Próximo Jogo

Próximo Jogo

20/04/2015

A Voz do Leitor: Em Defesa de Marco Silva

Não tenho a menor dúvida que, antes de chegar ao 1.º dia de treinos, Marco Silva não tenha feito um conhecimento geral do clube para o qual iria trabalhar! O trabalho de casa sobre a História do Clube é sempre um passo importante para a integração de um treinador.

Com toda a certeza - e vocês também concordarão - já teria uma ideia-base da equipa que iria treinar, pois deve ter observado a equipa várias vezes durante a época passada para definir uma estratégia para nos defrontar. Posto isto, sabia os jogadores que tínhamos e o nível deles, ainda que apenas superficialmente, e aprofundou esse conhecimento ao longo de todo este tempo que já leva à frente da equipa. Teve, portanto, tempo para poder compreender e perceber as características de cada jogador envolvido no projecto do Clube.

Provavelmente, quando assinou contrato discutiram-se vários tópicos e com certeza um deles ter-se-á prendido nos objectivos a atingir esta época. Fazendo uma (breve) análise: no ano passado o Sporting CP ficou em 2.º lugar, como tal, o objectivo seria sempre melhorar e o querido Presidente não "poderia" dizer que o objectivo seria o 3.º ou 2.º lugar, já que demonstraria pouca ambição, e resolveu pôr o foco na disputa pelo título de Campeão Nacional, não deixando de ser "crucificado" também por isso.

Uma das razões que terá levado à contratação de Marco Silva terá a ver, obviamente, com o seu percurso no GD Estoril-Praia, conseguindo classificações quase impossíveis à partida juntando-lhe um futebol agradável, de pendor ofensivo, desproporcional com a qualidade individual dos seus jogadores. Mais que pelos resultados (embora sejam cruciais), esperava-se que Marco Silva conseguisse emular o que fez nos canários, mas com leões. Teoricamente, teria melhores condições para o fazer, a todos os níveis, e nem o simples facto de estar num "Grande" pela primeira vez o desculpabiliza. Notemos que o seu estilo de jogo difere bastante do estilo de jogo de Leonardo Jardim - para melhor - e  que, portanto, o plantel teria que passar por todo um novo processo de aprendizagem, para que todas as ideias e princípios fossem assimilados. Dê-se-lhe esse desconto!

Marco Silva começou por tentar implementar o seu esquema, o seu modelo, o seu jogo, desde cedo e via-se um futebol com boa qualidade, embora com alguns tropelões pelo meio. Então, por que, de súbito, parece ter descartado o seu ideal? Talvez possa responder: um Clube como o Sporting Clube de Portugal não se pode dar ao luxo de contar com 5 empates, 1 derrota e 4 vitorias nas primeiras 10 jornadas do Campeonato e, à medida que os primeiros lugares iam fugindo, o treinador terá entendido que, mais que as ideias, a equipa precisava de pontos.

Um Clube como o Sporting CP (actual) não consegue que um treinador consiga implementar as suas ideias, e isto estende-se a simpatizantes, adeptos, sócios e/ou dirigentes. A famigerada "pressão" substitui-se ao tempo que devíamos todos saber dar! A médio/longo-prazo o Clube sairia ganhar desta mentalidade mas (...) somos um Clube que precisa de resultados. Para ontem!

Em meu entender, Marco Silva abdicou do processo de construção do (seu) modelo de jogo para ir directamente ao produto final: a vitoria. Resultado, abdica-se de alguns princípios de jogo, abdica-se da construção do seu modelo. O que acho compreensível!...

Ponhamo-nos na pele de Marco Silva: num Clube cujo objectivo-mor anunciado foi o de (tentar) ser Campeão, tentariam enveredar por um processo de aprendizagem para a equipa, em que saberiam ser quase impossível ter resultados imediatos? Achariam que o querido Presidente - fosse qual fosse - teria paciência para deixar a equipa evoluir para, posteriormente, ter melhores condições de alcançar os resultados que perseguiam?

Não se trata sequer de uma crítica, per se, ao Presidente. Julgo, apenas, que o facto de sermos um Clube grande, de estarmos arredados de (quaisquer) títulos há tempo demais e a ânsia "cega" dos adeptos , por vitórias, nos prejudica mais que o que nos ajuda. A ambição não vale por si mesma, é preciso aliá-la a todo um conjunto de factores.

Acho que seria saudável "esquecermos" um bocadinho que somos um Clube grande, não colocar objectivos de grande nível e deixar a equipa crescer. Naturalmente. Os bons princípios deixam-nos mais perto da vitória, enquanto que o resultadismo nos deixa mais perto da derrota!...

Saudações Leoninas 

O Leitor: Carlos Mota

Nota: O SVPN lembra que todos os leitores podem participar através do e-mail do blogue, em scp.visto.por.nos@gmail.com
Partilhar:

8 comentários:

  1. Bernd Schneider20/4/15 17:09

    Mas se o Marco Silva abdicou dum modelo, duma ideia, da construção da equipa... em prol de objectivos imediatos, não só não conseguiu esses objectivos imediatos, como também não trabalhou as bases que lhe permitiriam, agora, estar em melhor posição para atacar a próxima época... ou seja, fosse porque motivos fosse, as opções de MS conduziram a um ano perdido... assim sendo, defende-se a sua continuidade a troco de quê? Uma equipa com 90% dos seus jogadores abaixo dos 25 anos que não cresce colectivamente, que não permite a evolução individual, que não deslumbra ninguém, que não consegue inclusivé fazer melhor que Jardim, afinal, em que se manifestou a aposta em Marco Silva? Evolução ou retrocesso?

    ResponderEliminar


  2. Justifica-se a sua continuidade se o presidente mais os seus adeptos, se convencerem que uma equipa não se constroi num ano, como disse o Mourinho quando regressou há 2 anos ao Chelsea.

    Claro está, que a preocupação maior será de arranjar motivos mais que suficientes para o pôr a andar e já começaram pelas exibições. Espere-se, que outros motivos virão até ao final da época.

    ResponderEliminar
  3. Lá está, seria criticado por não ganhar e ganhando é criticado por exibições pobres, exibições essas que nos torna mais proximo da derrota! um ano para o galheiro!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo,

    Completamente de acordo com o seu primeiro parágrafo e completamente em desacordo com o seu segundo parágrafo.

    Considera normal, por exemplo, que o Sporting Clube de Portugal, em Alvalade, contra um Boavista FC (que, relembremo-nos, subiu directamente do CNS) faça menos remates que o adversário (e menos remates no parcial de remates à baliza)? Além dos golos que marcámos, lembro-me do cabeceamento de Adrien Silva, que Mika defendeu... não se chamasse o treinador Marco Silva e não tivéssemos todos presentes o episódio de Dezembro e a coisa piava de outra forma. Para uns e para outros, para todos nós!

    ResponderEliminar
  5. Enviei agora um texto que coincide em parte , e penso que justifica o abandono da ideia de jogo.

    ResponderEliminar
  6. Apesar de se ter verificado, de facto, o "abandono do modelo de jogo" por parte de Marco Silva, certo é que vejo os mesmos erros repetidos.

    A falta de controlo da profundidade na defesa, a falta de eficácia nas bolas paradas ofensivas, as falhas nas bolas paradas defensivas (estas não têm ocorrido tanto ultimamente), a falta de rotatividade do plantel (não são dadas oportunidades às jovens promessas da equipa B), os erros individuais crassos e os golos sofridos nos últimos momentos do jogo (que não se podem, na minha opinião, imputar apenas aos próprios jogadores, sendo antes resultado da chamada "instabilidade" ou falta de confiança do grupo de trabalho - do qual é responsável máximo o treinador).

    Não obstante, penso que o SCP não pode trocar de novo de treinador para a próxima época.
    Sem dinheiro para contratar um treinador de créditos firmados, teria de se voltar a apostar em "jovens promessas", com o risco de se sofrer uma nova desilusão.

    Com mais tranquilidade, com mais experiência, com melhor conhecimento do clube, Marco Silva terá todas as condições para fazer uma época melhor do que esta - que, se formos a ver bem, nem foi tão má assim, podendo revelar-se até melhor do que a do ano passado se se conquistar a Taça de Portugal.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  7. Evolução individual vi o João Mário integrado evoluindo a ponto de relegar um dos meio bom meio mau do onze o André Martins. Vi o Carrillo evoluir a ponto de ser o mais regular nos 90 minutos comparativamente a época passada somado ao particular de golos e assistências. Que me lembro foram estas as posições menos satisfatórias da época anterior.
    No conto geral vê se toda a equipa goleadora onde todo o meio campo tem cada acima de 5 golos, e até os defesas tem marcado.
    Acredito na evolução obviamente terá de programar uma pré época proveitosa para implementação de de ideias estagnadas.
    Acredito que com os 3 centrais competentes temos agora (pessoalmente um 4.º o Semedo) uma base para consolidar a defesa nosso Aquiles no inicio da época, que nos valeu a perda de possibilidade da pole position.
    Não ignoro o Aquiles da inversão que temos à ponta de lança, pois é perceptível a que só temos matriz com ponta de lança possante. No entanto a inversão deve se ao facto de termos um ponta de lança e dois avançados (incrementando o Rubio outro avançado na B), no entanto penso que devia ser em termos de plantel o inverso dois pontas e um avançado. Isto é se sair o Slimani deverá vir dois Slimanis e ficar ou o Montero ou o Tanaka.
    SL

    ResponderEliminar
  8. "Um Clube como o Sporting CP (actual) não consegue que um treinador consiga implementar as suas ideias, e isto estende-se a simpatizantes, adeptos, sócios e/ou dirigentes. A famigerada "pressão" substitui-se ao tempo que devíamos todos saber dar! A médio/longo-prazo o Clube sairia ganhar desta mentalidade mas (...) somos um Clube que precisa de resultados. Para ontem!"

    Discordo, considere este ano como exemplo, 3º lugar e o treinador é o mesmo, não é de um clube que precisa de resultados, pois se precisasse já o tinham mandando embora. Se os adeptos vissem a equipa evoluir dominar e a jogar bem acho que nao se importariam de ficar em 3º como ficaram este ano.

    "Em meu entender, Marco Silva abdicou do processo de construção do (seu) modelo de jogo para ir directamente ao produto final: a vitoria. Resultado, abdica-se de alguns princípios de jogo, abdica-se da construção do seu modelo. O que acho compreensível!..."

    É isso que um treinador não deve fazer é abdicar do seu modelo de jogo nem dos seus princípios, deve ser fiel às suas ideias e deve acreditar no seu trabalho.

    "Ponhamo-nos na pele de Marco Silva: num Clube cujo objectivo-mor anunciado foi o de (tentar) ser Campeão, tentariam enveredar por um processo de aprendizagem para a equipa, em que saberiam ser quase impossível ter resultados imediatos? Achariam que o querido Presidente - fosse qual fosse - teria paciência para deixar a equipa evoluir para, posteriormente, ter melhores condições de alcançar os resultados que perseguiam?"

    Tanto tinha, que teve e que tem.Para a próxima época vamos ver esses modelo de jogo do MS. Espero que não seja mais do mesmo, ou seja, cruzamentos para o pinheiro defesa num caos, saída de bola sempre lateralizada, sem penetraçao no bloco central do adversário mesmo que seja o penafiel ou o gil vicente.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!