendo magistrado do ministério público reformado - e não juiz, como se diz por aí, o que, de qualquer forma, pouco importa - é adepto portista (o que posso garantir).

    Quando ao Maurício, admira-me quem, sendo do SCP, reclamava por um "castigo exemplar" para o jogador pelo seu comportamento, "doia a quem doer", equiparando-o à conduta do Ruben Semedo.
    Como é dito no post, conduzir com uns gramas a mais de álcool no sangue é uma mera contra-ordenação, punível com uma coima, enquanto que conduzir sem carta é crime púnivel com pena de prisão até dois anos.
    Qualquer um de nós, se pensar bem, percebe quão mais grave é um puto de 19 anos pegar num carro sem ter carta de condução do que um adulto de 25 anos cometer a imprudência de guiar depois de ter bebido duas ou três cervejas.
    Só por aí, se percebe a diferente gravidade de ambas as condutas.
    Mas, para além disso, as diferenças circunstâncias em que as situações ocorreram - no caso do Maurício, na véspera de uma folga e, no caso do Rubem Semedo, na véspera de um dia de treino - só por si implicavam diferente tratamento.
    De qualquer modo, o Maurício foi castigado, com uma multa!
    Qual o interessse em pretender que, para além da multa, o Maurício fosse também excluído do jogo com o Rio Ave? Logo nesse jogo, quando o SCP já não vai contar também com Rojo? Ao menos que se pedisse que essa exclusão ocorresse na jornada seguinte, quando Rojo já pode voltar a jogar!
    Sinceramente, custa-me a entender como é que quem se diz sportinguista pode assumir posturas destas.

    Jarvalho


    ResponderEliminar
  2. Felicito-te pelo post, porém devo acrescentar que o juiz que decidiu aplicar a multa, uns irrisórios 383 €, não 385 nem 380, alegadamente é afecto ao fc porto. Fez-me lembrar aquela célebre polémica sobre a disputa dos direitos televisivos de uma final da taça, em que uma televisão ofereceu menos 1 cêntimo que outra, demonstrando que sabia qual o valor da oferta. Pelo preço certo a justiça faz-se, entenda-se, o que prova que as entidades (in)competentes são marionetas. Quanto ao Mauricio, não serve de nada alimentar polémica onde ela não existe, à luz do regulamento interno do clube será multado, jogadores na noite sempre houve e sempre haverá, para mais estava de folga.

    SL

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!