Próximo Jogo

Próximo Jogo

12/02/2014

Pior era impossível

Nem o Sportinguista mais pessimista esperaria uma exibição tão horrível como a que ontem aconteceu no Estádio da Luz. Não vale a pena estar com meias palavras, foi sem dúvida alguma o pior jogo da época a todos os níveis. Defensivamente estivemos ao nível de uma equipa de 3ª divisão, com perdas de bolas infantis, e ofensivamente nem vale a pena falar, porque simplesmente não existimos. Faltou atitude, intensidade e agressividade, na minha opinião, 3 factores (neste caso a ausência deles) que estão interligados com a estratégia que Leonardo Jardim escolheu para este jogo, como irei explicar mais à frente. 

É verdade que falar depois do jogo é fácil mas, para que a exibição de ontem não volte a acontecer há que analisar o que fizemos de mal e corrigir. Já o tenho dito em diversas conversas que vou tendo no chat ou em comentários em alguns posts: Leonardo Jardim deve ser mais "matreiro" neste tipo de jogos, e ontem mais uma vez ficou provado isso. Vamos por partes:

O 4x4x2 e o seu objetivo: Olhando para o 11 inicial e sistema de jogo escolhidos por Leonardo Jardim, fiquei com um clara ideia do que ele queria do jogo. Islam Slimani como referência mais posicional para permitir o jogo direto e evitar os perigos da 1ª fase de construção, Fredy Montero mais recuado para permitir um apoio mais vertical aos médios, Heldon como desequilibrador e André Martins como médio-direito, permitindo ao Sporting CP defender com 3 médios na zona central em determinados momentos de jogo. 

Organização | Transição defensiva: Não sei se foram indicações de Leonardo Jardim ou se os jogadores não conseguiram executar o que lhes foi pedido mas, do ponto de vista defensivo, o Sporting CP cometeu erros incompreensíveis. 
  • Linha defensiva muito subida e ausência de pressão ao portador da bola: Nenhuma equipa consegue ter sucesso se combinar estes dois princípios de jogo. A intenção era clara: subir a linha defensiva para diminuir o espaço entre a defesa e o meio-campo, de modo a reduzir a zona de ação de jogadores como Nicolás Gaitán e Lazar Markovic. O problema não foi a linha defensiva estar tão subida mas, antes, a ausência de pressão ao portador da bola, dando-lhe tempo e espaço para colocar a bola nas costas da linha defensiva do Sporting CP, situação essa que se verificou por diversas vezes. 
  • Inferioridade numérica na zona central: Do meu ponto de vista foi este o principal problema defensivamente, e o culpado é Leonardo Jardim. É sabido que Nicolás Gaitán e Lazar Markovic passam mais tempo em zonas centrais que propriamente na posição de extremos, pelo que jogar apenas com 2 jogadores no meio (ainda que André Martins pudesse fechar mais dentro) foi claramente uma péssima ideia. O meio-campo ofensivo do SL Benfica teve tempo e espaço para circular a bola a seu bel-prazer. 

Organização | Transição ofensiva: É complicado encontrar palavras para descrever o péssimo jogo ofensivo que realizámos ontem.  Nunca conseguimos ter bola no nosso meio-campo ofensivo, nunca conseguimos desequilibrar a organização defensiva do SL Benfica, e raramente conseguimos sair com qualidade da pressão exercida pelos jogadores adversários. 
  • Ataque apoiado vs Jogo directo: Não consigo entender como é que, mesmo tendo uma referência mais posicional como Islam Slimani na frente de ataque, sofremos 2 golos de duas perdas de bola quanto tentávamos sair a jogar em transição (pelos médios centro!!!). Não estavam avisados para a qualidade do futebol de transição do SL Benfica? Não aprenderam nada com o jogo da Taça de Portugal, em que também sofremos golos em transição resultantes de perdas de bola a meio campo? Complicado entender... 
  • Ausência de jogo exterior: No decorrer desta época, esta tem sido a nossa maior arma. No entanto, nos últimos jogos não tem funcionado, muito por culpa da fraca qualidade individual dos nossos extremos. Isto é, contra equipas teoricamente mais fracas, que jogam bastante recuadas e reduzem ao máximo o espaço de ação dos nossos extremos, são facilmente anuláveis. Mas ontem era outro tipo de jogo. Ia haver mais espaço em zonas laterais, para que o nosso jogo exterior pudesse causar estragos. Na verdade, os únicos lances de relativo perigo que conseguimos criar foram através de Heldon, quando conseguimos lateralizar mais o nosso futebol. 
Volto a dizer, ocorreram muitos erros individuais que prejudicaram a organização do coletivo mas, a verdade é que a abordagem de Leonardo Jardim a este jogo deixou muito a desejar. Entendo que para Leonardo Jardim seja muito importante manter os princípios de jogo que caracterizam o nosso futebol de posse mas, de qualquer forma, ir jogar ao Estádio da Luz "olhos nos olhos", nunca vai ser uma boa solução. Mostrou que não aprendeu nada com o jogo da Taça de Portugal e na maneira como sofremos os golos nesse jogo. Falar depois do jogo é sempre mais fácil, mas também me parece facilmente perceptível que a estratégia que nos garante mais probabilidades de sucesso contra equipas mais fortes é jogar num bloco mais baixo, com as linhas mais recuadas e explorar as transições.

P.S.: Quem concordou com o facto de não se ter "forçado" o 5º amarelo a William Carvalho, mantem a mesma opinião?
Partilhar:

7 comentários:

  1. O L. Jardim atento os escassos recursos, acho que tem feito um bom trabalho, mas aquela tática de jogar com 2 pontas de lança na casa de quem tem tão bons executantes do meio campo para a frente não lembra a ninguém. Em casa com a Académica não jogamos com 2 pontas de lança e à Luz, dormiu. Que falta fez o willian e o Piris pelo amor de Deus, tem que haver melhor na B.

    ResponderEliminar
  2. Honoris

    Só te corrigiria o título, porque eu acho que para a exibição medonha que fizemos, o resultado é bem bom. Assim sendo, era bem possível pior, ou seja termos saído da lixeira com 5 ou 6 no sacola. Ainda bem que não aconteceu.

    SL

    ResponderEliminar
  3. A minha esperança, quanto ao 11 inicial, era em caso de se manter a táctica de base. Ou seja, o 4-3-3 de base, com o Piris à esquerda, o Eric a trinco, coadjuvado pelo Adrien, o André Martins para as transições, Héldon e Montero como falsos alas (ok, mesmo assim se calhar não era a melhor opção para as tarefas defensivas) e Slimani no meio.

    Agora, depois do jogo, é fácil dizer que, porventura, seria melhor o Dier a central com o Rojo na esquerda da defesa (e ainda assim viu-se que o que o Dier não fez perante Enzo), Adrien e talvez Gérson Magrão, com o Adrien mais liberto para as transições, o mesmo Héldon, Carrillo (ou Wilson) e Montero na frente, com o tal plano B da substituição do Martins pelo Slimani lá mais pra o fim do jogo.

    De resto, deixo o mesmo apontamento (com menos exagero) do Diogo. Este 2-0, perante a inoperância do Sporting CP, podia ter sido 3 ou 4-0. Não foi, do mal o menos. O Sporting foi a jogo, mas a equipa esqueceu-se que era preciso jogar...

    ResponderEliminar
  4. Desde já queria dizer que para mim esta foi a tua melhor analise Honoris , e portanto torna se dificil acrescentar mais alguma coisa a nivel tático .
    Só queria acrescentar o facto do Slimani ter segurado pouco a bola na frente também por falta de linhas de passe e apoio , principalmente por parte de Montero , o que prejudicou ainda mais o nosso jogo ofensivo .
    A falta de jogo exterior foi um pouco causada por Piris que para além de não ser um lateral ofensivo , ainda por cima não é esquerdino o que condicionou bastante as suas acçoes pois tava sempre bastante pressionado por Maxi/Marko e vendo se sem linhas de passe nem tendo capacidade pra partir pra o desequilibrio perdeu bastantes bolas .

    Também quero mencionar a incoerencia de alguns sportinguistas que domingo aplaudiram este 11 e esta mudança tática , e que no fim do jogo mudaram completamente de opinião acobardando se e colocando culpas em Leonardo Jardim.

    E antes que chovam criticas a estes 2 jogadores , devo lembrar que tanto o Piris como o Dier jogaram adaptados.

    A minha sincera opinião é que este não era o meu 11 escolhido , mas também vi este 11 como uma boa opção dado que revelou ambição e vontade de querer ganhar num palco onde ja nao ganhavamos ha bastante tempo . Se foi um 11 imprundente e algo imaturo por parte de Jardim ? secalhar , mas olhando as coisas por outro prisma a verdade é que não tinhamos muito a perder e sobretudo olhando para o passado recente de jogos na luz jogar "á defesa" não tinha dado grandes resultados e aliado ao passado negro de anos sem golos penso que o nosso treinador procurou quebrar os recordes negativos .
    Já agora relevando o tal 11 que eu escolheria no lugar de Jardim seria com Dier a central e Rojo na esquerda , baixando Adrien para trinco jogando no meio Magrão e Martins com um ataque composto por Carrillo Slimani e Heldon .

    Um dos factos que eu considero bastante relevante para a má exibição foi o nervosismo da equipa , próprio de uma equipa tão jovem diga se , que principalmente na primeira meia hora fez com falhassem muitos passes e que se apostasse no jogo directo face á intensa pressão do benfica pois só assim conseguiam partir para o ataque , tal era o medo de se mover da posição para fazer sobreposições . Neste capitulo , salvou se os jogadores mais experientes e calejados como Patricio e Mauricio Nascimento que se mantiveram calmos sem acusar a pressão.

    Mais uma vez e hoje volto a repetir que uma das grandes causas destas nossas más exibições ultimamente é o facto dos médios sairem pouco da sua posição para dar linhas de passe e de se encontrarem muito longe uns dos outros no campo .
    Isto se com William ainda se disfarçava com algumas arrancadas/subidas e alguma boa visão de jogo , perante um trinco que raramente constrói como Dier notou se claramente .

    Outro facto que volto a repetir e já parece sistemático , é desde a pré epoca andar a pedir um médio diferente dos que já temos , um médio mais box to box puro , mais forte fisicamente e agressivo nos duelos capaz de levar a equipa para a frente e dar intensidade ao jogo e neste derby especialmente voltou a ficar a nu essa falta de um médio desse tipo .

    Resumindo , podiamos ter feito bastante melhor sim , mas perante o plantel que temos em que na minha opinião desde a Equipa A até á B foi muito mal delineado , com excelentes contratações e achados sim sem dúvida , mas também com abundância em algumas posições e escassez noutras, face a um Benfica com jogadores de topo e com um plantel de luxo foi o resultado esperado .

    PS. O Montero que mantém esta atitude "á Carrillo" precisa de se sentar uns joguinhos no banco !

    ResponderEliminar
  5. lionl0pes112/2/14 21:41

    Falava-se no arrojo de LJ ao incluir na equipa inicial os 2 PL da equipa, iria ser privilegiado o jogo directo em detrimento da posse e circulação da bola. O que veio a acontecer foi a perda do meio campo, e os extremos sentiram a necessidade de fechar mais o miolo do terreno deixando as alas livres para o avanço dos defesas adversários.
    As experiências deveriam ter ficado para outra altura, as escolhas poderiam ter sido outras, tais como, a inclusão de wilson numa das alas e porque não o Esgaio a médio ofensivo, a médio defensivo poderia ter jogado o André Martins, auxiliado pelo Adrien, e o para Pl teria escolhido o slimani. Jogaria no 4x3x3 que tem sido fiável até agora, pelo menos defensivamente e certamente teríamos bloqueado o jogo ofensivo do benfica dessa forma.

    sl

    ResponderEliminar
  6. Eu acho que o problema não está tanto no 11 escolhido, mas sim na estratégia delineada. Mesmo com 4x4x2 podiamos e deviamos ter pressionado melhor a 1ª fase de construção do Benfica, e dado menos espaço no nosso meio campo defensivo para eles circularem a bola.

    Eu não defendo que se vá à Luz jogar com 11 jogadores dentro da área à espera que o jogue termine 0-0. O que eu defendo e vou continuar sempre a defender é o seguinte: Quando uma equipa com menor qualidade quer ganhar a uma equipa com maior qualidade tem de ser mais inteligente, ou seja, tem de ter a melhor estratégia.

    ResponderEliminar
  7. Boas, mais uma vez quero deixar os parabens ao Honoris pela excelente análise, quanto ao jogo em si o que aconteceu foi que LJ entrou com uma estratégia que dependia primordialmente da pressão ofensiva e sobre o portador da bola e a equipa não lhe deu a resposta que ele estava á espera, alem disso as adaptaçoes de Dier e Piris não correram nada bem, o que prejudicou muito a saida de bola do Sporting, do outro lado encontramos uma equipa que entrou com tudo, uma pressão fortissima, e com jogadores inspirados na frente de ataque, dito isto, penso que qualquer que fosse a estrategia que o LJ escolhesse, a nossa equipa iria sair derrotada deste jogo, mas como todos os sportinguistas estava á espera que dessemos luta pelo menos, o que não aconteceu. Agora resta-nos continuar a apoiar a equipa como temos feito agora, e não deitar tudo a perder por causa de um jogo, é que apesar desta derrota a equipa tem feito um campeonato acima das expectativas e LJ tem feito um excelente trabalho com estes jogadores.

    SL

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!