Próximo Jogo

Próximo Jogo

08/01/2015

De Carrillo a Mané


O Sporting Clube de Portugal derrotou ontem os nortenhos do FC Famalicão, em Alvalade, por 4-0, para os Quartos-de-Final da Taça de Portugal, na pior casa da época (11 683 espectadores), cumprindo a sua missão, na competição em que passou a ser o principal favorito, visto já não estarem presentes os dois rivais, SL Benfica e FC Porto. O principal opositor passou agora a ser o SC Braga, com o qual só nos cruzaremos na Final se entretanto ultrapassarmos os madeirenses do CS Marítimo ou CD Nacional, ao passo que os bracarenses tentarão derrotar os vilacondenses do Rio Ave FC.

Apesar da goleada, em grande parte consequência de algum (tímido) brilhantismo na etapa complementar, o desafio de ontem não pode ser considerado um bom jogo. Pelo menos não idealmente. A equipa demorou tempo demais a sair das amarras do tempo caindo demasiadas vezes na teia bem montada pelo treinador do FC Famalicão, e a eficiência, a objectividade e a eficácia da equipa do Sporting CP foi parca em muitas ocasiões. Ainda assim, os quatro golos que carimbaram a passagem dos leões às Meias-Finais da Taça de Portugal não traduzem suficientemente a produção da equipa.

Pela positiva, e não descurando o contexto do jogo e do adversário que enfrentámos, a consistência defensiva. Apesar de alguns (poucos) sustos - que denotam, ainda, alguma deficiência no controlo da profundidade - a equipa manteve-se coesa conseguindo menorizar possíveis estragos. Parece-me incontornável considerar que a dupla Paulo Oliveira-Tobias Figueiredo (ambos jovens; 23 e 20 anos respectivamente) tem tudo para se tornar a dupla de centrais titular, a breve trecho. Quase exclusivamente pela qualidade individual de cada um, e em comparação directa com os concorrentes directos (Maurício e Naby Sarr). Em boa verdade, não considero que Tobias Figueiredo esteja já pronto para ser lançado às feras, mas é cada vez mais indiscutível que é qualitativamente superior ao brasileiro e ao francês. Nas alas, Jonathan Silva esteve q.b. e Miguel Lopes adensou ainda mais as críticas que lhe fazem, provando uma vez mais que não está à altura da equipa. A insistência no internacional português parece-me já descabida, até porque há outros laterais à espera do espaço que está a ser (mal) concedido a Miguel Lopes, nomeadamente Ricardo Esgaio e Mauro Riquicho. À parte de tudo isto, Marcelo Boeck começa a preocupar-me, pela insegurança que vai demonstrando...

William Carvalho e Oriol Rosell estiveram ontem na origem de dois golos, saindo dos pés de cada um deles um passe de ruptura fantástico. Oxalá façam isto mais vezes! Já João Mário esteve igual a si próprio, embora não se tenha evidenciado muito, pese o golo que assinou.

Nas alas, André Carrillo e Carlos Mané, em lados e pólos opostos exibicionalmente. O peruano fez mais uma excelente exibição, marcando um golo de bandeira, desbloqueando um jogo onde foi uma constante dor de cabeça para o adversário (tornando cada vez mais crucial a renovação); já o português somou mais uma exibição "apagada", que foi inclusivamente brindada por um coro constante de assobios. O "tribunal de Alvalade" continua sem aprender as lições de um passado não muito distante, onde Nani e Rui Patrício são exemplos caros da injustiça do julgamento sumário que se lhes faz, avulso e irracionalmente. De repente, faz-se de conta que Carlos Mané é mais velho e mais experiente que os seus tenros 20 anos e assobia-se, como se tratasse de um jogador mais ou menos obrigado por decreto a fazer melhor, esquecendo o plano de crescimento a que inclusive anuíram. Não querendo com isto escamotear as más exibições recentes de Carlos Mané, como é óbvio.

Todos temos os nossos gostos e as nossas embirrações, mas isso não nos dá o direito de destruir jovens jogadores a bel-prazer, por tudo e por coisa nenhuma. Sob pena de depois se queixarem que os jogadores são ingratos ou outra coisa qualquer da mesma índole, como já vi acontecer mais que muitas vezes.

Na frente, Junya Tanaka e Fredy Montero constituíram uma boa dupla. O japonês assinou três assistências para golo e o colombiano demonstrou toda a sua visão de jogo (além do golo que rubricou). Novamente, convém relembrar o contexto do jogo e do adversário, não que queira dizer que isto não será possível noutros jogos de cariz mais complicado mas porque fazer boas exibições ante um FC Famalicão não é a mesma coisa que fazê-lo, por exemplo, já no fim-de-semana, contra um SC Braga. Obviamente...

Uma última nota para o Treinador, Marco Silva, não pelo jogo em si, pela estratégia ou qualquer outra opção técnico-táctica inerente mas pela escolha dos convocados para jogos desta estirpe: não seria possível ter Wallyson Mallmann ou Ryan Gauld pelo menos no banco (já nem refiro Iuri Medeiros, por ter sido titular na Segunda-feira, pela Equipa B)? E André Geraldes, não merecia (outra) oportunidade, desta vez na lateral-direita?
Partilhar:

6 comentários:

  1. Wallyson, Gauld, Iuri e Geraldes estão reservados para a taça da liga.

    ResponderEliminar
  2. Mike Portugal,

    É essa a justificação? Deixe-me dizer-lhe é um tanto/quanto absurdo. Daniel Podence também seria um dos que estão reservados para a Taça da Liga? E Tobias Figueiredo, também? E Ricardo Esgaio, também? É que jogaram os 3 ontem. E André Geraldes (que esteve no banco), também?

    Referi Wallyson e Gauld porque não jogaram, ambos, na Segunda-feira, na derrota da Equipa B frente ao SL Benfica (0-1) por castigo. Poderiam muito bem jogar ontem, mesmo que não fossem escolhidos para o 11 titular...

    "Reservados"? Nonsense...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo8/1/15 22:02

    jogo de baixa "intensidade" na 1ª parte.relvado caótico...mais "dia menos dia",o relvado de Alvalade é um problema que terá obrigatóriamente que ser resolvido.
    Jogo contra o famalicão,uma equipa sobejamente inferior á nossa não se entendendo por isso a não utilização de outros jogadores da equipa B além dos que fora utilizados.na minha opinião isto refletiu sobretudo "algum receio" que Marco Silva terá tido em relação a este adversário,sendo esta na minha opinião a justificação para não terem jogado,Gauld,Iuri,Wallison etc.
    Grande golo de carrillo foi práticamente o unico lance digno de registo na 1ª parte.
    2ª parte mais "intensa" por parte do sporting mas mesmo assim a vir á tona alguma falta de atitude competitiva por parte dos jogadores do sporting,destoando aqui pela positiva a concentração total de paulo oliveira e sobretudo o empenho de carrillo e tanaka em fazerem um jogo competente apesar do inferior valor do adversário.
    Considero ter sido excessivo o tempo de jogo para carrillo quando podia ter sido poupado bem mais cedo a pensar no jogo com o braga...Mas,o Marco Silva lá saberá.

    Anibal1906

    ResponderEliminar
  4. Concordo inteiramente com a análise individual feita aos jogadores do SCP que ontem defrontaram o Famalicão, bem como com as criticas deixadas à não inclusão dos jogadores Gauld e Wallyson no jogo de ontem (particularmente estes dois).

    Ainda que não devessem ter entrado de início (pelo menos os dois em conjunto), teria sido bastante interessante vê-los a desfilar ontem junto aos jogadores da equipa principal e teria constituido também um incentivo para ambos.

    Gostei da qualidade das assistências para golo de Tanaka e da forma como executou os lances de bola parada, concretamente os cantos, sempre bem marcados. O que demonstra que aquele livre que marcou no jogo com o Guimarães não lhe saiu daquela forma por acaso.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  5. Sem ser para alimentar polémicas mas em nome do projecto que identifica o maior valor do Sporting, fica demonstrado porque razão sempre que chega a mercado de transferências começamos a propor soluções de reforços para esta é aquela posição. Daí que embora mal gerida a passagem do recado o Presidente quis demonstrar que quer mudar esta mentalidade tímida de aposta na equipa B, os nossos ovos de ouro. Depois das exibições de Gauld e Wallinson, justificava se a presença destes 2 contra o Famalicão, efectivamente só 1 jogador o Tobias beneficou, é pouco tendo em conta os inúmeros talentos na academia, é preciso que o Marco abstraia se da mentalidade de núcleo duro num clube onde produzem talentos de classe dos Cristiano, Figo, Nani, Simão, Moutinho, Bruma, etc.
    SL

    ResponderEliminar
  6. Mauro,

    1º Não me trates por "você"

    2º Pode ser nonsense mas os factos comprovam o que eu disse.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!