Próximo Jogo

Próximo Jogo

13/04/2015

Assumir os erros

Quando se tornou oficial que Marco Silva seria o próximo treinador do Sporting Clube de Portugal, fiquei radiante, exibindo a minha satisfação e elevadas expectativas numa carta aberta que aqui publiquei. Baseava as minhas esperanças na qualidade de jogo colectivo (sobretudo com bola) que o seu GD Estoril-Praia apresentava. Imaginava, assim, que com muito mais qualidade à disposição, o jovem técnico pudesse construir uma equipa temível no nosso Clube, com base em princípios de jogo que considero os mais acertados, privilegiando a posse de bola e o jogo interior, com apoios constantes, com uma defesa à zona bem forte. E, na minha opinião, teve tudo para o fazer. Muito poucas são as equipas em Portugal que têm jogadores com o talento que nós temos na zona do meio campo, e por isso, a minha expectativa/desilusão com o trabalho de Marco Silva torna-se maior a cada jogo que passa. Neste contexto cito um colega blogger (post completo aqui), com conhecimentos técnicos muito acima dos meus, que escreveu o seguinte, no contexto da anunciada saída de Nani:
Um futebol rendilhado, apoiado, com muitíssimas soluções de passe, com desequilíbrios criados por movimentações colectivas, com a procura incessante do corredor central, com menor incidência nos cruzamentos, é o que se pede para um Sporting sem Nani, mas com William, Rosell, João Mário, André Martins, Carrillo, Montero, Mane, Gauld, Chaby, Iuri Medeiros, e Esgaio.
A realidade, no entanto, tratou de demonstrar - como tantas vezes acontece - que me enganei redondamente. Marco Silva não quis ou não soube construir uma equipa com princípios de jogo sólidos. Teve ainda a agravante de nem saber aproveitar duma forma eficiente os recursos humanos que foi tendo à disposição. Para tal, servirá de exemplo o evidente decréscimo de rendimento de vários jogadores titulares, bem como o desaproveitamento de talentos emergentes. Assumo o meu erro de avaliação, e penso ser importante reflectir no que fazer a seguir.

Sou portanto da opinião que o Presidente Bruno de Carvalho cometeu também um erro de avaliação ao contratar este treinador. E acho, para além disso, que o devia corrigir o mais cedo possível, ou seja, substituindo este treinador por um que melhor sirva os interesses do Sporting CP para 2015/16, o que por si só seria um assumir de um erro estratégico importante. Digo isto independentemente do que resta da época, com ou sem o 3º lugar e/ou conquista da Taça de Portugal. Porque na realidade orçamental em que o nosso Clube vive, uma equipa sem princípios estará sempre muito longe dos resultados que todos desejamos. Claro que acho difícil que isto aconteça, uma vez que o assumir de erros não é propriamente uma das maiores qualidades do nosso Presidente, e também não o vejo com vontade de esbanjar uma verba avultada com a rescisão do treinador. Se posso estar errado, mais uma vez? Claro que sim, e aqui estarei para o assumir, se fôr caso disso. Fica, apesar de tudo registada, a minha opinião desde já, até porque "todos acertam no totobola à Segunda-feira".

"A pessoa que comete erros e não consegue assumi-los e mudar de atitude, faz da sua vida um campo de batalha.", Roberto Shinyashiki

O que vos parece Sportinguistas, Bruno de Carvalho deveria manter Marco Silva no cargo em 2015/16? Dependendo dos resultados ou em qualquer caso?

Um abraço e Saudações Leoninas
Partilhar:

54 comentários:

  1. confesso que não fui um acompanhante da carreira do Marco Silva. Sei que passou vários anos no Estoril. Tendo este facto em conta, podemos afirmar que a 1º epoca é de adaptação e as outras de afirmação? começou marco assim no estoril para subir consideravelmente o rendimento no clube? estarão os anos no estoril relacionados com as rotinas entranhas na equipa?

    ResponderEliminar
  2. Carlos:

    Para eu achar que esta época teria sido de adaptação, precisaria de observar princípios de jogo positivos na equipa, bem como uma evolução destes ao longo da temporada, reflexos do trabalho do treinador. Infelizmente o que vi foi precisamente o contrário, a equipa parecia ter boas ideias ao início, mas os resultados não acompanharam. Depois, parece que o treinador abdicou de alguns princípios em busca dos resultados, acabando por ficar sem uns nem outros.

    Para te ser sincero, apenas acompanhei as 2 épocas na I Liga, por isso não faço ideia do nível exibicional da sua equipa no Estoril durante o primeiro ano. Mas lá está, penso que os argumentos que expus anteriormente responderão àquilo que perguntaste.

    Escritor de Pacotilha

    esse seu comentário nem merece resposta, só o aceitei porque define de imediato o comentador, sem precisarmos de mais nada.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. carlos oliveira14/4/15 09:21

      para melhor perceber e enquadrar o seu post peço -lhe o favor de nos dizer qual seria o treinador que deveria em sua opinião substituir o Marco Silva.

      Obrigado

      Eliminar
  3. concordo Diogre. tambem pensei o mesmo no principio e chego á mesma conclusao, inclusivé a quase impossivel mudanca de opiniao do presidente que claramente nao via querer assumir que esta foi uma aposta perdida.espero obviamente estar errado,para bem do clube, muito embora tambem saiba que novo treinador,implicará outra época ou parte dela, de adaptaçao.SL

    ResponderEliminar
  4. Diogre,

    Ainda ontem manifestei a minha desilusão com o MS, cada vez mais...

    Agora não se pode mudar por mudar. Apesar de tudo não estamos a falar de um Paulo Sérgio... será que Sporting consegue arranjar melhor?

    Quem?

    ResponderEliminar
  5. FCS:
    Tem toda a razão em colocar essa questão, ela é sem dúvida a mais importante no seguimento do que escrevi.

    É evidente que se for para colocar um Paulo Sérgio ou um Rui Vitória no cargo, mais vale ficarmos com o MS, nisso concordo consigo. Mas de qualquer forma, penso que há vários treinadores com qualidade para treinar o SCP, mesmo dentro das nossas restrições orçamentais.

    Sabe, depois desta minha expectativa com o MS, estou um pouco escaldado, quanto a apostas para treinador. bastar-me-à um profissional que consiga montar um colectivo forte, porque se assim for estaremos muito mais próximos de conquistar troféus.

    De qualquer forma não escondo que faria uma aposta pouco convencional, visto que gostaria muito de ver Paulo Sousa como treinador principal, e Rui Jorge na equipa B. Penso que fariam uma grande dupla, pelo que vi das suas equipas serão 2 treinadores de mão cheia nos próximos anos, e têm a vantagem extra de já conhecerem o SCP.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipe Alves14/4/15 09:23

      Paulo Sousa? Só pode estar a brincar. quantos jogos completos viu esta época da equipa do Paulo Sousa?

      Mais um tirinho no pé?

      Eliminar
  6. Eu defendo que MS merece uma 2ª época à frente do SCP de forma a mostrar que pode e consegue evoluir. Se na próxima época não se vir evolução na equipa então sim que se despeça o treinador, mas para permitir que haja evolução na equipa tem que se dar oportunidade.

    Não é a meio da época que se consegue mudar os principios todos de jogo da equipa, especialmente quando se está a lutar para ficar em 3º e esse lugar ainda não está assegurado.

    ResponderEliminar
  7. Mike Portugal:

    Respeito a sua opinião, mas tenho no entanto dificuldades em compreender em que evidências é que se baseia as suas expectativas de melhoria colectiva para a próxima época.

    Talvez se esteja a basear naquele período inicial no qual a equipa parecia estar a estabelecer princípios colectivos positivos. Mas tudo o que se passou depois disso me indica que à mínima dificuldade o MS abdicará deles. A si não?

    SL

    ResponderEliminar
  8. Gonçalo Mano13/4/15 15:54

    Paco Jemez.

    Vou a Vallecas, embrulho-o num papel de prata, entrego-o em alvalade com um laçarote e numa bandeja de prata.

    Que desilusão, o Marco, abdicou duma forma de pensar por causa de uma cláusula contractual.

    ResponderEliminar
  9. Diogre,

    Eu também acreditava muito em MS. Fartei-me de defender e explicar a muita gente porque achava que ele iria ser melhor que LJ. Agora é só desilusões. Desde o jogo com o Arouca na 2ª volta que deixei de acreditar nele. Jogo esse que até ganhámos, mas a partir daí perdi a paciência para este futebol da treta.

    Lembro-me de no início da época pensar que éramos a melhor equipa. Faltava corrigir alguns pormenores (a nível defensivo principalmente) mas com bola éramos muito bons. Até se notava que Nani estava a contagiar os colegas para que jogassem com mais inteligência. Via-se que, apesar dos resultados, era uma questão de tempo até engatar de vez e começarmos o ataque ao título.

    Por mim, saía no final da época mas também partilho do receio do FCS. Para vir um pior mais vale ficar este. Duvido no entanto que BdC esteja afim de pagar 3 anos de contrato ao MS.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
  10. Diogre:

    Não concordo. A equipa joga bastante bem à bola - com excepção de um ou outro jogo menos conseguidos - e cria várias oportunidades normalmente.

    Este ano começamos o campeonato a empatar com a Académica, num jogo em que dominámos e um erro infantil na defesa deitou tudo a perder. É culpa do Marco Silva? Não me parece.

    Empatamos os dois jogos com o Paços - em casa, com um golo limpo anulado, fora depois de se esbanjarem oportunidades inacreditáveis e voltamos a empatar com mais uma perda de bola estúpida (neste caso foi o João Mário que, apesar de muito o admirar, fez um jogo péssimo, falhando dois golos feitos e entregando a bola ao adversário estupidamente no nosso meio campo). É culpa do Marco Silva?

    Jogo com o Benfica em casa que, sem deslumbrarmos, dominámos - parecia que estávamos a receber o Salgueiros. Mais uma vez, erro estúpido na Defesa (Jefferson, um jogador de quem gosto imenso mas que também teve jogos pouco conseguidos este ano) vale o empate que premeia um futebol fraquíssimo lampiónico (que tem sido apanágio este ano, não jogam nada!). Mais uma vez, a culpa é do Marco Silva?

    Estamos na final da Taça de Portugal, com mérito próprio, depois de termos ido ao Dragão ensinar como se fazem francesinhas à moda de Lisboa. Não estamos à frente do campeonato porque, ao contrário do Benfica deste ano, quando jogamos mal, não somos ajudados com um penaltizinho, uma expulsão, um golo mal anulado ao adversário ou um golo em off-side validado, como tem demonstrado a "praxe" de uma APAF que veste de vermelho e branco sem se dar ao trabalho de o esconder.

    Isto são apenas as situações que me recordo agora, e sinceramente, acho que só prejudica o clube culpabilizar um treinador de uma equipa que até joga bem, falhou em alguns momentos chave, mas que enfrenta dois adversários poderosos - um pelo investimento no plantel (e que tem um treinador francamente mau - Lopetegui) e outro que insiste em provar que não são treinadores nem jogadores que levam clubes ao título de campeão nacional, mas sim jogos de bastidores e simpatias clubísticas por parte dos senhores do apito. Não responsabilizem o Marco, responsabilizem sim o Duque, o LFV e a APAF, se fazem favor.

    Se acham que isto é uma teoria da conspiração, vou dar-vos alguns exemplos muito sucintos:
    O Nani, esta época, já levou mais cartões em Portugal, do que na carreira toda na Premier League;
    Mal saiu do Benfica para o Valência, o Enzo Pérez, esse craque do futebol mundial, que só se revelou aos 28 anos e quando deixou a sua posição de origem - extremo - para jogar no centro do terreno, levou 5 amarelos em 7 jogos (!!!). O William Carvalho - que tenho o desprazer de ouvir, em todos os jogos desta época disputados em Alvalade, que está longe do nível do ano passado - leva quase um amarelo por jornada. Deve ser classe a mais (mas bom são o Enzo Pérez, e o Javi Garcia, e o Matic, e o Maxi Pereira!)

    Peço-vos só que se pensem nestes factos quando criticarem o trabalho do Marco Silva, e que, quando criticarem o plantel do Sporting, se lembrem que neste momento, o Jorge Jesus está à frente do campeonato com o Eliseu a titular... Não trocava ninguém da actual estrutura do futebol do Sporting pelos rivais...nem a empatia com os árbitros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. raul mateus14/4/15 13:10

      Tem toda a razão,são adeptos destes que destroiem o nosso clube,serà que esta gente ainda não viu que em portugal não há melhor que o Marco.

      Eliminar
    2. Filipe Alves15/4/15 00:44

      Deixem-se de coisas, então o Paulo Sousa não é muito melhor?

      Nós não precisamos de lampiões e tripeiros... somos bem piores para nos que alguma vez eles conseguiriam ser!

      Eliminar
  11. Penso que a grande questão aqui é se estamos preparados para perder mais uma época, caso o Marco Silva realmente demonstre que é só isto como treinador.

    Acredito que a grande maioria dos adeptos queiram que ele se mantenha no cargo (existe muito o pensamento, errado, de que o plantel é que é fraco), mas também acredito que estes mesmo adeptos sejam os primeiros a revoltar-se caso a época seja ao nível desta.

    Depois ainda temos quem queira que o Marco Silva fique apenas para não ir parar a algum dos rivais, independentemente da equipa evoluir ou não.

    Estamos portanto perante um pau de dois bicos e qualquer que seja o desfecho vai correr muita tinta.

    Pessoalmente acho que o Marco Silva não merece uma 2ª época no Sporting. Foram muitos os rumores surgidos durante a época e a gestão dos jogadores é simplesmente ridícula.

    ResponderEliminar
  12. Nuno Lima13/4/15 16:41

    Diogre,

    Sinceramente não consigo entender como chegas a essa conclusão. O futebol do Sporting não entusiasma agora como há uns meses, certo. E nem vou falar da casualidade de isso ter acontecido mais ou menos em simultâneo com um despedimento anunciado que afinal nunca foi.

    Vou optar por uma análise mais prática, lembrando alguns episódios da época para defender uma opinião bem diferente da tua.

    O Sporting leva 9 empates, que representam 18 pontos perdidos. Quantos são responsabilidade directa do treinador ou exemplos de uma equipa “sem princípios de jogo sólidos”?
    Eu conto pelo menos 6 em que não consigo perceber como se aponta o dedo ao treinador.
    Começando em Coimbra (1.ª jornada, golo ridículo sofrido no fim, muito depois de uma expulsão de William que jamais aconteceria a um dos nossos rivais). Cinco jornadas depois, assisti em Alvalade a um dos maiores banhos de bola dados ao FCP nos últimos anos, num jogo que não estava resolvido ao intervalo por ineficácia em frente à baliza. Acho que uma equipa “sem princípios de jogo sólidos” não cria as oportunidades que nós criamos, muito menos frente ao FCP. Essas falhas ficaram também na retina nos dois empates com o Paços (e o caseiro teve ainda um golo mal anulado a Montero). Vamos já em oito pontos perdidos sem responsabilidade directa do treinador, ou pelo menos sem que possa ser acusado de não ter “princípios de jogo sólidos”. Mas há mais: essa equipa com “evidente decréscimo de rendimento de vários jogadores titulares” chegou também para a mega equipa do país, que fugiu à derrota em Alvalade com um golo às três pancadas já para lá dos 90. Uma semana depois, foi o nosso guarda-redes que se encarregou de deixar dois pontos no restelo – ou será que isso também foi culpa de MS?
    Cheguei portanto aos 12 pontos, que implicam a retirada de pontos aos nossos rivais e que, como tal, nos deixariam na frente do campeonato. Estou a defender isso sabendo que falamos de futebol. Não digo taxativamente que devíamos ser líderes, porque falhar golos cantados merece castigo. Mas ao treinador?

    Falta de princípios de jogo foi o que eu assisti durante décadas, incluindo na época gloriosa de Paulo Bento, em que muitas vezes havia mais golos do que oportunidades.

    Juntando a isto o que foi (a nível jogado) a nossa melhor participação da Champions de que tenho memória, não entendo o apelo à mudança de treinador. Além daquela anedota Maurício-Saar em Maribor (já sei que foi o MS que lá os meteu, mas durante 89 minutos chegaram para as encomendas e bastava que só um deles tivesse escolhido outra jogada para falhar para não termos perdido dois pontos), foi preciso um russo descarado para tirar dos ‘oitavos’ essa equipa que tanto te desilude.

    Sobra uma chegada ao Jamor que por acaso inclui na caminhada uma vitória murcha por 3-1 no Dragão… Não consigo entender, amigo.

    Resta-me a consolação de ter ver reconhecer nos comentários que preferes ficar com o MS a voltar aos tempos dos Paulos Sérgios e Ruis Vitórias. O drama, para mim, é que não vejo outra solução, porque ao contrário dos últimos dois anos (em que o contexto permitiu contratar dois bons treinadores), agora não se vislumbra nenhum…

    Nuno Lima (colega da AG)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipe Alves15/4/15 00:48

      O Nuno não está a ver bem a coisa. Centenas de treinadores melhores, disponíveis e mais baratos disponíveis!

      Ele há com cada artista. ..

      Eliminar
  13. Diogre,

    Não me trates por "você".
    Baseio-me no facto em que o MS já mostrou que sabe meter a equipa a jogar futebol. E que muitos dos golos que sofremos foram da exclusiva responsabilidade de falha tecnica dos jogadores (embora também reconheça que o posicionamento tatico não é perfeito, mas reconheçamos que ter Mauricios e Saars na equipa não ajuda em nada).

    MS está a ganhar experiência e prevejo que poderá fazer uma boa época, desde que não lhe cortem os recursos bons todos (é quase inevitável perder William, Slimani, Cedric e Nani é certo que vamos perder, sendo ainda que Carrillo está em duvida).

    ResponderEliminar
  14. Texto ridiculo.
    Iuri para a a próxima época será um upgrade em relação a Capel(muito mau), Mané e André Martin(é muitissimo inferior a Iuri na posição 10).
    Chaby nem na B jogava. O omitir Wallyson é um crime pois é dos poucos que esta pronto para a A. E em relação a Gauld também fiquei desiludido pois a nos jogos da taça da liga mostrou que é muito melhor.
    Mas Bruno de Carvalho teve culpa tinha que vender André Martins e Capel e não vendeu. O MS é novo e está a evoluir já percebeu que Miguel Lopes é muito superior a Cedric. Agora só falta encostar o André Martins, e o Capel e dar espaço a Gauld e a Wallyson que a meu ver é melhor pelo menos tecnicamente a Adrien que também devia ser ir para o banco para assegurar uma sucessão mais pacifica para a próxima época.
    Mané é forte a jogar pelo meio e fica mais limitado a jogar pelas alas mas mesmo assim é muito melhor que Capel.
    Só percebo a suas preocupações pela falta de intensidade do nosso jogo de resto é tudo um disparate. Mas se querem falar na proxima época falem de uma época de afirmação do jovens talentos que temos Marco Silva um excelente treinador e Gaul, Wallyson e Iuri Medeiros 3 esquerdinos com um futuro brilhante e com um potencial tremendo.

    ResponderEliminar
  15. Eu acho que o Marco deve continuar porque este ano tivemos muitos jogos que empatamos, e com mais eficácia teriamos ganho os 2 jogos com o Paços e com alguma sorte teriamos ganho ao porto em casa ao benfica e académica, penso que houve muitos jogos que jogamos muito bem outros menos bem mas treinadores portugueses nao há ninguem melhor que o Marco em Portugal, e se o Sporting construir um plantel com várias soluçoes de grande qualidade ao onze inicial para o ano será campeao.

    ResponderEliminar
  16. Pedro Cretino

    Diz que a equipa joga bastante bem à bola, e depois falha sistematicamente em justificar essa opinião, mencionando apenas o "azar" que tivemos em vários jogos que acabámos por não ganhar.

    Se calhar você acha que "jogar bem à bola" é isto que temos visto, uma equipa cujo modelo é "cruzar primeiro e fazer perguntas depois", não consigo concordar.

    E já agora, não jogámos só mal quando não ganhámos, muito pelo contrário. Foram tantas as vitórias nas quais a equipa apresentou um futebol pobre, mas tantas..

    SL

    ResponderEliminar
  17. É um copy-paste de uma resposta minha numa outra discussão sobre este post num outro sítio, mas resume bem o que eu acho:

    Acho que MS deve continuar pelo menos até final da próxima época. Mas sabes por que motivo? Acho que esta época não foi definidora do que vale MS e acho, sobretudo, que foi uma época de adaptação dele e de muita coisa, incluindo o próprio plantel. Quero crer, não cegamente mas convictamente, que a próxima época será mais afirmativa. Da parte de todos.

    Mas não consigo deixar de achar anormal que a qualidade de jogo, princípios, dinâmicas, enfim, que o MS apresentava há 1 e 2 anos num "mero" Estoril (sem desrespeito) se tenha perdido na subida de MS ao Sporting. Não faz sentido. Mesmo para quem gosta de pegar no plantel e dizer: temos amêndoas mas não temos chocolate.

    O erro que muita gente faz é avaliar esse tipo de coisas do ponto de vista da individualidade. Ou seja, se sofremos muitos golos, a culpa é dos centrais que não têm qualidade para mais. Acontece que os princípios colectivos têm bem mais influência que a própria individualidade (embora ajude sempre) nesse tipo de estatísticas. Desde o início da época que os processos defensivos da equipa são deficientes e, no entanto, a qualidade individual dos jogadores envolvidos foi subindo (Paulo Oliveira por Naby Sarr, Tobias Figueiredo por Maurício, Ewerton por Tobias Figueiredo) - e convém dizer que Paulo Oliveira sempre estiveram disponíveis, desde o início da época, para Marco Silva, que optou antes pela dupla Maurício-Naby Sarr - sem que se tenha visto incremento nesses mesmos processos. Isto é trabalho do treinador, e uma das coisas que menos gosto em Marco Silva.

    Vá, isto e a insistência num Adrien Silva que intervala exibições más com exibições medianas, que não faz coberturas nem que lhe apontem uma arma à cabeça e que perde constantemente bolas no meio-campo. Sim, é aguerrido, agressivo, "corre muito" mas... e depois? São outros quinhentos...

    Às tantas, das duas uma: i) ou a culpa não é de ninguém ou ii) a culpa é de todos. Individualizar as culpas, numa vertente política, entre BdC e MS (conforme o objectivo) é algo que me ultrapassa completamente.

    ResponderEliminar
  18. Nuno:

    Como já referi noutra resposta, minha crítica ao MS não se circunscreve aos jogos onde perdemos pontos, é antes à globalidade do que temos visto a equipa produzir, em termos de futebol. Claro que o produto final a avaliar são os resultados, mas esses são tanto melhores quanto melhores forem os processos, pelo menos a médio/longo prazo.

    Garanto-te que se eu visse a equipa a progredir colectivamente, até podia estar em 4º, que apoiava a continuidade do MS.

    E quanto a mim o número de exibições demasiado fracas é acima do máximo tolerável, com o plantel que temos. Mais, não vejo evolução nenhuma nos processos, tal como vejo por exemplo nos nossos rivais. Se fizemos bons jogos? acho que sim, gostei dos jogos com o Schalke e até da maioria dos jogos grandes, mas a maioria dos jogos foi medíocre. E não acredito que vá passar muito disto, sinceramente, tanto ao nível dos processos, como nas escolhas de jogadores. Neste assunto parece-me já ter ficado plenamente demonstrado que o MS tem receio de enfrentar os "estatutos/hierarquias do plantel", e apostar em jovens com um potencial tremendo, que já deveriam ter sido lançados há mais tempo.

    De qualquer forma, caso o MS continue, espero estar enganado, e que se demonstre que tens razão.

    abraço

    ResponderEliminar
  19. Subscrevo. Importava também que alguém quisesse explicar:
    Porquê o abaixamento de forma de peças chave do Sporting. Desaprenderam a jogar futebol?
    Porquê a adesão massiva dos jogadores ao mesmo empresário?
    Porquê o afastamento entre o plantel e a direcção?
    Porquê o afastamento de jogadores como Mané e a estagnação Capel?
    Porquê é que jogadores como Paulo Oliveira, Mário João e Tobias tardaram a ser apostas e foram imposições?
    Porquê é que um treinador habituado a profundas remodelações no Estoril esta época nunca foi capaz de potenciar jogadores na A e de ir buscar jogadores à academia?

    ResponderEliminar
  20. Mauro Silva e Diogre , gostava que lessem um texto que me foi negado no VM , é um grande testamento logo não sei se deveriam publicar , mas gostava que lessem.

    MS tem dificuldade em implantar o seu modelo de jogo , com os jogadores que o Sporting tem , daí os inumeros contra ataques , e o jogar bem e não ganhar na primeira volta. Temos tambem outro problema que é a finalização , voces sabem a importancia do 1º golo num jogo. Verifiquem quantos jogos o Sporting vai sem golo para o descanso , ou em que 4ºde hora o Sporting mete o primeiro golo.

    O adversários de ontem na primeira volta , podia ter levado 5 na primeira parte, e não levou nenhum. Só na segunda parte com eles a subir no jogo marcamos com um golo fora de área penso , ou num livre de William muito estranho.

    Ontem viram que sofremos uma transição na última jogada , com o William a ir pelo meio em tabelas , depois perde a bola e nem ele nem o Adrien conseguiram recuperar.

    Vou enviar o texto , publiquem se quiserem , embora eu aconselhe apenas leitura para vós e para o Honoris se pretender devido à extensão do mesmo.

    ResponderEliminar
  21. m1950,

    Aqui por comentário é capaz de ser difícil, por causa da limitação no número de caracteres mas, se quiser, pode enviar para o mail do blog (scp.visto.por.nos@gmail.com) ou para o meu pessoal.

    ResponderEliminar
  22. Concordo contigo, 100%.

    Resta saber se tudo o que o Marco faz +e decisão sua ou não...
    O não aproveitamento do corredor central não tem desculpa tendo em conta a qualidade individual em comparação com os adversários...
    A escolha dos jogadores também não me parece muito normal, com Capel a jogar imensas vezes sem acrescentar nada, com Miguel Lopes (!!!!) a jogar várias vezes em detrimento do Esgaio que é o melhor lateral do plantel...
    Adrien a jogar independentemente do que esteja a acrescentar, Slimani a condicionar o jogo da equipa porque nao consegue seguimento quando dá apoio frontal...
    Defesa sem controlar profundidade, laterais sem fecharem dentro e sem conseguirem defender em linha com os centrais...
    Enfim, muita coisa a melhorar em todos os aspectos.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que leio são todos maus mas a culpa é do marco... está certo. ..

      Eliminar
  23. Os resultados são muito importantes pois as avaliações são feitas de acordo com os objetivos definidos no início de para cada época, mas quanto a mim não devem ser as únicas variáveis para determinar a dispensa ou não de um treinador. Para mim, o maior erro de Bruno de Carvalho foi o prazo alargado do contrato de Marco Silva, pois sendo sempre uma incógnita o sucesso ou insucesso de uma equipa, a prudência pedia que se tivesse em atenção a idade do treinador e o seu percurso onde não figuravam equipas com a grandeza se um Sporting. Quanto às considerações sobre a Ideia de Jogo, o Modelo de Jogo, os princípios de jogo que lhe estão subjacentes as capacidades, características e perfil do jogadores para cada posição (com as tarefas e funções que são definidas), não sei qual o grau de autonomia que Marco Silva (ou outro treinador) terá na adoção. Se um tudo está pré definido pelo clube ou se este pode implementar o “seu modelo”. E isso faz muita diferença na responsabilização do sucesso /insucesso da equipa e do grau de coresponsabilização da própria estrutura que o sustenta e avalia.
    É evidente que este Sporting é diferente do Sporting de Leonardo Jardim e do Estoril de Marco Silva. Este é o Sporting de Marco Silva como treinador do Sporting. Se este é o Sporting que Marco Silva quer implementar como treinador Sporting? Tenho muitas dúvidas. Este Sporting é um Sporting muito mais ofensivo que o de Leonardo Jardim, subiu as linhas de pressão, envolve mais jogadores no processo ofensivo, em especial dentro da área contrária, que privilegia a largura nas situações de ataque organizado e menos o jogo interior pois Leonardo Jardim jogava sempre com os extremos nos corredores opostos do seu pé dominantes. Também não joga como o Estoril, nem podia jogar, pois numa equipa grande em que mesmo Porto e Benfica jogam num bloco defensivo mais recuado, uma equipa não pode viver de transições ou ataques rápidos. Muitas vezes tem de jogar em ataque organizado procurando a largura e a profundidade criando situações de superioridade numérica e efetivas situações de golo. A verdade é que para isso acontecer terá de haver uma revolução no plantel. Muitos dos nossos jogadores atuais têm dificuldade nos processos defensivos e ofensivos e esses são evidentes desde as limitações de Rui Patrício no jogo com os pés (hoje em dia o guarda redes faz parte da equipa em quase todos os momentos do jogo), às dificuldades de cobertura de William e Adrien (defensiva e ofensiva), na incapacidade de jogar em transição em velocidade de grande parte dos jogadores da equipa. Uma equipa campeã tem de ter jogadores capazes de pressionar coletivamente alto, com linhas muito próximas e coesas. E a verdade é que não os tem. A defesa à zona é um comportamento coletivo que exigem que todos se movimentem em função da bola. Isso implica que cada jogador tem de se ajustar constantemente em função do posicionamento do portador da bola. E a verdade é que não é apenas Adrien a estar muitas vezes mal posicionado. William tem normalmente uma atitude passiva não sendo agressivo no encurtamento dos espaços e no fecho de linhas de passe, os laterais, sobretudo Jefferson está muitas vezes atrasado e é batido em situações de tabelas simples.

    ResponderEliminar
  24. Diogre,

    Acho que a hipótese Paulo Sousa já passou. Com a notoriedade que está a ter com o Basileia não me parece que aceitasse vir.

    O Rui Jorge de quem muito gostava como jogador, como treinador e seleccionador tenho reservas. Parece-me ter demasiado em comum com o seu amigo Paulo Bento... teimosia, rigidez tácita e ultimamente escolhas algo estranhas (empresários?)

    Se opção fosse mudar, e não havendo dinheiro para outros voos eu acho que arriscaria no regresso do Peseiro ou até do Carvalhal.

    Teriam outras condições que não tiveram na primeira passagem e a vida mais facilitada no que serão as suas fragilidades (disciplina, gestão do grupo, exposição a CS).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carvalhal? O pé frio do Peseiro?!

      Vocês estão a brincar com isto

      Eliminar
  25. paulo,

    Com todo o respeito mas esta sua afirmação não faz qualquer sentido em parte nenhuma do Mundo onde se jogue futebol a nível profissional: Quanto às considerações sobre a Ideia de Jogo, o Modelo de Jogo, os princípios de jogo que lhe estão subjacentes as capacidades, características e perfil do jogadores para cada posição (com as tarefas e funções que são definidas), não sei qual o grau de autonomia que Marco Silva (ou outro treinador) terá na adoção. Se um tudo está pré definido pelo clube ou se este pode implementar o “seu modelo”. E isso faz muita diferença na responsabilização do sucesso /insucesso da equipa e do grau de coresponsabilização da própria estrutura que o sustenta e avalia.

    Basicamente, o Paulo está a passar um atestado de subserviência e flacidez ao treinador (seja MS ou qualquer outro) que, coitadinho, tem que se submeter às ideias de outrém, quem quer que sejam. Isto simplesmente não ocorre,a este nível, e, muito menos, num Clube como o Sporting CP ou qualquer outro que lute por títulos.

    MS tem as suas próprias ideias, faz as suas próprias escolhas - individuais e colectivas, de modelos e dinâmicas - e, consequentemente, as suas próprias culpas. Desenvolver nexos como este que o Paulo tentou, só demonstra tamanha vontade de sacudir as culpas de um/uns para logo de seguida as atirar a outro(s).

    ResponderEliminar
  26. Eu sinceramente nunca percebi o fenómeno Marco, amado por uns,talvez mais amados a partir do momento em que isso podia ser uma arma de arremesso contra BDC, e odiado por outros. A teoria dos 99% é simplesmente parva (mais uma).

    Dum lado, o treinador amado pois conseguiu colocar a equipa a jogar um "bom futebol" e sobretudo porque ganhou para a Taça no dragão, é esse o grande argumento que ainda se agarra Marco.
    Do outro lado, a teoria lunática do treinador que tem uma agenda contra o próprio clube e que o prejudica apenas por preferencias clubisticas ou interesses de empresarios. Nada mais idiota já que se Marco prejudica o clube, acaba por se queimar a si mesmo também.

    A minha opinião, é que Marco teve um bom trabalho no Estoril e que tem alguma qualidade, diga-se.
    Mas um bom trabalho sobretudo em termos "resultadistas" digamos, sim o Estoril em vários jogos jogava com uma postura com mais atrevimento que a simples luta pelo ponto. No entanto, se olharmos para as stats do seu Estoril em casa, teoricamente onde defrontava equipas a jogar descidas como são 90% dos jogos do Sporting, já se viam alguns resultados preocupantes. Muitos golos sofridos e mais jogos "não-ganhos" que ganhos.
    Com isto não venho tirar o minimo de mérito ao excelente trabalho que realizou.

    No Sporting, desde a pré-época me pareceu muito conservador, dando poucos minutos aos jogadores novos.
    Se por um lado, talvez na perspectiva dele era melhor criar bases para os jogadores que iam jogar quase sempre na época, por outro estupidamente estava a quebrar a adaptação dos jogadores ao modelo e ao mesmo tempo a possibilidade de estes começarem a criarem ligações em campo com os novos colegas, facilitando muitas acções no jogo.
    O primeiro reparo que vi destes jogos de pré-época, foi a inexistência de uma pressão em bloco.
    Via-se 2 3 jogadores a tentar condicionar a 1a fase de construção adversária e pouco mais.

    Agora no que a época diz respeito, tem sido mais do mesmo.
    Futebol q.b., irregularidade exibicional, inexistencia de trabalho e total inconsequencia nas bolas paradas, escolhas duvidosas, conservadorismo extremo etc...

    Mas claro que houve algumas coisas positivas no seu trabalho, no que diz respeito a ALGUMAS dinamicas ofensivas de grupo.
    Mas o maior problema que vejo nele, é mesmo a pouca variedade de soluções de jogo ofensivo, muitas das vezes quase limitado a um numero infidavel de cruzamentos por jogo , para um numero pequeno de jogadores na area,geralmente 1 ou 2, e com limitações fisicas como Montero.

    Gostaria também de perguntar ao Visconde, o que é para ele um treinador talentoso que eu não percebo bem o conceito.

    Um treinador pode ir evoluindo as suas ideias, mas nao vi nada disso no marco pelo contrário.

    Foi sempre pelo caminho mais fácil, desde o inicio da época onde começou a descer muito a linha defensiva porque nao sabia controlar a profundidade, como agora anda a defender as vantagens porque o processo defensivo é ridiculo.

    Sera o treinador talentoso, o treinador que comete erros tão básicos como procurar fazer uma pressão pouco eficiente e fisicamente desgastante, e que coloca os jogadores em linhas várias distantes provocando buracos em várias zonas do campo ou "empurrando" o jogo para vários 1x1 (como aconteceu estupidamente com o Porto) ?

    ResponderEliminar
  27. Qual afirmação? Não estou a desresponsabilizar Marco Silva. Eu também fiquei desiludido com muitas das suas opções e decisões durante a época. É lógico que nenhum treinador pode chegar a um clube como o Sporting e impor a sua ideia de jogo. Esta tem de se ajustar ao que o próprio clube define. Toda a organização deve estar assente em princípios orientadores do clube que no caso de um clube formador com o Sporting devem nortear toda a formação. Define-se o que se pretende (e aí entra também o perfil do treinador) e toda a formação deve trabalhar de acordo com a ideia de jogo definida, trabalhando o modelo de jogo e suas variantes e os seus princípios de jogo, reposições de bola, saídas de jogo, movimentações, esquemas táticos etc. Alias esse é um dos erros da federação portuguesa de futebol que permite que exista uma ideia de jogo diferente para a seleção principal e outra para as seleções jovens (que jogam em modelos diferentes). Não é por acaso que não temos pontas de lança no futebol português, todas as equipas nos escalões de formação e seleções jogam em 4;3;3 com uma frente móvel. Essa é a minha opinião, mas o clube pode escolher um treinador tipo Van Gaal de quem li uma entrevista com um jogador que foi treinado por ele no Barcelona (não me recordo se foi o Simão), que dizia que quando chegou lhe deu um dossiê com tudo aquilo que ele tinha saber relativamente às tarefas, funções e comportamentos da equipa

    ResponderEliminar
  28. Não creio que BdC tenha cometido um erro de avaliação ao contratar Marco Silva, pois que a esmagadora maioria dos adeptos estiveram do seu lado e os jornalistas, colunistas e outros que tais teciam loas ao Marco Silva.

    Também apoiei a contratação deste treinador para substituir Leonardo Jardim, embora preferisse que o actual treinador do Mónaco tivesse continuado.

    Há contudo vários detalhes nesta equipa do SCP, na sua forma de jogar e nas escolhas do treinador que levam a que, legitimamente se questione a competência de Marco Silva para treinar um clube como o SCP.

    O modelo de jogo de cruzamentos para a área, a insistência nos mesmos jogadores, o não aproveitamento dos talentos da equipa B, o lugar cativo de um desgastado e limitado Adrien, a questão das bolas paradas, a falta de acerto defensivo, etc. etc.

    Provavelmente Mauro Silva tem razão quando diz que esta foi uma época de adaptação e que, por isso, Marco Silva deve continuar para a próxima época.
    Sou tentado a concordar, mas se assim suceder, Marco irá estar para o ano sob uma pressão enorme e aos primeiros maus resultados, será pedida a sua cabeça.

    Essa decisão caberá ao Presidente do SCP e aí sim se poderá concluir, consoante os resultados, se cometeu ou não um erro de avaliação ao mantê-lo como treinador.

    Jarvalho

    ResponderEliminar
  29. Nuno Lima13/4/15 23:40

    Aceito que digas que ganhámos muitos pontos em jogos menos conseguidos. Mas recordas algum em que, tal como os que te disse no comentário anterior, a equipa adversária tenha saído derrotada (ou empatada) sendo superior à nossa? Por exemplo, no domingo não fomos brilhantes em Setúbal, mas há dúvidas quanto à justiça do vencedor?

    E acreditando que a tua crítica nasce da observação dos jogos e não dos resultados, tinhas escrito este texto se tivéssemos os pontos ‘roubados’ pelo Slimani, Montero, João Mário ou Patrício?

    E não é crítica à valia dos jogadores, porque tal como valorizo o trabalho do MS perante a falta de resultados, também defendo que os ‘penáltis’ falhados pelo João Mário mostram mais a qualidade dele em gerar situações dessas do que a falta dela na hora de finalizar. (O André Martins jogou um ano naquela posição e falhou menos golos cantados durante uma época do que o JM em Paços de Ferreira. E é melhor por causa disso?).

    Quanto à tua crítica da progressão da equipa ao longo da época, acho que esqueces os efeitos psicológicos que a época vai deixando em todas as equipas. Se o arranque do slb (com o colinho que já nem os próprios negam) dá moral a qualquer bando de mancos (vide o Guimarães), o número de jogos que já deixámos de ganhar mesmo sendo superiores tem o efeito contrário. Se elogias os sinais dados pela equipa nos primeiros meses da época, imagina para o que poderia ter progredido caso tivesse mesmo alcançado os ‘oitavos’ da Champions, não começasse a perder pontos injustos logo na 1.ª jornada, ou ganhasse um balão de oxigénio vencendo a turma dos milhões no dérbi caseiro. E, para mim, o jogo em Paços mostra que o MS, mesmo com um grupo moralmente desfeito e sem metas à altura da nossa ambição consegue ter mão no grupo ao ponto de os concentrar quando já não há nada a ganhar.

    Depois é uma questão de gostos: falas de um número de exibições demasiado fracas acima do máximo tolerável. Mas esse máximo já existia com Paulo Bento? Tiveste-o com Inácio ou Boloni? Ou mesmo com Leonardo Jardim, cuja equipa foi também (naturalmente) perdendo brilhantismo à medida que os objectivos se afastavam? E achas que o provável futuro campeão não fez já um número acima do tolerável de exibições pelo menos tão fracas (mas mais  caras)?

    Eu acredito que te refiras principalmente à tua apreciação do jogo, mas o que me fez mais confusão no teu post é a certeza com que tu atribuis a má época (o que para pessoas da nossa idade também é um conceito discutível…) à incapacidade do treinador… talvez seja por teres acreditado muito nele e, por isso, a desilusão seja maior.

    Eu não recordo muitos treinadores que me dessem tantas exibições mais do que satisfatórias (incluindo em jogos grandes e em jogos não ganhos) e que me deixassem com a ilusão de que com menos um erro do central ou mais pontaria do avançado esta equipa podia tornar-se um caso sério. Apesar de (e aí discordo novamente de ti) a matéria prima ser muito mais limitada do que em outras épocas.

    E isto não significa que considere o MS perfeito, e muito menos a época. Claro que tem responsabilidades tanto em pontos perdidos como em exibições menos felizes. Para mim muito mais no capítulo defensivo, que é o que normalmente custa pontos, do que no ofensivo, onde recordo muito mais momentos bons (incluindo golos falhados) do que jogos como o de ontem. 

    Abraço 

    ResponderEliminar
  30. Ricardo Jorge disse: o que o Zé Eduardo fez nas cabeças das pessoas!

    ResponderEliminar
  31. Ricardo Jorge,

    E a si? Portanto, MS não pode ser criticado que o Mundo desaba, é isso?

    ResponderEliminar
  32. Melhores momentos - 1ª Jornada (Académica 1 - 1 Sporting):

    http://videos.sapo.pt/8oaFkpDa31AmteVP7zt3

    De notar que está muito longe de ter sido o nosso melhor jogo esta época e mesmo assim é bem melhor que muitos dos jogos recentes.

    Lances de realçar:
    0:48 - Canto ESTUDADO
    1:08 - Como e QUANDO fazer um cruzamento
    1:43 - Bom passe VERTICAL de Adrien
    4:30 - Jogada pelo MEIO com grande execução de André Martins

    Fizemos uma exibição aos altos e baixos mas ficava a ideia de que, com uns retoques, estava ali uma boa dinâmica base.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
  33. Diogre,

    o post é ridículo sim. Não se trata de uma defesa do Marco Silva ou de um ataque ao Bruno de Carvalho.

    O plantel do Sporting não dá para mais do que isto. Embora seja da opinião que devêssemos ter rodado mais a equipa, o que é que de diferente podiamos ter esperado?

    Não passámos aos 8os da Champions por razões que conhecem. Se o Maurício ou o Sarr tivessem pegado bem na bola em Maribor, tinhamos passado. Se não fosse o roubo de igreja em Gelsenkirchen, tinhamos passado. O Paulo Oliveira fez uma pré-época fraca e entrou pessimamente em Coimbra. Não vejo aqui razões a apontar às escolhas no início da época dos centrais. Maurício nunca tinha mostrado grande qualidade e Sarr seria sempre um projecto de jogador. PO não tinha mostrado nada e Tobias tinha ido parar ao desterro do Réus na época antes. Alternativas?

    Taça estamos na final após campanha muito bem conseguida, inclusivamente uma vitória na primeira ronda no Dragão.

    Liga Europa tivemos azar no sorteio e foi aquela brincadeira da mão do Vieirinha. Acabou-se, pronto.

    Campeonato - aqui concordo consigo. Tinhamos obrigação de fazer melhor. Mas se for a ver, os pontos que perdemos no início do campeonato foram erros defensivos individuais (Coimbra e Belenenses em Alvalade) e depois mais para a frente com Paços e Moreirense em casa foi da displicência de jogadores como Montero e William. E o Montero até marcou o golo do empate nesses jogos, imagino se tivesse jogado bem...

    Já o ano passado o Montero perdeu o lugar para Slimani e este ano nem o devia ter tido. Slimani voltou lesionado e cansado do Mundial e ainda marcou na Luz. Em Janeiro foi para a CAN e foi a travessia no deserto ter que jogar com um tipo mimado lá na frente. Por alguma razão já perdeu o lugar para o Tanaka, essa incógnita.

    Concluo. Assacar as responsabilidades de uma época pouco conseguida (?) ao Marco Silva de forma exclusiva é a) um exercício de hipocrisia e b) uma cobardia.

    Onde estão aqui as declarações de Inácio a dizer que partíamos na pole position? Onde estão aqui os jogadores todos que se foram comprar e só um é que se afirmou no 11 e só ao fim de 3 meses?

    O plantel do Sporting é inferior ao dos 2 outros rivais. Dizer isto não é ser menos Sportinguista, é ser realista e pragmático.

    Querer despedir um treinador é legítimo se se chegar à conclusão que de facto não serve. Querer despedir um treinador só porque não ganhou tudo ou pôs a equipa a jogar à Peseiro (grandes goleadas mas resultados zero) é uma tolice. Foi o que o Benfica fez no fim dos anos 90 e início da década de 2000 e vê-se no que deu.

    Eu votei no Bruno de Carvalho duas vezes e como tal estou à vontade para criticar o que é preciso criticar e defender quando o trabalho é bem feito. Houve crescimento do Presidente e também acho que houve crescimento do treinador Marco Silva. Critico o Marco Silva por não ter começado com João Mário - esse sim, de qualidade já reconhecida - mas não posso esquecer que o Bruno de Carvalho tentou criticar o Marco por não ter começado a época com ele. Ora eu não me esqueço e nem deixo passar em branco que o ano passado o Leonardo Jardim queria o JM no plantel principal e foi vetado pelo Bruno de Carvalho. Coerência precisa-se de parte a parte e nos blogues também.

    ResponderEliminar
  34. Nuno

    Podes ter a certeza de que já tinha o mesmo tipo de exigência/intolerância com o Paulo Bento, Inácio ou Boloni, apesar destes dois últimos nos terem dado campeonatos.

    Quanto ao resto dos teus argumentos, compreendo porque os usas, e não excluo a possibilidade de estares certo. Não sou nem pretendo ser o dono da verdade, tenho é as minhas convicções.

    Agora, o que eu vejo é uma equipa que não consegue desequilibrar as defesas adversária em organização ofensiva (contra o paços conseguimos, jogando em transição), e que sem bola tem um posicionamento defensivo medíocre e que não é capaz de defender com bola, mantendo a posse segura. Vês mais do que isto? eu há 4 meses que não, e atribuo essa responsabilidade ao treinador.

    Isto para além de ver jogadores como o Adrien a fazerem exibições miseráveis umas atrás das outras, e mesmo assim mantendo o seu lugar cativo, quando há alternativas como o André Martins, Wallyson e Gauld. A isso também atribuo total responsabilidade ao Marco Silva, e acho complicado atribuir a qualquer outro.

    E o pior de tudo é que eu, mesmo tentando, não prevejo uma correcção destes defeitos, até porque me parece que o MS não acha que esteja a cometer estes erros. É amparado pela opinião pública geral, tem excelente imprensa.

    Portanto, ficando o MS, prevejo que em 2015/16 continuará esta mediocridade, e assim dificilmente sairemos da cepa torta. A taça, neste contexto, é totalmente irrelevante. É por isso que me parece a melhor opção para o SCP que MS saia, tão só e apenas.

    abraço

    ResponderEliminar
  35. Carlos Oliveira:

    Eis uma lista de nomes (mais ou menos realista) de treinadores que me agradaria ver no SCP:

    - Paulo Sousa
    - Vítor Pereira
    - Ernesto Valverde (Ath. Bilbao)
    - Marcelino Toral (Villarreal)
    - Paco Jemez (Rayo Vallecano)
    - José Peseiro (embora com algumas reticências, devido ao seu passado no clube)

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. carlos oliveira15/4/15 00:58

      Ok, muito bem. Concordo com alguns dessa lista.

      Agora pedia-lhe o mesmo exercício mas realista considerando o que podemos pagar, o que estes treinadores ganham, e o plantel que lhes poderemos oferecer. ...

      Obrigado

      Eliminar
  36. escritor de pacotilha:

    Fica-lhe mal apelidar um post de "ridículo" quando apenas não concorda com ele. Só o qualifica a si nesse mesmo adjectivo.

    Quando diz que o "O plantel do Sporting não dá para mais do que isto", permita-me discordar, posso?

    Eu não falo sequer em termos classificativos, falo em termos exibicionais e dos processos colectivos. Você parece ter tanta sofreguidão para o escárnio e o maldizer, que afinal nem leu decentemente o post.

    E no fim do seu comentário tira uma bordoada que é no mínimo hilariante:
    "o ano passado o Leonardo Jardim queria o JM no plantel principal e foi vetado pelo Bruno de Carvalho"

    donde é que vem este delírio?


    ResponderEliminar
  37. E quem seria o treinador novo!? Será que dava mais garantias que o Marco Silva?! Ou será que daqui a um ano estavas a escrever o mesmo!? Farto de trocar de treinador todas as épocas quando não trocas durante a época penso que andam todos os Sportinguistas. Na minha opinião é dar tempo ao tempo, se os jogadores precisam de tempo de adaptação os treinadores também, ou não são seres humanos!? Posto isto só gostava de saber que treinador achas que fazia do scp campeão em uma época. Sl

    ResponderEliminar
  38. Vukcevic

    Vou repetir pela última vez, eu NUNCA exigi que o Marco Silva fosse campeão, apenas e "só" que montasse uma equipa não qual se vissem bons princípios colectivos, valorizando o processo e a evolução dos mesmos.

    Não vejo nada disso, e penso que vou continuar a não ver caso ele continue, por isso acho que é melhor solução mudar.

    Se ler o post com atenção, é mais fácil perceber o que lá está escrito.

    SL

    ResponderEliminar
  39. Faço minhas as palavras do escritor de pacotilha... mas lá está, também posso estar enganado.
    Basco "O Leão"

    ResponderEliminar
  40. raul mateus,

    Imagine-se num Mundo onde não houvesse melhor que a Leonor Pinhão. Será que aí o acusariam a si de ser um adepto a tentar destruir a humanidade? Reflicta sobre isso...

    ResponderEliminar
  41. Sim eu acho que ms terá que continuar para o ano tambem quer me parecer que calara mmuitas bocas acho que para o ano a equipa ficarà mais consistente e ms ja mais adaptado a nova realidade que é o grande sporting

    ResponderEliminar
  42. Boas pessoal,

    Não costumo comentar, mas estou por cá todos os dias.
    Embora tenha internet, acredito que cá (Luanda) não chegue tanta informação como ai em terras lusas, mas o que vou escrever baseia-se no que acho de Marco Silva e na minha decepção com o mesmo.

    Primeiro tenho de confessar que (inacreditavelmente) ainda não sei se prefiro que o MS fique ou vá embora, mas estou inclinado para a 2ª opção.

    Porquê?

    Porque as vezes ele parece um fraco, passivo e permissivo, sem atitude, sem acção e sem solução. Pior, parece que não aprende com os erros!

    Se era suposto a equipa melhorar os níveis exibicionais, isso não aconteceu. Comentei há dias com uns amigos "jogadores do sporting na zona lateral da área contrária = cavalos com palas nos olhos".
    Que tal dizer ao Cedric para parar de cruzar à toa?

    Com jogadores como Tobias, Paulo Oliveira, como não perceber que esses eram os melhores centrais desde o inicio. Como não rodar mais a equipa (wallyson, Gauldm Podence) ao ponto do próprio Adrien admitir que está cansado. Como não meter o escocês em determinados jogos com equipas mais fechadas?

    Porquê colocar sempre Capel quando sabemos que ele não vai acrescentar nada na equipa?

    Como não perceber que Montero é mais um 10 e usá-lo nessa posição recuando o J. Mário (só ai já rodava o Adrien). Ou colocando André Martins que nunca será um 10 e defende melhor que o Adrien (pelo menos é mais fácil encontra-lo no sítio certo, ao contrário do nosso marcador de penaltis).

    E aquela postura no banco (sei que pode não ser relevante) de impotente... com ar de perdedor, sem garra...

    Poderia escrever muito mais, mas já me perdi de tanta coisa por dizer.

    Por outro lado, talvez ele deva ficar porque não quero outro ano zero. E no fundo, acredito que o Marco Silva teve medo. Teve tanto medo de errar no primeiro ano no SCP que errou MUITO!
    Teve medo de ser ele mesmo (aquele do Estoril).
    Talvez por isso acredito que fará uma boa próxima época (a 2ª época costuma ser a melhor de Mourinho).

    Pois... inacreditavelmente, ainda não sei se prefiro que o MS fique ou vá embora...

    ResponderEliminar
  43. Infelizmente deveriamos todos ter em consideração o impacto que houve ao se ter desmantelado a defesa, centrais (Rojo e Dier)... e também à não eficácia de outros dois (Sarr e Rabia), à má prestação do William em boa parte da Liga e à falta de eficácia da linha avançada... (é importante frizar que os arbitros nunca deixam o Sporting livre de pressão). Peço tb atenção para as limitações na contratação de jogadores do Sporting... a nossa estrutura também não é das melhores... por tudo isto acho que com um melhor planeamento e uma melhor sorte... e maior acertevidade pessoal tb dos nossos jogadores é possível pedir mais ao treinador... não é só a mão do treinador... embora, algumas das situações também sejam, obviamente da sua responsabilidade... agora toda a responsabilidade do MS... acho sinceramente que não.

    Lourenço.

    ResponderEliminar
  44. Boa noite, Diogo. O presidente apercebeu-se do erro cometido, talvez, não pelas razões desportivas, mas, por dificuldades no relacionamento pessoal com o treinador. Acabou por cometer outro erro, querer demitir o treinador quando a maioria dos adeptos do Sporting apoiava o treinador. O falhanço no "timing" acabou por evitar o despedimento do treinador Marco Silva, e acabou também por evitar que fosse possível demiti-lo pelo clausulado do seu contrato, pois, a equipa do Sporting aproximava-se vertiginosamente da marca dos 15 pontos de diferença para com o primeiro classificado da primeira liga de futebol profissional portuguesa, isto, a fazer fé nos relatos da nossa comunicação social, que não é nada fiável.

    Abraço, Diogo do Monte de Caparica.

    Setaverde

    ResponderEliminar
  45. Esta gente quer fazer ouvir sem omeletes.. O Marco Silva é grande treinador. Precisa de tempo mas no Sporting.. Ninguém quer dar.. É por isso que não ganhamos nada

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!