Próximo Jogo

Próximo Jogo

15/05/2015

A importância do 1.º golo: matador precisa-se!

Todos sabemos da importância do primeiro golo, o desbloqueador que "abre o jogo" tacticamente, o golo que leva a equipa que sofreu a ter de se expôr mais para igualar o marcador, o golo que incendeia o estádio e que pressiona o adversário.

No Sporting CP, por uma razão ou por outra, o primeiro golo é sempre muito tardio para o que teoricamente seria ideal numa equipa grande, que em campo tem obrigação de assumir a despesa do jogo e que, por isso, terá menos espaços e uma maior densidade no caminho para a baliza adversária. É importante as equipas grandes terem soluções, para entrar com uma dinâmica que não permita o bloqueio da defesa do adversário e, assim, conseguir concretizar rapidamente. Idealmente, seria premente que se marcasse um golo nas primeiras 2/3 ocasiões, caso contrário a tarefa complica-se, visto que a equipa em processo defensivo irá certamente corrigir-se para poder defender melhor e a equipa em processo ofensivo não conseguirá manter o ritmo que lhe garante o volume ofensivo.

É sempre bom marcar cedo a uma equipa pequena, principalmente quando se joga em casa, estádios onde essas equipas vão para pontuar, jogando o inverso da equipa grande - que tem como objectivo primordial ganhar. O golo cedo abre mais espaços ao jogo da equipa pequena, que tentará pelo menos ter alguma iniciativa, e é este o normal conforto das equipas grandes. Mas, como isto é o futebol português, por vezes nem o primeiro golo chega e é, por isso, preciso marcar mais um para "abater" a tal equipa pequena que, mesmo com um golo sofrido, por vezes mantém uma postura ultra-defensiva em campo. Como, para um grande, perder ou empatar em casa é igual, essas equipas podem até guardar-se para, nos últimos minutos, tentar forçar o empate, e se não conseguirem estão "protegidas" pela não-obrigação.

O Sporting CP é uma equipa que se depara com este problema nos jogos em casa, somando 5 empates - sendo que 2 foram contra FC Porto e SL Benfica e são resultados aceitáveis. E é na comparação com estes dois adversários que o Sporting CP deixa muito a desejar no que toca ao número de empates. Numa primeira fase do campeonato e em que ao futebol ofensivo diz respeito, o Clube de Alvalade foi uma equipa que criava muitas ocasiões de golo, sendo que não tinham depois a concretização desejável. O maior exemplo que posso dar - visto in loco - foi o Sporting CP vs. Vitória FC, cujo resumo apresento abaixo.


Os leões tem uma primeira-parte absolutamente avassaladora, com ocasiões atrás de ocasiões de golo várias, um Domingos Paciência desnorteado pela táctica com 2 avançados e a fazer substituições no primeiro tempo, não tendo resposta para o caudal ofensivo do Sporting CP - que só tinha como barreira a sua própria ineficácia. Neste jogo, só na segunda-parte, após a passagem do minuto 60, é que o Sporting CP conseguiu abrir o marcador, paradoxalmente numa fase em que o Vitória FC até crescia no jogo e os leões, obviamente, não tinham capacidade para manter aquele ritmo. O primeiro golo chegou de um livre indireto e o segundo por Fredy Montero, "do meio da rua", sendo que no último, de Islam Slimani, já eu estava fora do estádio. Fica a ideia que, com outra matreirice ou capacidade deste adversário, o jogo poderia, por exemplo, ter dado para o empate, o que seria uma "injustiça" (palavra da moda na primeira volta do campeonato).

Numa primeira fase da época, onde jogávamos bom futebol apesar da falta de equilíbrio, sou da opinião que fomos futebolisticamente superiores a FC Porto e SL Benfica. Mantínhamos um volume ofensivo que depois acabava por ser travado pela ineficácia, enquanto estes, mesmo jogando menos, tinham jogadores na frente que resolviam a questão do primeiro golo e acabavam por ter jogos diferentes do que os que o Sporting CP tinha pela frente. Esta é, na minha opinião, a razão pela qual os Sportinguistas pensam que os adversários jogam mais contra o nós: o Sporting Clube de Portugal é "obrigado" a jogar até aos 90 minutos porque não só tem dificuldade em abrir o marcador como em "matar" o jogo.

A questão dos golos numa equipa não pode incidir apenas sobre o ponta-de-lança, para nunca depender a 100% do seu momento de forma. Todavia, é sempre importante ter alguém que transforme o futebol em golos. Percebe-se isso, aliás, no Sporting de Marco, onde a distribuição dos golos é bastante diversificada pelos vários jogadores (ver gráfico abaixo), mas também se percebe que o Sporting CP não tem um verdadeiro "abono de família", como têm FC Porto (Jackson Martínez) e SL Benfica (Lima & Jonas), que não só oferecem golos mas também emprestam muito futebol à equipa.

Numa fase em que se especula bastante acerca de reforços - e os nomes sucedem-se na praça pública apesar de já terem sido prontamente desmentidos pelo Presidente, quero dizer que gostava que a Direcção entendesse que esta é "a contratação" a fazer, apesar de os problemas do Sporting Clube de Portugal, dentro de campo, não se esgotarem nos golos e na vertente ofensiva. Como se costuma dizer na gíria, o ataque é sempre a melhor defesa...

Vou abaixo apresentar alguns gráficos que incidem sobre o 1º golo de cada partida do Sporting CP, SL Benfica e FC Porto (até à data) para fazermos algumas comparações e tirarmos algumas conclusões, como o facto de irmos 16 vezes (50% dos jogos) para o descanso sem abrir o marcador à cabeça.



Nota: Para melhor leitura dos gráficos, clique nos mesmos.
Partilhar:

12 comentários:

  1. É tudo uma questão de mentalidade, e a equipa é a imagem do treinador, timida e nervosa. Não entra em campo pronta a marcar. Houve muito jogo que o primeiro remate à baliza foi aos 60.

    ResponderEliminar
  2. Concordo que no início éramos a melhor equipa mesmo sem os resultados o demonstrarem. O problema foi a regressão completa até nos transformarmos numa versão do futebol (?) de Sá Pinto (pese o exagero).

    Não concordo com a comparação entre Montero, Jonas e Jackson. É verdade que tem menos golos mas também é verdade que tem uns 400~600min jogados.

    Cumps

    ResponderEliminar
  3. RMSCP

    Eu sinceramente não avalio o que o Sporting joga depois de Dezembro pois abandonou as suas ideias e joga o futebol que nós vemos , sendo que até ao derby com o Benfica em que ficamos de fora , só ganhávamos jogos e jogávamos pouco mas pouca gente diria eu notou que o nosso futebol tinha regredido , depois quando ficamos afastados do título já foi mais visível até pela quebra dos jogadores que deixamos o que de bom vínhamos fazendo.

    É o meu 3º texto por aqui , não sei se costuma ler o que escrevo , mas gosto muito de metáforas e escrever sem escrever , o vídeo não foi por acaso e o Sporting jogou com os 2 avançados , o primeiro golo do SCP entra com a canela num lance irregular e o segundo num pontapé espontâneo. Na minha opinião o Sporting precisa de algo mais que os avançados que tem, isto sem querer sequer entrar em discussões sobre qual é o melhor. O Sporting tinha um problema , a ineficácia que aqui vimos mais a sua transição defensiva nesta fase , e um 6-2 em oportunidades para nós podia acabar em empate.

    Anónimo concordo , a entrada em campo mostra autoridade das equipas e nós demasiados jogos entramos sem mostrar que estamos ali para ganhar e vamos ganhar e ponto final. Aqui quis mostrar uma das melhores fases da equipa a jogar futebol e a não conseguir marcar.

    ResponderEliminar
  4. Caro m1950,

    A questão da marcação ou não do 1.º golo do jogo, quanto mais cedo possível, é - sempre foi - muito importante no aproveitamento das equipas. Não só desportivamente, mas até do perspectiva emocional dos próprios jogadores. Se tivermos em conta o contexto competitivo do nosso Campeonato, tal torna-se ainda mais importante!...

    Contudo, indo ao encontro do reverso da medalha, se uma equipa, grande como a nossa, por algum motivo não consegue encontrar o golo nos primeiros 15/20 minutos, também considero que deve ter maturidade competitiva suficiente para não se deixar cair numa espiral (des)motivacional. Aqui haveriam vários factores a ter em conta, começando desde logo pela idade dos jogadores, experiência dos mesmos (a idade nem sempre significa experiência, e vice-versa), cujas considerações nos levariam para outros tópicos.

    Não obstante o que disse acima, é impossível dissociar, aqui também, o treinador - que além das valências inerentes à profissão deve funcionar também como líder do grupo, a gerir objectivos (individuais, pessoais e colectivos) e motivar os seus jogadores, non-stop. Nesse aspecto, o que se tem visto, mais ainda depois do 3.º lugar assegurado, é de uma pobreza franciscana, também do ponto de vista emocional. A justificação da desmotivação inerente não pode, nunca, colher, num Clube grande como se quer o Sporting Clube de Portugal.

    Só para o Campeonato, o Sporting CP saiu para o intervalo sem qualquer golo marcado em 16 jogos (50%), enquanto que os dois rivais cifram esse dado estatístico em menos de 1/3 dos jogos. É manifestamente demais, mesmo admitindo que o nosso plantel é substancialmente inferior (o que não concordo, de todo)...

    Mais, temos neste momento 10 pontos perdidos em casa (sendo que 4 desses pontos perdidos podem ser considerados normais - SL Benfica e FC Porto), o que também é demasiado. Mesmo não tendo qualquer derrota caseira. A ver vamos no próximo Domingo...

    Sobre a qualidade do futebol apresentado, já todos chegámos à mesma conclusão. Lembro-me de Marco Silva ter dito algo como "o Sporting não contratou só um treinador, contratou também uma ideia de jogo", aquando da sua apresentação, no início da presente época. Refém das suas próprias palavras, constatamos hoje que a tal "ideia de jogo" de Marco Silva, ainda ensaiada nos primeiros 3 meses da época, caiu com a eliminação da UEFA Champions League. De que teve medo, o treinador? Ensinaram-me que quando se joga bem está-se sempre mais perto da vitória, proporcionalmente inverso ao oposto. Qualquer Clube precisa de resultados (e o nosso, então...) mas, se ficarmos sempre reféns dos resultados imediatos nunca chegaremos aos resultados a médio-prazo. Marco Silva remediou em vez de prevenir, abdicando covardemente dos seus próprios princípios - que deveriam estar sempre salvaguardados.

    (Cont.)

    ResponderEliminar
  5. (cont.)

    Já sei, vão-me dizer que a pressão de Bruno de Carvalho, imiscuindo-se na área técnica, foi a base desse desmoronamento ideológico de Marco Silva. Concedo até que, a ter acontecido de facto, possa ter tido influência; o que não concordo é que a subserviência de Marco Silva, nesse aspecto, seja justificada única e exclusivamente por isso...

    Acima de tudo o resto, o que me desilude é precisamente isto: o ter a certeza que Marco Silva tem qualidade para mais que isto, com o plantel que tem (provou-o, aliás, nos primeiros meses de competição) e, no entanto, escolheu embarcar na nau do simples e redutor com que, às tantas, nos fartámos na época passada. E já nem menciono críticas de ordem técnico-táctica porque, essas, dariam pano para mangas...

    Encontrar um avançado com qualidade, eficiência e eficácia não é fácil. Nem barato... Hoje temos Fredy Montero, Junya Tanaka e Islam Slimani que, juntos, têm 26 golos: sensivelmente metade da produção ofensiva do Sporting CP no Campeonato. Não é mau, mas não é também não é ideal. Também considero que o Clube devia apostar na contratação de um avançado melhor que os actuais mas, por si mesmo, tal não resolveria nem sequer metade dos problemas colectivos da equipa. Se tanto, poderia aqui e ali disfarçá-los.

    Mais um excelente post, caríssimo. A ver se, desta vez, os preguiçosos dos comentadeiros alinham numa discussão que, enfim, trata daquilo que todos gostamos: Futebol!

    Grande abraço...

    ResponderEliminar
  6. lembro-me de uma época com o Paulo Bento que o sporting teve uns jogos que entrava em campo e marcava sempre nos primeiros minutos, a equipa entrava com uma energia e mentalidade que as coisas saiam bem e o adversário entrava aterrorizado,....

    ResponderEliminar
  7. Mauro Silva , antes de mais quero agradecer a si e a todos que comentaram.

    Começo por falar no aspeto da motivação, Marco Silva sendo jovem na minha opinião deveria ter uma abordagem diferente aos jogadores do Sporting para não ser confundido com um primo ou um colega deles , pois são jovens e precisam de disciplina tática e mental , e se vêem ali o amigo torna-se complicado que ele consiga chocar com a atitude deles em campo.

    Em relação ao fechar do 3ºlugar , na minha opinião é natural que haja quebra na concentração e assim descida dos níveis exigíveis de competição num clube como o nosso , o "baixar da guarda" quando não se tem objetivos é muito difícil de gerir por parte de um treinador , sendo que até os jogadores mais "batidos" acabam também por relaxar. Mas devo dizer que entendo o que diz , e não deveria ser assim.

    Tentei não focalizar esta questão no individual e não no coletivo porque o futebol é mais que o golo , mas o golo é objetivo do futebol , porque uma equipa que está com o pendor ofensivo quando não concretiza , acaba não apenas por ter desgaste mental mas acima de tudo físico , e o adversário também corrige o que for necessário para travar o ímpeto.

    Não será fácil encontrar o tal avançado mas aqui teremos de ter muita concentração na escolha , pois deve ser muito acertada.

    Dos 5 empates em casa , recordo-me por exemplo do jogo com os Belenenses e com o Paços Ferreira , com os primeiros o Sporting perdeu uma chance numa excelente ocasião de golo criada pelo Nani que o Slimani falha de forma escandalosa quando podiamos ganhar o jogo , e com o Paços Ferreira antes do golo mal anulado , o mesmo avançado falha um golo de baliza aberta , que nos podia dar a vitória num jogo difícil , não só pelo adversário mas também por ser a seguir a champions.

    Vem outra vez a questão da motivação , o chip champions --> campeonato é o mais complicado de gerir por um treinador , entrámos nesse jogo com o Paços por cima , só conseguimos superioridade após a expulsão , e o nosso golo do empate é outra vez um golo do "meio da rua" de Montero.

    Com o Moreirense , jogo a seguir à eliminação na champions e um jogo onde devíamos ter aproveitado , mais um decepcionante empate , sendo que também a finalização foi outra vez uma das pechas , entramos a jogar muito mal e antes do golo do Moreirense , temos uma chance clara que Carrillo atira muito por cima , e depois marcou o Moreirense , e complicou mentalmente todo o jogo do SCP que já não estava famoso e o público a ajudar muito pouco também.

    Mais uma vez obrigado por me permitir partilhar a minha opinião neste espaço.

    ResponderEliminar
  8. claro que o 1º golo quanto mais cedo entrar melhor.o pior é quando não entra nem o 1º nem o segundo....isso é que é o cabo dos trabalhos.
    Normalmente para haver uma equipa tem de saber jogar futebol coletivamente,sendo que a finalização,o golo,é o reflexo ou culminar da qualidade de jogo coletivo que uma equipa apresenta.o futebol mudou muito e hoje em dia um ponta de lança só marca golos com regularidade se o jogo coletivo da equipa assim o proporcionar.é que por essa europa fora quantos serão os pontas de lança com 20 ou mais golos marcados?nem preciso de ir ver porque sei que são poucos.quanto custará um "matador" que garanta pelo menos 20 golos por época?n sei mas pelo que vou vendo,papita me que custará uns mulhões...sim,pk hoje em dia é tudo aos milhões...se não for,é pk não presta...o que não é verdade.
    O que preocupa o autor deste post,é de certeza preocupação da maioria de todos nós.é que o sporting de facto ganha poucos jogos porque marca poucos golos.agora,será que os atacantes que temos não serão suficientemente bons?sei que não são jogadores do calibre de um Acosta,Jardel ou Liedson..isto só para falar dos mais recentes pk pra mim o melhor PL que vi no sporting desde os anos 80,é o Rui Jordão...mas será que os que temos não serão bons qb mesmo?na minha opinião são.não há muitas equipas que tenham no plantel atacantes como o Slimani e como o Montero.por isso,não discordando da visão do autor deste post pk eu tb quero sempre melhor do que aquilo que temos,mais importante do que ir comprar 1 ou 2 atacantes que supostamente por si só resolveriam o problema do 1º golo,mais importante que isso seria na minha opinião ter á frente da equipa um grande treinador e um grande preparador fisico.tenho a certeza abosulta que com os jogadores que temos atualmente no ataque,muitos mais golos eles marcariam...por outro lado com um treinador como o que temos hoje,provavelmente grandes "matadores" como Liedson,Acosta ou jardel,não marcariam o nº de golos que todos sabemos que marcaram.Em resumo,treinador que perceba de futebol e que queira ganhar seja contra quem for em 1º lugar.os "matadores"...isso nós já temos com qualidade suficiente.

    Anibal777

    ResponderEliminar
  9. Anibal777 , boa noite meu caro , os comentários servem como complemento ao post , logo agradeço o seu comentário mas gostaria que tivesse lido outros mais acima.

    O vídeo e o jogo não foram escolhidos por acaso , nele estão os 2 melhores avançados do SCP , uma capacidade volume ofensivo do SCP do melhor que se viu esta época , e também muito futebol... que não estava a ser traduzido em golos , que apesar de ser uma consequência do futebol é também e acima de tudo , o objetivo do jogo.

    A qualidade de jogo não é constante , e é bom que quando a equipa imprime ritmo isso seja traduzido em golos , o Sporting marcou aos 60minutos , com um volume de jogo incrível na primeira parte suficiente para dar 5 (pese embora este golo mude o jogo , mas o VFC não teria como responder se o Sporting mostrasse ambição) , e com outra matreirice do adversário o jogo poderia ter dado empate.

    E como o que se gosta de avaliar é o futebol primeiro ,e nesse jogo não faltou foi futebol ao Sporting, marcou golos mas que podia ter dado asneira podia.

    O Sporting perdeu o Aboubakar esta época , o Aboubakar será um enorme avançado assim que tenha a confiança da titularidade , o Sporting depois de falhar Aboubakar aumentou o ordenado a Slimani , e mantém Capel no plantel que certamente ganhará muito mais que o Aboubakar.

    Teremos de ter alguma ginástica mesmo dentro das nossas limitações de modo a sermos mais competitivos.

    ResponderEliminar
  10. Carissimo m1950,
    Claro que li os restantes coments..por simples curiosidade.também vi e sei que não foi á toa que colocou no post um "desenho" de um autocarro para melhor ilustar as dificuldades que o sporting encontra sempre que joga contra equipas que defendem com 11.imagem perfeita.mas o que me veio ao pensamento quando li o titulo do post"matador precisa se",foi a ideia de que com um Jardel os golos apareciam ás carradas,coisa que eu não acredito e muito menos acredito que o Abubacar fosse muito menos ainda,solução por si mesmo.já aqui disse várias vezes,com este treinador,esta mentalidade e este modelo de jogo,se hoje tivessemos no plantel um Jordão e um Manuel fernandes,um deles ficaria no banco de certeza absoluta...

    Anibal777

    ResponderEliminar
  11. o futebol não é nenhuma ciência, o futebol é meter a bola na baliza adversária e não sofrer. Uma equipa grande, experiente, marca em qualquer altura, sabe como marcar, tem várias maneiras de chegar ao golo, sabe analisar as fraquezas dos adversários e explorá-las, sabe analisar as virtudes dos adversários e contrariá-las e/ou anulá-las. UMa equipa grande tem confiança e nervos de aço, e é vencedora. Vivemos numa era onde se adoptam novas retóricas a torto e a direito, com o intuito de tornar moderno aquilo que é antigo e que continua conceptualmente inalterado.

    Saudações leoninas

    setaverde

    ResponderEliminar
  12. Bom Post m1950

    Parece-me por demais evidente que marcar cedo é muitíssimo importante numa equipa como o Sporting, inserida numa liga como a nossa.

    Aliás, conta-me o meu sogro, que o nosso antepenúltimo campeonato conquistado, em 81/82 (Malcom Allison era o treinador), a equipa resolvia praticamente sempre os jogos na primeira meia hora, e depois tratava de gerir o resultado. E assim conseguiram uma dobradinha histórica. A nossa liga, pela sua característica táctica e defensiva, "aconselha" que se faça isso. Aliás, o nosso rival faz isso com extrema competência também.

    Posta esta concordância, vamos àquilo que é mais interessante, ou seja, as soluções para conseguir essas "entradas a matar". E eu sou daqueles que se tiver que decidir entre ter um finalizador cirúrgico ou uma equipa que constrói ocasiões dificílimas de falhar, não hesito e escolho a 2ª.

    A sua comparação quanto aos golos marcados pelos artilheiros de cada equipa é interessante, mas também é necessário realçar que temos menos 20 e 9 golos marcados que slb e fcp, respectivamente. Para não falar do facto de termos o mesmo número de golos sofridos que os nossos 2 rivais juntos. O facto dos nossos PdLs não marcarem tantos golos é quanto a mim, apenas um reflexo das ocasiões que a equipa lhes oferece, em contraste com as dos rivais.

    SL

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!