Próximo Jogo

Próximo Jogo

05/02/2014

Esta Pereira dá nêsperas!

... e voltamos à cepa torta...

Correndo o risco de me colarem o rótulo de calimero, mais uma vez, sinto-me impelido a voltar a discorrer sobre um dos meus ódios de estimação: a arbitragem, encabeçada por esses verdadeiros totalitaristas do poder, Vítor Pereira (Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol) e José Fontelas Gomes (Associação Portuguesa de Árbitros Profissionais).

Não há em Portugal ninguém que lhes consiga tocar, até porque um foi mandatado pelo sector e legitimado pelos Cubes em sufrágio, e o outro porque foi eleito, pelos seus pares, presidente de uma associação corporativista que, no papel, não tem qualquer influência prática. Mas só no papel...

Martelando na mesma tecla, de que discordo cabalmente do vector que defende que "se jogamos mal não nos podemos queixar da arbitragem", o fim-de-semana passado trouxe-nos uma velha realidade que, espero, tenha despertado a consciência desses Sportinguistas: enquanto foi literalmente oferecido um penalty (inexistente) ao SL Benfica, ao Sporting CP foi-lhe sonegado outro, esse sim claríssimo. “Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay”! Se é verdade que o FC Porto, na figura do ainda influente Jorge Nuno Pinto da Costa, ainda detém algum poder nesta matéria, não é menos verdade que o SL Benfica tem escalado, ao longo dos últimos anos, essa montanha, rumo ao Olimpo do controle do futebol português.

Quero acreditar que os dois supra-sumos da arbitragem em Portugal não estarão a soldo de qualquer Clube, mas não consigo crer que o poder que lhes foi incutido não lhes tolde o subconsciente e, consequentemente, as decisões que tomam. Até porque saberão de antemão, com certeza, as represálias que poderão sofrer, caso "ataquem" um dos Clubes da (não tão) Secreta Ordem. Previnem-se, portanto, antes que mais não possam senão remediar os estragos...

Só esta época (já para não falar do início da época 2011/12, com Domingos Paciência - ainda se lembram?!), com o empate do fim-de-semana passado, perdemos já 8 pontos caseiros só para a Liga ZON Sagres. A recordar, ante SL Benfica (1-1), Rio Ave FC (1-1); CD Nacional (0-0) e AA Coimbra (0-0). É verdade que nalguns destes jogos nos podemos queixar também da nossa incapacidade para demolir as muralhas adversárias, mas em todos eles a arbitragem teve também um papel preponderante! Se ante as águias se poderá conceder que os erros prejudicaram ambas as equipas (acontecendo que porventura o maior erro nos favoreceu), em todos os restantes fomos notoriamente prejudicados - 1 penalty escandaloso não assinalado por Carlos Xistra ante o Rio Ave FC, um golo mal invalidado a Islam Slimani ante o CD Nacional, por Manuel Mota e, novamente, um penalty sonegado por Paulo Baptista, ante a AA Coimbra. E nem preciso de sublinhar as duas últimas miseráveis exibições das equipas de arbitragem no Estádio da Luz, ante o Sporting CP, por João Capela e Duarte Gomes, para se perceber a situação do Estado Novo do futebol português...

Se é isto o pagamento pelos 3 golos de Fredy Montero em offside ao longo da época (só 1 deles teve real influência no resultado final, ante SL Benfica), parece-me que há muito que o Sporting CP já está a pagar juros... e juros sobre juros!

Para isto tudo contribui, a começar pela já referida inoperância própria, não dando seguimento às oportunidades que cria, a (falta de) qualidade dos árbitros em geral, com uma ou outra excepção, e a total inaptidão dos mais altos decisores sobre as nomeações de árbitros para determinados jogos (e respectivas notas avaliativas que recebem). Alguém percebe como é que as nomeações são feitas, a que critérios obedecem e/ou como podem receber notas positivas perante más (às vezes mesmo péssimas) arbitragens?! Eu não... ou, por outra, até sou capaz de perceber mas numa lógica que em nada obedece aos pergaminhos do desporto...

Vítor Pereira ainda tem um longo mandato pela frente, legitimado também pelo Sporting Clube de Portugal, e continuará a dar nêsperas da mesma qualidade com que afirma peremptoriamente que as medidas sugeridas pelo documento apresentado pelo Sporting CP "não servem para nada" porque, pura e simplesmente, ameaçam-lhe o poder e a Secreta Ordem que tão escrupulosamente segue... José Fontelas Gomes, qual protegée continuará a seguir-lhe os passos e as palavras, os árbitros continuarão a usar carradas de gel e brilhantina e os egos continuarão a ser alimentados por este gerador viciado que mais não cria senão imunidade a quem de tudo faz para estragar a beleza do futebol!...

O wannabe treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, ainda recentemente afirmou que «não somos anjinhos», pois claro... Mas em Lisboa ainda há muitos serafins e arcanjos a discutir quais deles têm as asas mais imponentes e a auréola mais brilhante...
Partilhar:

3 comentários:

  1. Outlaw485/2/14 14:44

    Concordo na maioria com o que tu disseste , mas penso que no jogos em que fomos prejudicamos poderiamos e deveriamos ter feito mais .
    Agora não tenho a menor dúvida de que os arbitros tem uma postura em alvalade diferente da que tem no dragão ou na luz em que tudo é falta tudo dá direito a penalty e nos lances duvidosos saiem sempre a favor da equipa grande . Mas a mim não me faz ser feliz ser constantemente beneficiado como são os nossos rivais , apenas peço uma arbitragem justa para os jogos do nosso Sporting apesar de continuar a ver favorecimentos descarados como os recentes arbitros nomeados para os jogos do Benfica e eu enuncio : Hugo Miguel , Artur Soares Dias , Bruno Paixão (este é mesmo á descarada) e agora João Capela , o mito .
    Faltou aí referir que há um grupo de clubes que também controla grande parte deste "sistema" que é o chamado g14 portugues em que o Porto tem vindo a reforçar ligações com os restantes clubes .

    Há que lutar e ainda mais motivar se com isto , pois penso que ficou bem claro no jogo contra o Nacional (não falo do golo anulado mas sim do jogo em geral) que esta corja não quer o Sporting campeão .

    E só deixo aqui um facto , em 3 anos os arbitros foram escolhidos por sorteio , resultado : 2 campeonatos ganhou o Sporting e 1 o Boavista .

    ResponderEliminar
  2. Outlaw,

    Antes de mais, e porque a tua primeira frase entronca logo nisso, o que digo no post é o que sinto em relação às arbitragens, nomeadamente que não acho minimamente lógico que nos calemos sobre (más) arbitragens quando não jogamos o suficiente, quando vencemos contundentemente ou até quando somos beneficiados - o que é raro.

    Obviamente, o que eu quero, como tu, é que as arbitragens sejam, pelo menos, coerentes nas suas atitudes em Alvalade (e para com o Sporting CP, em geral), no Dragão e na Luz, coisa que factualmente não sucede. Os árbitros têm a clara sensação de que é mais fácil decidir contra nós que contra os nossos rivais. E a raíz de todos os males começa muito por aí, como referiste e bem!

    Quanto ao G14, diz respeito a outra coisa que não necessariamente o controle do futebol português, embora esteja tudo ligado indirectamente através de Joaquim de Oliveira (um dos "polvos" actuais) - é bom lembrar que a Liga de Clubes, actualmente, pouco mais faz senão organizar as duas competições profissionais (engloba apenas a Comissão de Instrução e Inquérito que, mesmo assim, tem que prestar contas ao Conselho de Disciplina da Federação). Tem muito mais a ver com a gestão deficiente da actual Direcção da Liga de Clubes - o que concordo quase integralmente, embora reconheça a inteligência do Sporting CP em abster-se da situação (sublinhe-se que os direitos de transmissão dos jogos do Sporting CP estão sob concessão da Olivedesportos até 2019, salvo erro)...

    Ainda assim, o Sporting CP tem também sido vítima de si mesmo, ao longo dos anos, por completo menosprezo relativamente a essas situações, e não tem conseguido "aproveitar-se" delas, até do ponto de vista motivacional, como fez/faz o Porto (vide conflito Norte/Sul)...

    Quanto ao sorteio dos árbitros, já agora, e por ser uma das medidas incluídas no documento proposto pelo Sporting CP, deixa-me dizer-te que considero que esse sorteio devia obedecer a algumas condicionantes, sob pena de, por mero acaso, calhar um Luís Ferreira num derby ou um Manuel Mota num clássico, o que seria completamente contra-natura...

    ResponderEliminar
  3. Excelente post, com o qual concordo quase em absoluto.

    "Se é isto o pagamento pelos 3 golos de Fredy Montero em offside ao longo da época (só 1 deles teve real influência no resultado final, ante SL Benfica)" Só não posso concordar com isto, embora entenda porque o digas. Todos os jornais, programas etc, quando falam dos casos de arbitragem seguem a seguinte lógica: O 1º golo do jogo é ilegal, mas se o resultado ficar 4-0 esse golo não teve influência no resultado. Mas isso é claramente futurologia. Um golo muda o jogo, não sabemos o que ia acontecer caso esse golo não tivesse acontecido. Sporting vs Belenense. Fomos prejudicados ou ajudados? Para mim fomos ajudados, embora haja um penalti claro a nosso favor, que até podia dar vermelho direto para o adversário, o nosso golo ( que nasce de um penalti inexistente ) muda o jogo. Não podemos afirmar que caso o arbitro não tivesse assinalado e mal o penalti que deu origem ao golo, o jogo ia decorrer exactamente da mesma maneira.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!