Próximo Jogo

Próximo Jogo

16/02/2014

Leão de duas caras no regresso às vitórias


Objectivo cumprido: 3 pontos justíssimos, que não merecem qualquer tipo de contestação. Como o título indica, foi um leão de duas caras o que ontem venceu o SC Olhanense em Alvalade. Apesar de não termos visto a qualidade de jogo que o Sporting CP já demonstrou  esta época, durante os primeiros 45 minutos fomos dinâmicos ofensivamente e pressionantes defensivamente, conseguimos impôr intensidade no nosso futebol e controlámos a 1ª-parte sem qualquer problema.  Na 2ª-parte, apesar do SC Olhanense nunca ter conseguido assumir o controle do jogo, a qualidade exibicional do Sporting CP decresceu e muito. Menos qualidade na pressão em organização defensiva, menos dinâmica e menor qualidade de decisão no ultimo terço do terreno. 

1ª-parte e os médios-interiores: Como o nome indica, foram os médios-interiores os principais responsáveis pela qualidade demonstrada na 1ª-parte. É verdade que nem sempre decidiram bem os lances, mas foi graças à sua dinâmica e intensidade que o Sporting CP conseguiu criar mais perigo. 


André Martins voltou a aparecer bastante subido como tem sido habitual no modelo de jogo de Leonardo Jardim, mas Adrien Silva apareceu mais perto da área adversária do que é costume. Mais descaído para a esquerda, apareceu por diversas vezes mais perto das zonas de finalização, o que contribuiu positivamente para o aumento da qualidade de circulação de bola no ultimo terço do terreno, bem como o aumento de opções para a finalização das jogadas. É o médio com melhor "poder de fogo", factor que tem sido pouco explorado esta época. É de esperar que Adrien Silva volte aos golos (sem ser da marca de grande penalidade) se continuar a jogar mais subido como ontem se verificou.


2ª-parte e a transição ataque/defesa: Do ponto de vista ofensivo, foram gritantes as diferenças da 1ª para a 2ª-parte. Não consigo encontrar uma explicação plausível para a queda de qualidade nos segundos 45 minutos. Deixámos de ter intensidade nas nossas acções ofensivas, a dinâmica foi praticamente nula, e só quando Leonardo Jardim lançou André Carrillo é que o Sporting CP voltou a criar perigo. No entanto, como já nos encontrávamos em vantagem no marcador, o mais importante era não permitir o golo do empate. O SC Olhanense nunca conseguiu assumir o controle do jogo, mas a verdade é que houve momentos do jogo em que a nossa transição ataque/defesa deixou muito a desejar. 


Se na 1ª-parte o papel de Adrien Silva foi determinante para o aumento da qualidade do nosso futebol ofensivo, ontem voltou a pecar em situações de transição ataque/defesa. Já tenho vindo a reparar, nos jogos mais recentes, a sua dificuldade em recuperar quando a equipa perde a bola, e ontem foi novamente visível essa sua lentidão em certos momentos do jogo. No jogo de ontem talvez se possa explicar por ter jogado mais subido em organização ofensiva mas, mesmo em jogos anteriores - em que essa subida não aconteceu, Adrien Silva mostrou muitas dificuldades no que diz respeito à transição ataque/defesa.


Em suma, uma boa 1ª-parte, pese embora a falta de eficácia na finalização (sendo verdade que houve um golo mal anulado a Fredy Montero, porventura ainda a pagar a factura dos golos em offside do início da época), e uma 2ª-parte q.b., embora os sinais de preocupação, talvez até pelos índices físicos da equipa. Na próxima jornada deslocamo-nos ao Estádio dos Arcos em Vila do Conde, para defrontar o Rio Ave FC, num relvado que se afigura em péssimo estado, sendo portanto recomendável uma abordagem diferente ao jogo - porventura, um tipo de jogo mais directo, talvez com Islam Slimani na frente, no lugar de Fredy Montero.
Partilhar:

4 comentários:

  1. Antes de mais devo referir que vi o jogo de ontem a espaços por causa de um jantar de amigos , pelo que não tenho grande "voto na matéria" acerca do jogo . Por isso baseio me nas tuas palavras , confiando na tua excelente capacidade de analisar os jogos .

    Do que vi , foi uma 1parte com uma dinamica ofensiva bastante interessante a fazer lembrar os 1ºs jogos da época .
    A equipa melhorou bastante ofensivamente em relação aos últimos jogos e isso foi também devido a essa ideia que defendi em outros posts de que o Adrien tinha de apoiar mais vezes o montero e o extremo do seu lado para dar linhas e obrigar o adversario a baixar . Mas também outro facto que não referiste que ajudou bastante na avalanche ofensiva penso ter sido o aparecimento constante tanto do Mané como do Heldon em zonas interiores , funcionando como falsos alas , ajudando na construção e apoiando varias vezes o Montero criando dinamica e intensidade quer por diagonais quer por aparecimento em zonas de finalização centrais como foi o caso do golo .
    Heldon também parece me que veio trazer isso e Mané sempre foi um avançado interior podendo termos encontrado aqui os extremos até o fim do campeonato .

    Na 2ª parte baixamos bastante de produção , secalhar em busca de uma subida defensiva do Olhanense em falso que tem centrais bastante lentos.
    Mas também creio que a principal razão para esta queda de qualidade tenha sido o cansaço coletivo . E isto se pensarmos que esta equipa já foi prematuramente arredada das competições internas e nao está em competições Europeias é bastante preocupante.
    Mas na minha opinião este cansaço nao é causado pela quantidade de jogos mas sim pelo facto da equipa jogar com os jogadores muito longe uns dos outros e pressionar individualmente em vez de pressionar em bloco assistimos a uma pressão normalmente apenas de Montero e Martins inconsequente e esforçada . Tudo isto desgasta completamente a equipa ao longo do jogo que tem de correr mais "por si " e não "por aqui"
    Ora tudo isto vai de encontro e tem origem num tema bastante debatido entre nós no chat que é o facto da defesa jogar muito descida o que impossibilita praticamente as chances de pressionar bem em bloco e sinceramente penso ser mesmo essa a verdadeira causa do enorme buraco defensivo no meio campo que retrataste e que em nada beneficia com o facto de Adrien Silva ser lento .

    Com a conclusão concordo plenamente e espero um 11 em Vila de Conde preparado mais vestir o fato de macaco do que propriamente jogar futebol bonito , por isso eu apostava na entrada de Slimani e também de Luka Stojanovic/Magrão (volto a insistir a falta do médio para jogos destes , Renato Neto ou Zezinho davam jeito) em detrimento de Martins e Montero .

    SL

    ResponderEliminar
  2. Tens razão Out. O jogo interior do Sporting melhorou mais ontem, não só pelo aparecimento de Adrien em zonas mais subidas mas também pelo que referiste. No entanto optei só por focar-me naquilo que considero que tenha sido o mais determinante na subida de produção da equipa e que tem acontecido menos esta época que é o aparecimento de Adrien em zonas mais adiantadas.

    ResponderEliminar
  3. em vez de "por aqui" eu queria dizer "por todos" , fica o reparo .

    ResponderEliminar
  4. Bom Post Honoris, como de costume


    Já sei que sou sempre acusado de pessimismo, mas estou bastante preocupado com o rendimento actual da equipa, nomeadamente com as performances de alguns jogadores e sobretudo com as opções de Leonardo Jardim.

    É para mim claro que o Adrien Silva está cansado, o que condiciona o jogo da equipa, abrindo buracos no meio campo e fazendo-nos sofrer contra ataques perigosos. Para além disso, acho que o nosso 3º médio (André Martins) uma muito fraquinho tanto a atacar como a defender (menos um nas disputas a meio campo), o nosso meio campo resume-se neste momento ao sensacional William. Com este cenário, o jogo contra uma equipa perigosa no contra ataque como o Rio Ave é assustador.

    Não entendo a titularidade continuada de André Martins, o que tem feito para a justificar? o que é que o Vítor, por exemplo tem a menos que ele?

    E a ausência de minutos para o Carrillo (o nosso único extremo com capacidade no 1X1), que lógica tem? há paciência para o André Martins mas para o Carrillo já não existe?

    Depois há a incoerência mais óbvia deste talentoso treinador madeirense. Então jogamos fora com o 1º classificado com 2 pontas de lança e quando vamos jogar em casa com o lanterna vermelha apenas pomos 1? Alguém me explica as razões destas opções?

    Não sou um profissional de futebol, logo estas perguntas poderão ter respostas óbvias que não serão imediatas para mim. O facto é que com quem tenho falado, ainda ninguém me respondeu convincentemente a estas questões. Ninguém pode negar que os objectivos desta época estão completamente intactos, mas e a progressão da equipa para patamares mais altos é desta forma que se faz?

    Atenção, apenas estou preocupado com a progressão da equipa enquanto tal, e gostava de discutir estes assuntos, mais nada. Não assobio no estádio e acho ridículo que se faça isso. Mas isso não me impede de ter um olhar crítico sobre a equipa.

    SL

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!