Próximo Jogo

Próximo Jogo

01/01/2015

De Trás Para a Frente


Nas últimas semanas, Bruno de Carvalho veiculou - a meu ver, bem, diga-se - que os reforços de Inverno da equipa seriam uma mescla entre os pouco utilizados reforços de Verão, e algumas promessas da equipa secundária. No entanto, e mesmo tendo esta estratégia em conta, creio que a posição de defesa-central é um "tendão de aquiles" no plantel.

Enquanto Paulo Oliveira está a começar a demonstrar toda a sua qualidade, Maurício Nascimento têm mostrado sérias dificuldades em acompanhar as novas exigências do Sporting CP, versão 2014/2015, Naby Sarr ainda é, na minha opinião, um projecto de jogador e Ramy Rabia encontra-se ainda em fase de adaptação, que tem sido bastante condicionada por algumas lesões levando a que não consiga jogar com regularidade. Defensivamente, a própria equipa tem estado a um nível abaixo do aceitável, sendo recorrentes os reparos no processo defensivo do meu colega Honoris, o que se tem acabado por reflectir em alguns resultados mais negativos, traduzindo-se em 24 golos sofridos num igual número de jogos.

Convém também referir que estes problemas defensivos não têm só Marco Silva como culpado já que, com jogadores com fraca "inteligência posicional", como Cédric Soares e Maurício - sem desprimor para a qualidade dos mesmos- se torna mais complicado trabalhar uma linha defensiva fiável em apenas 6 meses. Para que se torne eficiente e coeso, o processo defensivo precisa, antes de tudo, de tempo. Mas também de jogadores que só por si saibam executar as indicações do treinador na íntegra e resolver no momento algumas decisões determinantes, sem a ajuda do mesmo. Não acredito ser fácil implementar uma boa organização defensiva quando, nos jogos, alguns jogadores parecem não saber fazer uma simples cobertura ou contenção no espaço certo. Isto para não falar das típicas qualidades técnicas de um bom central, como o jogo aéreo, o jogo de pés ou o próprio tackle, que em determinada situação acabam por ajudar.

Considero, portanto,  inevitável e simultaneamente unânime que será necessária uma investida ao Mercado de Inverno por um defesa-central que venha atenuar as dificuldades sentidas no processo defensivo e, ao mesmo tempo, conferir mais qualidade na sua linha. Com esta urgente necessidade de uma contratação de qualidade, começarei uma série de posts nos próximos tempos em que tentarei apresentar soluções de qualidade e, sobretudo, adequadas à realidade do Sporting Clube De Portugal. Neles tentarei explicar de forma clara e concisa algumas características desses jogadores e o porquê de os considerar mais-valias para o Clube, inserindo-os no panorama actual da equipa.
  • Mas que tipo de central temos de contratar?
Temos de definir um critério que nos leve ao encontro dos alvos sugeridos, e o critério que pretendo seguir terá como principais premissas:
  1. Velocidade de reacção e de deslocamento, devido às linhas subidas do modelo de Marco Silva e das constantes exposições a situações de bolas na profundidade por parte dos adversários;
  2. Qualidade quer no jogo de pés quer na decisão da saída de bola, já que o actual Sporting CP se rege por percentagens altas de posse de bola, apesar que na 1ª fase de construção continuem a existir alguns erros técnicos. Assim pode vir a dar seguimento, no inicio da construção, à qualidade posse que já se verifica nas outras zonas do terreno;
  3. Em termos de idade do jogador, a minha preferência será por jogadores jovens ou de idade intermédia (23-26 anos) mas já com experiência e capacidade para serem titularíssimos no imediato. No entanto, se entender que um jogador já perto/ou da "casa dos 30" possa oferecer muita qualidade à equipa, obviamente que o apresentarei;
  4. Salvo alguma excepção, não apresentarei jogadores experientes, já "velhos conhecidos", como Ricardo Costa ou Bruno Alves, pois considero que já dispensam apresentações;
  5. É imperativo que o jogador esteja consciencializado das noções tácticas europeias, sendo portanto descartados jogadores que se encontrem a jogar noutros Continentes sem nunca terem jogado na Europa, ou que se encontrem na Europa apenas há 1/2 anos.
    Continuando na linha dos meus posts reafirmo que, se queremos competir com SL Benfica e FC Porto e "cavar o fosso" de qualidade existente, seria importantíssimo apostar num scouting que nos permitisse contratar jogadores de igual nível dos rivais, a um custo obviamente mais reduzido dadas as desigualdades financeiras dos 3 Clubes. Arrisco-me a dizer que o scouting poderá ser a chave de sucesso para qualquer Clube. Tomemos o caso do FC Basel, mais recentemente, como exemplo, que para se voltar a reerguer no panorama do futebol actual se serviu do scouting em mercados periféricos e que tem trazido vários mais-valias, como são os casos de Salah e Dragovic e, mais recentemente, Elneny e Embolo.

    E vocês, acham que há qualidade. internamente, para resolver os problemas defensivos? Concordam com os critérios definidos ou gostariam de acrescentar outros? Qual a margem financeira que acreditam que o Sporting CP poderá dispor para o defesa?
    Partilhar:

    4 comentários:

    1. Bom post, Ruben "Out" Ribeiro.

      Ficaram a faltar umas palavras sobre o Tobias Figueiredo para ser perfeito.

      ResponderEliminar
    2. ILLUMINATOR2/1/15 02:13

      Tobias Figueiredo!

      ResponderEliminar
    3. Anónimo2/1/15 10:30

      Não vejo os muito experientes como os mais indicados para contratar pois não tem nessa fase última a velocidade de reacção e deslocamento, são bons mas não para o nosso estilo de jogo subido, por isso torço o nariz para os Bruno Alves, Ricardo Costa, etc.

      Penso que em termos de estratégia o ideal para mim seria ter um central de crédito firmado ao lado de um dos nossos formados na academia. No entanto vejo aumentarem a quantidade desses que vão se tornando falhas, a disputarem que está em forma naquele momento e nunca os treinadores dão chance aos nossos formados.
      O Tobias mostrou serviço, acho que está é a oportunidade ideial, tem potencial, o ideial era ser ele a ter oportunidades ao invés do B do Lyon. Essa situação aplicasse ao Semedo que neste momento estaria a ter melhor prestação que o Maurício. Estes 2 jovens a curto prazo persistindo neles dão nos mais garantias que os existentes na equipe principal. Que se olhe para William ou João Mário, que se firmaram em curto prazo.

      O Naby Sarr devia actuar por empréstimo na 1 a liga, tem porte mas demasiadas lacunas para serem ligadas.

      SL

      ResponderEliminar
    4. Acabam de falar em Léo do Cruzeiro , qual é a sua opinião acerca deste ?

      ResponderEliminar

    O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

    Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

    Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!