Próximo Jogo

Próximo Jogo

21/07/2014

Primeiras notas do novo Sporting

Realizados os 3 primeiros jogos da pré-época (4 se contarmos com o jogo contra a Equipa B) é tempo de uma pequena análise, principalmente sobre o modelo de jogo que Marco Silva está a tentar implementar mas também sobre os jogadores que neste inicio de pré-época parecem ser os que mais garantias dão ao novo treinador.

Mesmo sendo uma fase inicial da pré-temporada, já é possível destacar positivamente certos comportamentos tácticos que a equipa do Sporting CP apresenta, tais como:

1ª Fase de Construção: Um movimento que já tinha sido sugerido por mim num dos post´s referentes à época anterior, como o médio-defensivo a baixar para junto dos centrais, permitindo que estes abram mais junto das laterais. Permite que a fase de construção comece com mais segurança dificultando muito o trabalho de quem a pressiona. Seja através dos passes de Oriol Rosell ou da condução de bola de Eric Dier, este é um movimento que já parece estar bem trabalhado. Independentemente de quem seja o médio mais defensivo, é assim que a 1ª fase de construção deve ser, seja qual for o adversário. 

Jogo Exterior: Mais um processo que merece nota positiva. As combinações que foi possível verificar nos corredores laterais mostraram-se muito proveitosas do ponto de vista ofensivo. Cruzar sim, mas com critério. Extremos a procurar movimentos interiores de modo a que os laterais possam garantir a profundidade, os próprios extremos procurando a linha de fundo através de combinações com os médios, ou mesmo com o avançado-centro (Fredy Montero esteve em destaque neste particular), foram movimentos positivos a retirar destes primeiros jogos. 

Transição Ataque/Defesa: Excelente a reacção à perda de bola no jogo de ontem frente ao SL Benfica. Dado que há uma maior proximidade entre os jogadores no processo ofensivo, esta é mais rápida e eficaz.

Proximidade entre Sectores: Equipa compacta, quer a defender quer a atacar. Em organização ofensiva, apoios mais próximos ao portador da bola permitiram uma circulação mais apoiada e, naturalmente, com mais qualidade. Defensivamente, equipa organizada num bloco médio, com a zona entre a defesa e o meio campo a ser muito bem ocupada pelo duplo-pivot que se revelou excelente nas coberturas.

Na minha opinião são estes os aspectos que merecem maior destaque na organização colectiva do novo Sporting CP. Relativamente às principais escolhas de Marco Silva, e mesmo tendo em conta a fase inicial em que está a pré-época, parece-me que o treinador já tem uma base de jogadores que lhe garante mais qualidade ao modelo de jogo que ele quer ver implementado:

Eric Dier - Inteligência em tudo o que faz defensivamente (timings, leitura de jogo, ajustes) e qualidade na condução de bola aquando da 1ª fase de construção.

Oriol Rosell - Defensivamente mostrou tudo o que um médio-defensivo deve ter. Excelente nas coberturas, ajustes em função do posicionamento da linha defensiva e forte nos duelos. Ofensivamente, muito critério com bola, seja na 1ª fase de construção ou numa zona mais adiantada do terreno. Qualidade de passe e visão de jogo são outros dos atributos principais do médio espanhol.

Adrien Silva - Talvez seja arriscado dizer isto já nesta fase, mas acho que o médio português irá ter mais influência na fase de criação em relação ao modelo de jogo de Leonardo Jardim. Mais solto e com mais liberdade para aparecer em zonas mais adiantadas, Adrien Silva tem tudo para ser muito importante na criação de situações de finalização, tanto para os seus colegas como para ele próprio, através de remates fora da área.

Fredy Montero: Classe em tudo o que faz. A inteligência com que se move na frente de ataque, com que recua para servir de apoios, é fundamental para que o futebol do Sporting CP seja apoiado e dinâmico. Segura a bola como poucos, temporiza e solta no tempo certo. Se for bem servido será peça chave também na finalização.

No entanto, nem tudo foram aspectos positivos. Acho incompreensível que em 180 minutos (2 jogos da Taça de Honra), Marco Silva não tenha dado oportunidades a jogadores como Shikabala e Ryan Gauld. Resta esperar pelos próximos jogos para concluirmos o porquê da pouca utilização destes dois jogadores.

Apesar desta última nota, que considero negativa, a apreciação global em relação à evolução da equipa nesta pré-época, e consequentemente ao trabalho de Marco Silva, não deixa de ser bastante positiva. Esperemos agora que continue numa trajectória ascendente para atingir o elevado patamar competitivo, tão necessário para conquistar os almejados títulos! 
Partilhar:

15 comentários:

  1. dois reparos: se o shikabala e o gauld nao jogam por alguma coisa é. infelizmente para o shikabala, serao razoes distintas. acho que temos aqui um outro vukcevic. qt ao eric dier, há que estar mais atento. ele é trapalhao, cada vez que se faz a um lance demonstra muito pouca seguranca no que faz. felizmente para nós, vai ser uma boa venda. com o resto, parabens pela boa análise

    ResponderEliminar
  2. Excelente post, concordo em tudo e exactamente o que eu pensei do jogo, acho que com 1 extremo que entre de caras no 11 e mais um Lateral esq da para fechar o plantel , claro se houver saida vao ter que ser colmatadas.

    SL

    ResponderEliminar
  3. excelente post concordo em tudo menos numa coisa o gauld ainda e muito novo para ser lançado as feras sobre o shika talvez tenha a haver com o fisico porke esta em pleno ramadao obrigado honoris

    ResponderEliminar
  4. Eric tem tudo para ser o "William" dessa época...
    o Sporting tem fazer todos os possíveis para renovar com Dier , jovens de grande valor e que já esta ambientado a Portugal ao contrario do egípcio ou outro jovem que chegue de fora....

    ResponderEliminar
  5. Ricardo David

    Não posso discordar mais de si. Aliás, peço desculpa pela frontalidade, mas você não podia estar mais errado nessa analise que faz sobre o Eric Dier. Apesar da idade, é um central que domina todos os conceitos defensivos, como o posicionamento, o tempo de entrada a bola, as coberturas e etc. É forte nos duelos também. Não vejo onde é que ele possa ser inseguro. Não tenho duvidas que se o Marco Silva apostar nele, irá mudar de opinião em relação ao Dier.

    SL

    ResponderEliminar
  6. nao tem nada de pedir desculpa. eu sou frontal e só espero frontalidade de si. ele tem de facto muitas qualidades, mas a meu ver nao tem categoria para ser titular. se estiver errado, cá estarei para o elogiar: ao Dier e a si pela sua análise. SL

    ResponderEliminar
  7. Apesar de não estar tudo bem neste momento, penso que o trabalho de Marco Silva tem sido levado a cabo com sucesso pelos jogadores do Sporting.
    Mas não nos podemos iludir porque com este actual elenco de jogadores será muito difícil sermos campeões nacionais.E esta minha desconfiança é depois de ver dois jogos onde a maior debilidade do Sporting está bem á vista de todos: a ausência de extremos que resolvam jogos.

    Em relação ao post, concordo e nada mais há a acrescentar, mas não gostei dos últimos 15 minutos do jogo contra o benfica. A equipa recuou muito e limitou-se, na maioria das vezes, ao chutão para a frente.

    ResponderEliminar
  8. André

    É normal numa fase inicial da pré-época a equipa não conseguir manter a mesma pressão durante o jogo todo. Alias, nem durante a época é possível isso. O problema nunca será baixar o bloco. Podemos recuar, temos é de saber o que fazer à bola quando a recuperamos ( evitando o chutão).

    Quanto à ausência de extremos que decidam jogos, concordo em absoluto contigo. É o que falta a este Sporting.

    ResponderEliminar
  9. Quero saudar a boa analise que fez deste ultimos 3 jogos! so nao concordo com o destaque a fredy montero pois acho que apesar de ele segurar a bola bem e deixar ela redodinha para os medios falta uma coisa muito importante - intensidade! Eu posso garantir que isto nao e por causa da pre epoca pois ja na segunda parte do campeonato e demonstrou claramente a falta de intensidade e trabalho! E claro que muitas vezes ele e muito mal servido mas mesmo assim ao contrario de slimani ele nao e um jogador batalhador como por exemplo o Liedson! Tenho tambem de destacar nao so a falta de extremos para resolver mas tambem a falta de criatividade que o sporting as vezes demonstra na zona central do terreno que mais desiquilibrios causa! Era importante termos um jogador que podesse jogar entre linhas e com criterio temos o Joao Mario mas ainda so vejo flashes do que ele pode fazer! E esperar para ver!

    ResponderEliminar
  10. Mauro Batalha

    Concordo consigo quando diz que o Montero apresentou falta de intensidade em determinados jogos da época anterior, nomeadamente na 2ª volta. No entanto, na minha opinião, há factores que podem explicar um pouco dessa falta de intensidade, principalmente o facto de Montero ter estado sem férias vários meses seguidos. É um crime "julgar" um jogador com a classe dele pelo que faz defensivamente não concorda? É com bola que Montero mostra o que realmente pode dar ao nosso futebol.

    Como referido no meu post anterior a este, a fase de criação pelo corredor central é fundamental. Apesar de o modelo do Marco Silva privilegiar os movimentos interiores dos extremos, concordo que falta criatividade na zona central, por isso a minha critica para a não utilização de Shikabala e Ryan Gauld,

    ResponderEliminar
  11. Felizmente que veio rapidamente este jogo contra o SLB para a equipa do SCP limpar a imagem que tinha deixado no jogo com o Belenenses, principalmente na segunda parte.

    O jogo de ontem mostrou uma equipa organizada e com alguns jogadores em bom plano, e o que havia a dizer sobre ele já está dito na excelente análise - mais uma, aliás - do comentador que os leitores do SVPN já consagraram.

    Queria só fazer um pequeno destaque a um jogador que não é referido no post, mas que me agradou imenso no jogo de ontem: Carrillo.
    É ainda muito, muito cedo para se tirar qualquer conclusão definitiva sobre este ou aquele jogador e, muito menos, sobre Carrillo, que ao longo dos anos nos tem vindo a desiludir.
    Ontem, contudo, Carrillo pareceu-me diferente em tudo, até no olhar: mais concentrado, menos individualista, a soltar a bola mais cedo, com grande disponibilidade para defender.

    Espero que se trate de uma mudança de atitude do jogador, quiçá por influência do novo treinador, que o consiga finalmente guindar ao patamar que merece e que o SCP precisa.
    Caso consiga pôr em campo todo o seu potencial, Carrillo será seguramente o tal extremo que desequilibra e por quem todos nós suspiramos.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  12. Jarvalho

    Eu não coloquei o nome do Carrillo, propositadamente. Para mim foi a par de Montero foi o melhor jogador do Sporting no jogo de ontem. A justificação tem a ver com a irregularidade que bem conhecemos no Carrillo. Aqueles que referi no texto, são os que na minha opinião dão um maior suporte do modelo de jogo que Marco Silva quer implementar. Claro que se me dissessem que este ia ser o Carrillo durante maior parte da época, eu dizia logo que ia ser determinante no modelo de jogo, porque é um jogador que desequilibra qualquer organização adversária.

    ResponderEliminar
  13. Excelente post, com uma visão bem detalhada do que tem sido até ao momento os 19 dias de trabalho de Marco Silva no Sporting !
    No entanto como já referi tem alguns pontos que discordo, alguns aspectos de Marco Silva não acho positivos mas ele saberá melhor que eu obviamente montar uma equipa que seja capaz de fazer o nosso clube aquilo que queremos que é o Campeonato.

    Desde já admito que a 1ª fase de construção tem estado muitissimo bem, mas o que não gostei foi o facto de quando o Rossell (grande pensador diga-se) baixava e tinha a bola em sua posse, raramente um dos interiores ou mesmo um dos extremos baixava para dar uma linha de passe mais curto e não obrigar o espanhol a um jogo mais direto.
    Ainda para mais contra a pressão alta do Benfica, o jogador espanhol estava sempre sujeito a um risco de falhar um passe naquele "fosso" entre linha defensiva e ofensiva.

    Quanto ao jogo exterior e ás transições concordo plenamente, tendo gostado muito de ver aquele futebol apoiado e de combinações simples a fazer lembrar o Arsenal de Wenger.

    A proximidade entre setores parece uma excelente novidade, depois de termos batido tanto nesta tecla em Lj ,Marco Silva parece que está apostado em se fazer valer de um bloco muito coeso e unido seja no ataque e na defesa que para mim dá ainda mais moldura ao significado de "Equipa".

    Outra novidade que gostei foi ver a dupla de centrais a sair mais frequentemente a jogar, libertando por vezes Rossell e os respectivos 2 interiores para terrenos mais ofensivos, apostando numa superioridade númerica (contra o Benfica que joga com 2 médios ainda mais benéfica) e numa subida rápida do bloco.

    Falta falar também de outras caracteristicas positivas do Sporting de Marco Silva, a defesa subida que embora tenha sido recuada tendo em conta as bolas nas costas e o adversário, é extremamente fundamental em 30 dos 34 jogos da liga.
    Pessoalmente também gostei do "adormecimento" que Marco Silva incutiu, em que aposta na posse momentaneamente e enerva o adversário e obriga á pressão desenfreada e á subida de linhas para depois lançar bolas nas costas venenosas para explorar a velocidade dos atacantes.

    Quanto a aspectos mais negativos, estão intimamente mais ligados com 2 jogadores : Adrien e Freddy Montero.
    Adrien é um excelente jogador sem dúvida , mas continua a ser um jogador que se move pouco para dar linhas de passe e que sobretudo sai pouco do seu raio de acção muitas das vezes desiquilibrando o meio campo da própria equipa. E isso é revoltante pois penso que Adrien ainda tem aquele último passe e a meia distância que o tornaram um excelente 10 na Académica.

    Quanto ao Montero não me parece ser um ponta de lança para jogar sozinho na frente de ataque pois apesar de ser um craque com a bola nos pés e a construir ofensivamente o jogo, é um bocado lento e treme bastante no choque para álem de que não se enquadra num jogo de vários cruzamentos como o do Sporting.
    Mas Marco Silva na minha opinião também tem alguma culpa, pois está neste seu modelo a usar um falso 9 que apesar de poder ser mais valia em jogos grandes, nos jogos contra os tipicos autocarros é uma limitação clara.
    Os avançado seja Montero ou Tanaka tem caido constantemente nas alas em movimentos de rotura e tem recebido muito poucas bolas na sua carreira de tiro, para alem de que não são jogadores assim tão fortes no jogo aereo para finalizar eficientemente cruzamentos de Cedric, Jefferson ou dos extremos.

    Isto é apenas espelho de uma pré-epoca numa fase inicial pelo que as mudanças no plantel mais a assimilaçao e adaptaçao de ideias dos jogadores ao modelo pode vir a alterar este panorama todo traçado.

    SL

    ResponderEliminar
  14. Out

    Excelente comentário. No entanto não posso concordar contigo quando te referes ao Adrien e ao Montero e passo a explicar porquê.

    Acho que quando dizes "mas continua a ser um jogador que se move pouco para dar linhas de passe e que sobretudo sai pouco do seu raio de acção muitas das vezes desiquilibrando o meio campo da própria equipa." não tás a analisar o jogador em si, mas as funções que tinha num determinado modelo de jogo. O que eu vi nestes ultimos 2 jogos foi um Adrien bem mais solto do duplo-pivot, com liberdade para aparecer em zonas mais adiantadas ( exemplos: jogo da meia final em que no lance do remate do Carrillo é Adrien que lhe passa a bola, bem perto do 2º poste; No jogo contra o Benfica, Adrien a aparecer em zonas de finalização e à entrada da grande area para rematar de fora). Claramente é um Adrien mais dentro do bloco neste modelo de Marco Silva comparado com o do LJ.

    Quanto ao Montero, quando dizes que o facto dele se movimentar muito é uma limitação contra equipas mais fracas estás completamente enganado. Não é por teres um jogador fixo na área que vais ter mais facilidades em criar situações de finalização, bem pelo contrário. Quantos mais jogadores tiverem movimentações que causem desequilíbrios na organização defensiva adversária mais qualidade irá ter a fase de criação do Sporting. Se as movimentações do Montero abrirem espaço para a entrada dos médios e extremos, o ataque do Sporting não perde qualidade com a ausência de um PL que passa o jogo "todo" dentro da área adversária. É muito mais difícil para os centrais adversários ter pela frente um avançado inteligente nas movimentações como o Montero do que um que lhes possibilite ter sempre uma referencia individual com a qual se preocuparem.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O montero e um grande jogador e nao se fala mais nisto

      Eliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!