Próximo Jogo

Próximo Jogo

29/01/2015

Reabre-se a discussão da (in)coerência

Com o empate de ontem, em Alvalade, para a Taça da Liga, ante um Vitória FC que jogou 50 minutos com 10 elementos, por 1-1, o Sporting Clube de Portugal vê-se dependente de resultados de terceiros para seguir em frente para as Meias-Finais da prova. Vitória FC e CF "Os Belenenses" terão obrigatoriamente que perder pontos na última jornada do Grupo C, a disputar no dia 4 de Fevereiro, ante Boavista FC e Vitória SC, respectivamente, para que os leões consigam o apuramento para a Meia-Final que se jogará no Estádio da Luz, ante o SL Benfica.
  • Que partido tirou o Sporting CP da Taça da Liga 2014/2015?
Comecemos pelos jogadores. Exceptuando o guardião Marcelo Boeck, que já todos conhecemos de outras épocas, Miguel Lopes demonstrou não ter capacidade para agarrar o lugar - mesmo perante um Cédric Soares a quem se possa encontrar defeitos vários ( e juntemos a isso o óbvio problema da massa salarial); André Geraldes, na esquerda ou na direita, parece curto, ainda que tenha demonstrado não ter ainda os predicados que dele se esperariam (embora não me pareça pior que, por exemplo, Miguel Lopes), consentâneos de um Clube com a grandeza do Sporting Clube de Portugal; no centro da defesa, finalmente Tobias Figueiredo provou a sua supremacia relativamente aos seus concorrentes - e subiu já ao plantel principal dos leões, e o egípcio Ramy Rabia mostrou, aqui e ali, potencial a ser explorado e exponenciado (tanto a defesa-central como a médio-defensivo) - embora me pareça ainda impreparado, já o franco-senegalês Naby Sarr só comprovou a sua notória falta de qualidade, ao ponto de não se vislumbrar qualquer futuro auspicioso com a verde-e-branca vestida.

A propósito: não consigo entender o receio - se é que é factual - em emprestar Naby Sarr, visto haver Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo, Ramy Rabia, eventualmente Nuno Reis (e aqui elenco-o por comparação, porque não o acho suficientemente bom) e o brasileiro Ewerton, recém-contratado, assim que esteja fisicamente disponível.
 
No meio-campo, o brasileiro Wallyson Mallmann e o escocês Ryan Gauld foram os principais destaques. Julgo que Marco Silva deveria considerar chamá-los mais vezes aos jogos da equipa principal porque têm qualidade para isso, ao invés de os desperdiçar ao serviço de uma Equipa B, numa Segunda Liga que é claramente insuficiente para eles. Em contraponto, o búlgaro Simeon Slavchev que, 7 meses depois da sua chegada, tarda demasiado em agarrar um lugar sequer ao serviço da formação secundária dos leões - empréstimo em vista?! Para onde?! Dizer também que não desconsidero totalmente o médio búlgaro, por ora, porque me parece ter alguma qualidade, embora ache que pode ser mais e melhor rentabilizado numa posição mais recuada. André Martins teve também na Taça da Liga um aliado: mostrou que faz mais e melhor i) jogando em vez de Adrien Silva, na sua posição com as mesmas funções, ou ii) jogando num meio-campo sem Adrien Silva como companheiro de sector. Parece cada vez mais notório que a displicência do mais bem pago médio leonino - quer no controlo de bola, na visão de jogo e decisão ou nas coberturas - começa a ser um entrave às acções tácticas da equipa, pese embora a sua capacidade nas recuperações de bola. Quanto ao catalão Oriol Rosell, demonstra competência. Mas é ainda muito insuficiente para as necessidades da equipa.

Na frente de ataque, Daniel Podence parece ter muita qualidade mas ainda perde bastante por enfeitar demasiado as suas iniciativas. Falta-lhe sentido prático. Continuo a achar que a posição ideal para Ricardo Esgaio seria a médio-interior e, por isso, ao serviço dos leões parece-me que só terá alguma chance de futuro a lateral-direito, posição em que não gosto de o ver jogar devido à sua inteligência e visão de jogo, a pedir mais jogo, mais bola nos pés. O miúdo Gelson Martins é, essencialmente, um repentista. Bem trabalhado pode dar um jogador acima da média, mas não para já. Ousmane Dramé parece ter boa técnica (já o tinha demonstrado ao serviço dos bês) mas pouca inteligência táctica, ao contrário de Hadi Sacko que só consegue jogar com espaço, tirando partido da sua velocidade e alguma facilidade de remate. Sim, "jogar no Sporting não é para todos", como disse - e muito bem - Marco Silva.
 
Falta Junya Tanaka, Diego Rubio e Cristian Ponde. Todos sofrem do mesmo problema: nenhum dos três é um verdadeiro Ponta-de-Lança, um matador. São todos relativamente bons avançados, mas com uma clara falta de presença na área - embora, neste aspecto, o japonês me pareça o mais talhado para essas funções. O chileno demonstra aquilo que já se lhe conhecia desde que chegou a Alvalade. E daí não passou, continua igual! Cristian Ponde ainda está a tentar recuperar a qualidade que foi perdendo devido a uma lesão grave. A rever...

Porém, a verdade é que o Sporting Clube de Portugal correu o risco da não qualificação, ao enveredar pela estratégia de jogar com menos utilizados/bês. Conseguiu, ainda assim, 7 pontos (2 vitórias, 1 empate, 1 derrota) - o que é mais do que inicialmente previsto (por mim, pelo menos) - mas que pode ser insuficiente, em caso de vitória dos lisboetas do CF "Os Belenenses" ou dos setubalenses do Vitória FC.
  • E a coerência? Temos ou não temos princípios?
Quando nos primeiros jogos se conseguiu duas vitórias consecutivas, em Guimarães (0-2) e em Alvalade ante o Boavista FC (1-0), liam-se algumas (muitas) loas aos miúdos que conseguiam fazer frente aos graúdos e até vingar alguns resultados menos bons. As dúvidas começaram no jogo seguinte, quando nos deixámos perder 3-2 quando conseguimos estar a ganhar por 0-2 aos belenenses (independentemente de dois erros graves da equipa de arbitragem que resultaram em dois golos para os adversários). A imaturidade também se paga. Mas já não sabíamos disto?!
 
"Não seria melhor usar mais jogadores da equipa principal? Vamos ficar pelo caminho à custa disto! O Bruno de Carvalho devia repensar o que prometeu...", ouvi e li eu, vindo dos mesmos personagens que, depois, caem em cima que nem urubus perante aquilo que dizem ser promessas não cumpridas do Presidente. Costumo dizer que um homem sem princípios não é ninguém e, portanto, só posso estar de acordo com a continuidade nesta aposta (que já se sabia ser de risco a priori) e a manutenção de uma decisão que se fez por princípio, devido às recorrentes e constantes faltas de respeito de que o Sporting Clube de Portugal foi alvo nesta competição, ao longo das épocas. Mesmo que tenhamos que ir à Luz fazer frente ao SL Benfica...
  • E a aposta na formação? Só vejo estrangeiros...
É invariavelmente verdade que a nossa formação está pejada de estrangeiros e que, por isso, muitos jogaram nesta Taça da Liga. Reconheça-se, acrescentando, que os moldes e regulamentos desta competição, tal como estão/são, são quase inacreditavelmente constrictores para os Clubes mais pequenos, favorecendo claramente os Clubes de maior expressão das duas Ligas que consagram a Taça da Liga, além de não salvaguardarem a utilização devida do jogador português ou do jogador formado no País e/ou no Clube competidor, pelo que esta medida não deveria partir "só" da opção de cada Clube (e este ano até houve mais Clubes a apostarem em jovens jogadores da formação) mas sim da responsabilidade do organizador, que devia rever (senão acabar mesmo) quer os moldes competitivos quer os regulamentos desta competição que - recorde-se - começou a partir de um projecto conjunto em que Boavista FC e Sporting CP foram os Clubes apresentantes.

A formação leonina está notória e perigosamente em declínio, pese embora alguns bons valores (cada vez mais raros) que continua a produzir. O problema tem que ser atacado e resolvido pela base, desde as equipas mais jovens, com um recrutamento capaz e competente (sem entrar em loucuras no mercado, como têm feito os nossos principais rivais), pela inclusão de técnicos e coordenadores competentes, das mais variadas áreas de acompanhamento ao jovem jogador, por forma a propicionar-lhe não só crescimento desportivo mas também crescimento cívico e social. Quero acreditar que os responsáveis estão a par disto (que não criaram mas menosprezaram em certa medida) e comprometidos em tentar menorizar os estragos, numa primeira fase, e depois reencarrilar novamente aquela que é e - esperamos - será sempre uma das maiores bandeiras do Sporting Clube de Portugal!
Partilhar:

15 comentários:

  1. Bom ponto da situação, Mauro

    Irónico é que, pelo menos na minha opinião, nos jogos onde jogámos pior ganhámos, e nos que jogámos melhor e criámos inúmeras oportunidades para vencer facilmente, acabámos por não conseguir fazê-lo.

    É assim o futebol, mas considero, tal como tu, que a taça da liga foi útil essencialmente para ver quem está ou não preparado para entrar no plantel principal.

    SL

    ResponderEliminar
  2. O Rabia pareceu-me um jogador muitissimo interesante no jogo que vi da B , a jogar a 6 , ali pode vir a ser um jogador muito acima da média.

    Ganhamos Gauld , que para mim como voce sabe na B parecia-me mais um , e nãpo julguei que o futebol da B e o contexto provavelmente não eram favoraveis a que eu visse o seu talento , principalmente quando foi adaptado para interior.

    Mas o que posso dizer é que ganhou na B , capacidade de choque , alguma massa muscular , reação defensiva e principalmente solidariedade. No jogo com o Belém subiu no terreno , e sem medo foi protagonista com a bola , e mostrou-se um jogador muito forte no ultimo passe e antes de receber já pensa onde vai meter a bola , nem que seja no buraco de uma agulha.

    É hoje um médio muito mais completo e preparado para vir a ser , o abre latas que falta no jogo interior do SCP.

    Ganhamos Mallmann como quem diz , pois já sabiamos o jogador que era.

    Penso que estes 3 jogadores devem entrar nos convocados para os lugares de : Sarr (Rabia desenrasca a posição) , Rosell(Sporting não precisa de ir a jogo com 2 médios defensivos , e Mallmann também faz a posição fora a qualidade que dá a 8) , Martins ( visto que conta para médio ofensivo saia por Gauld , embora tal como voce , acho é forte a pressionar , e no lugar exato de Adrien cumpria bem e melhor , embora nunca tenha tido essa chance com MS, e Adrien tem mais estatuto).

    Estou entusiasmado até com o que vi , principalmente de Rabia a 6 , não estava nada a espera , ele ali é peixe na água.

    Nem falei do Tobias e do Tanaka julguei apenas estes últimos jogos.

    São 5 jogadores que ganhamos na taça da liga logo isto é uma vitória.

    ResponderEliminar
  3. Jogar no Sporting não é para todos, disse Marco Silva. Isso quer dizer o quê? Que ele não tem nada a ver com a derrota!
    Também ser treinador do Sporting não é para todos!
    Vamos lá acabar de vez com as lamúrias.
    O nosso Presidente aqui falhou, ao contratar este treinador por 4 anos. Chegavam 2 anos e depois logo se via.
    DUARTE


    ResponderEliminar
  4. Duarte,

    Só venho responder-lhe para sublinhar o ridículo a que você se dá com esses comentários.

    ResponderEliminar
  5. uma primeira parte que poderia ter sido uma goleada. É/foi futebol.
    tb concordo que serviu para certos jogadores se mostrarem.

    Duarte, é muito cedo para tirar essas conclusões. Mandar treinadores embora só pq sim espero que faça parte do passado.

    AC1906

    ResponderEliminar
  6. Mauro,

    o meu comentário vai sublinhar essencialmente o ponto de maior discordância já que na generalidade estamos de acordo. Refiro-me à opção seguida este ano, ao apresentarmos apenas as reservas, por assim dizer. Pedindo antecipadamente desculpas pelo copy-paste do que escrevi

    "Sempre me opus à decisão tomada o ano passado, de o Sporting não se fazer representar com a melhor equipa possível, e mesmo admitindo a inevitável gestão do plantel que competição tacitamente aceite como menor permite. Não só porque não me parece que esta seja uma postura que honre o historial do clube e a forma como deve ser entendida a actividade desportiva, mas também porque com o argumento invocado - as decisões arbitrárias e erróneas - há muito que o Sporting teria deixado de competir ao mais alto nível."

    Acrescentaria que o Sporting já joga quase sempre em desvantagem, ou de poder de influência ou até de meios. Fazê-lo por sua iniciativa é digamos "esquisito".

    Abraço e SL

    ResponderEliminar
  7. Leão de Alvalade,

    Ainda só dei uma vista de olhos no teu artigo, ainda não tive tempo para o ler mais cuidadamente. Mas vou ler!

    Quanto à questão do semi-desprezo pela Taça da Liga, não poderíamos ter maior discordância. Até porque o Sporting CP foi um dos apresentantes/mentores desta competição (se não me engano, na altura ainda com Filipe Soares Franco) e pelo pouco - para não dizer nenhum - respeito com que o organizador e o CA da FPF nos têm nrindado ao longo dos anos, sistematica e recorrentemente. Ainda na edição da esta época, se aquele jogo tivesse sido para o Campeonato estávamos todos revoltados com aquela arbitragem.

    Puxares dos galardões do historial do Clube para justificar a tua posição parece-me exagerado, despropositado até. Outros Clubes com maior historial que o nosso (infelizmente) fazem-no/fizeram-no também sem quaisquer sem qualquer reserva. Mesmo não servindo esta compraração para justificar a minha opinião, porque não nos devemos comparar a ninguém, serve pelo menos para estabelecer precedentes. A Taça da Liga é invariavelmente uma competição menor, e quanto mais menor quanto mais tempo continuarem com estes moldes competitivos e regulamentos (não foi por acaso que falei deles, e pareceu-me que tambéme screveste sobre isso)! E por ser uma competição menor, sem real mais-valia sequer para o tal historial do Clube, é que se fez/faz isto.

    E quanto ao jogarmos com os jogadores que jogámos (a tal vertente desportiva) pode ser vista de duas maneiras, conforme a perspectiva: i) o mero menosprezo pela competição ou, ii) aliado a esse menosprezo, uma oportunidade de ver jogar e avaliar de perto jogadores que de outra menira estariam à partida "tapados". Eu prefiro ver a segunda opção, confessando que se trata apenas de uma opinião pessoal. Como é a tua, aliás. E nada mais que isso, porque aqui não concebo que se poossa tratar de racionalidade e/ou razoabilidade e, muito menos, sob a bandeira da influência ou de meios juntos dos órgãos tutelares do futebol português. Essa é a teoria do "desse mensageiro não quero nem ler a mensagem" - quero acreditar que ainda temos gente com juízo suficiente para entender que essa tese além de inválida só é demonstrativa da estupidez das pessoas.

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Mauro,
    quando me refiro ao historial refiro-me aos valores que o Sporting representa ao longo da sua história e não apenas nesta competição, e que pouco ou nada tem a ver com o número de troféus conquistados. Reforço que se fosse pelas faltas de respeito e injustiças praticadas há muito que não jogavamos para o campeonato nacional.

    ResponderEliminar
  9. Leão de Alvalade,

    E esses "valores" de que falas admitem que nos abespinhemos perante tamanhas faltas de respeito numa Taça que não interessa a ninguém? Se vamos falar de "valores", falemos também nos "valores" da Taça da Liga.

    Não compreendeste - ou não quiseste perceber - o que escrevi: obviamente que estas atitudes da nossa parte só são postas em prática porque se trata da Taça da Liga, e tal é possível. Partamos dum princípio simples: a Taça da Liga não é um objectivo, e muito menos primordial. Tu, porventura, acharás que mesmo não o sendo devia ser encarada de outra forma; já eu acho que a podem encarar como quiserem e bem lhes aprouver, desde que não tomem esta Taça como uma competição séria - que, apesar de ter sido idealizada seriamente, foi concretizada infantilmente, porque os organizadores não sabem o que fazer disto, e porque os Clubes com maior expressão podem muito bem livrar-se dos 3/4 jogos sem sequer pensar duas vezes nisso. A propósito, a Taça da Liga só existe esta época porque foi assim sufragado em Assembleia da Liga, onde os Clubes de maior expressão (exceptuando o SL Benfica) nems equer votaram. E para a próxima época (ou a seguinte - não estou certo se a votação foi para 1 ou 2 épocas) já estão a ser estabelecidas diligências ou para a remodelar totalmente ou para a extinguir. Também isto comprova a (falta) de seriedade e de "valores" desta competição.

    Não faças de um pinheiro manso toda uma floresta de eucaliptos. O Campeonato, a Taça de Portugal e a Taça da Liga estão todas em níveis diferentes e não podems er comparáveis para os efeitos que tu queres. Convém-te na tua argumentação fazê-lo, admita-se.

    ResponderEliminar
  10. Muito bom artigo Mauro.
    Parabéns.

    Na verdade, a mais-valia que resultou da utilização destes jogadores menos credenciados, digamos assim, está à vista: ritmo competitivo para alguns, demonstração de qualidades a um nível mais exigente para outros, confirmação de alguns talentos (para mim, essencialmente, Gauld e Wallyson).

    Quanto à decisão do Presidente de serem utilizados tais jogadores na competição, concordo plenamente.
    Já fomos demasiadamente humilhados nesta competição para olhar para ela como um alvo de relevo.
    Episódios como o da eliminatória na Luz há uns 3 ou 4 anos (o da expulsão do João Pereira por volta dos 10 minutos de jogo), o da final com aquele penaltie ridiculo assinalado por Lucílio Batista e o sucedido o ano passado mereceram inteiramente esta resposta do clube.

    Mas mesmo que assim não fosse, para um clube que está envolvido em 4 frentes, sendo esta a de menor importância, faz todo o sentido fazer descansar os jogadores da equipa principal.
    O que não seria ir jogar a Arouca com alguns dos jogadores da equipa A a terem disputado o jogo de ontem e com o desgaste acumulado dos outros jogos com o Belenenses, Guimarães e Boavista!

    Tome-se como exemplo a derrota do Benfica em Paços de Ferreira, e a péssima segunda parte dos jogadores encarnados, que, para mim, não deixará de estar relacionada com o cansaço acumulado do jogo uns dias antes com o Moreirense para esta competição.

    Por isso, nada tenho a apontar a este modelo seguido.

    Não obstante, foi com grande azia que digeri o resultado de ontem, pois que me custou ver a equipa a empatar aquele jogo, contra 10, depois de tantas oportunidades criadas e falhadas e de uma primeira parte muito bem jogada.

    E mais me azia me causou ver a insistência do treinador num jogador como Sarr, que, por muito bom que possa ser, tem dado erros atrás de erros sempre que joga, ou por falta de adaptação, ou de experiência, ou o que seja. Até para protecção do próprio jogador, melhor seria deixá-lo de fora da competição por algum tempo, pois que sempre que joga mais vozes se levantam contra ele.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  11. AKA setaverde. Bem, vou dizer umas banalidades: Wallyson Mallmann tem um pé esquerdo fenomenal, percebendo-se bem a razão do interesse genuíno do Barcelona em contar com os seus serviços num futuro próximo. Quanto ao nosso defesa central, Naby Sarr, o nosso treinador Marco Silva já lhe deu oportunidades em número excessivo. Apesar de ter uma estampa física impressionante para a posição de defesa central e de ser bastante jovem, tem inúmeras lacunas técnicas e tácticas a juntar a uma falta de agressividade evidente nas disputas dos lances corpo a corpo com os avançados adversários, pois, dá-lhes muito espaço, devido à ausência de sentido posicional como defesa central e a ser lento, principalmente na leitura do jogo adversário. Para finalizar, deixo uma sugestão/ideia que não passa disso mesmo: Porque não alinhar com a equipa B na taça da liga, orientada pelo treinador da equipa B? Dava ainda mais sentido à existência da equipa B!

    ResponderEliminar
  12. setaverde,

    Para finalizar, deixo uma sugestão/ideia que não passa disso mesmo: Porque não alinhar com a equipa B na taça da liga, orientada pelo treinador da equipa B? Dava ainda mais sentido à existência da equipa B!

    Compreendo os motivos dessa questão- porque, na tua perspectiva, teoricamente João de Deus tem mais experiência com eles e, por isso, teoricamente saberá retirar-lhes maior rendimento. Acontece que João de Deus, por infortúnio do destino, é um treinador pouco mais que medíocre (e nota-se nos jogos da equipa B, como ainda no último jogo, que ganhámos por 5-3 depois de estar a vencer por 4 golos sem resposta). Na minha opinião pessoal, deve ser Marco Silva o treinador, mesmo na Taça da Liga, e mesmo jogando com inúmeros jogadores do plantel B.

    JC,

    Só agradecer-te pelo elogio. Mais nada a acrescentar.

    Abraço aos dois.

    ResponderEliminar
  13. Só besteiras. Teve muito bem o Bruno ao referir e manter que iriamos jogar com 2.ªs escolhas. Há uns anos não ganhamos nenhum jogo da taça da liga, e não jogaram 2.ºas escolhas. Muito mais importante é o Arouca.

    ResponderEliminar
  14. Excelente analise só não estou de acordo com uma coisa o André Martins (é verdade que rende mais a 8 que a 10) mas do meu ponto de vista não é jogador para o Sporting é bastante limitado como bola pouca visão de jogo fraco a transportar a bola e recupera muito poucas bolas e muito pouca capacidade física desaparece sempre aos 60 minutos acho que só está a tirar espaço a Gauld e Wallyson que mostraram estar prontissimos para a equipa A. A direcção tem feito um bom trabalho ao livrar-se de excedentários nesta janela de inverno mas falta colocar André Martins,A.Geraldes, Capel da equipa A Naby-Sarr dependendo da evolução de Ewerton, era importante rodar na primeira liga portuguesa para perceber se consegue evoluir ou se cérebro não lhe deixa fazer mais pois ele até tem boas características e não é tão mau com os pés como o pintam. Na equipa B, Mica devia ser emprestado para ganhar mercado pois nunca sera uma mais valia para o futuro Nuno Reis com 24 e com 4 meses de contrato não faz muito sentido estar na equipa B devia ser vendido ou oferecido a uma equipa de primeira liga portuguesa (ou um granada ou cordoba) e o Sporting ficar com 50% do passe pois ele já mostrou ter potencial no olhanense e cercle brugge mas depois regrediu Sambinha também esta na mesma situação de nuno reis e sporting não deverá accionar a clausula de renovação estes jogadores estam a tirar espaço a Domingos Duarte e Seejou King tem uma margem de progressão bastante maior e poderam ser uma mais valia no futuro coisa que os 3 citados acima nunca serão

    ResponderEliminar
  15. concordo com o relva , mais nada

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!