Próximo Jogo

Próximo Jogo

29/06/2015

Notas soltas sobre a A.G. de 28 de Junho de 2015

Ontem estive na Assembleia Geral Ordinária do Sporting Clube de Portugal (convocatória aqui) por algumas horas, sendo-me impossível - por motivos pessoais - assistir a todo o evento. Irei, ainda assim, tentar dar uma ideia daquilo que de mais relevante se passou no pavilhão multi-desportivo de Alvalade durante a tarde de ontem.

Convido, desde já, todos os leitores que lá tenham estado a contribuírem para este post com toda e qualquer informação adicional que pareça relevante/pertinente partilhar. Antes de começar, parece-me relevante realçar tanto a fantástica participação nesta reunião magna (mais de mil sócios participaram, numa tarde de Domingo de muitíssimo calor), como também o facto deste evento ter decorrido dentro do maior civismo e normalidade, o que nos tempos que correm me parece ser um excelente indicador. Então aqui vão alguns aspectos que retive:
  • A AGO começou com o Ponto I da ordem de trabalhos, que consistia na apresentação do projecto de construção do Pavilhão João Rocha da autoria da empresa Ferreira Build Power, em substituição da SOMAGUE, cujo conflito com o Sporting CP todos já conhecemos. Os sócios reagiram positiva e entusiasticamente a esta apresentação, que também incluiu a maqueta do edifício e algumas imagens virtuais (como a que está exibida abaixo). O Ponto II, acerca de distinções honoríficas (platina) a sócios com muitos anos de filiação e dedicação extraordinária ao Clube, também decorreu com forte aceitação e celeridade. O Ponto III, relativo à dissolução de várias empresas (aparentemente inúteis e obsoletas) do Grupo Sporting, foi também ele aprovado com relativa rapidez, e sem grandes questões. 
  • O Ponto IV era o tema quente desta AGO, consistindo numa apresentação sobre os resultados da Auditoria de Gestão - Fase III (mandato de Filipe Soares Franco – 19/10/2005 a 05/06/2009 e imobiliário 1995-2013). Bruno de Carvalho fez questão de fazer um ponto prévio antes de começar a apresentação propriamente dita, onde esclareceu duas questões: primeiro afirmou que não faria sentido pedir esclarecimentos aos visados em relação à Auditoria, uma vez que esta reúne factos sobre números e decisões de gestão, interpretando-os em seguida, sem necessidade de consulta aos intervenientes. Ou seja, esta foi uma resposta às reclamações de alguns dos ex-dirigentes leoninos, que recentemente se mostraram indignados relativamente ao facto de não terem sido consultados. O Presidente informou também acerca da disponibilidade de acesso ao documento integral desta Auditoria para os sócios. Essa disponibilidade estará, no entanto, sujeita a um compromisso de confidencialidade (para quem estiver interessado, poderá pedir mais informações na secretaria de Alvalade).
  • Durante a apresentação dos resultados da Auditoria, foram referidas várias coisas, das quais provavelmente - e até porque não tomei notas - esqueci boa parte dos detalhes. Não entrarei em pormenores, até porque corro o sério risco de vos induzir em erro e porque, como já referi, todos os sócios poderão consultar este documento. No entanto, a impressão geral com que fiquei é a de que o Sporting Clube de Portugal, nas últimas duas décadas, passou de um Clube com muito mais activo que passivo (cerca do dobro), e com uma dívida bancária diminuta, para um Clube enterrado em dívidas aos bancos e com capitais próprios altamente negativos. E alguns dos pormenores que ajudam a explicar esta dinâmica catastrófica são de facto revoltantes. Os salários pagos a vários administradores, as suas indemnizações milionárias e vários negócios efectuados (estou a referir-me sobretudo ao âmbito não-desportivo) são dificilmente interpretáveis à luz do superior interesse do Sporting Clube de Portugal. Terá havido dolo ou somente um somar de terríveis asneiras? Não sei... mas que várias destas coisas cheiram a esturro, disso não tenho quaisquer dúvidas. Veremos quais os próximos capítulos deste processo: será que "a montanha vai parir um rato", como alguns gostam de apregoar? Não tenho assim tantas certezas em relação a isso.
Entretanto, e como já vos referi, tive que abandonar a AGO por motivos pessoais e, assim sendo, não assisti a mais nada. Soube, pela Comunicação Social, que as contas terão sido aprovadas com uma maioria esmagadora. Soube também que o Conselho Fiscal & Disciplinar, na pessoa do seu líder Jorge Bacelar Gouveia, informou os sócios acerca da expulsão de Luiz Godinho Lopes, da suspensão de Luís Duque e das auto-exclusões de José Filipe Nobre Guedes e de Carlos Freitas de sócios do Sporting Clube de Portugal (processo explicado aqui). Sobre este assunto, e devido à sua complexidade, escreverei noutra ocasião.

Qual a vossa impressão acerca desta AGO, recheada de incidências? Positiva para o futuro do Sporting CP ou nem por isso?

Um abraço e Saudações Leoninas
Partilhar:

5 comentários:

  1. Ainda hoje estou a processar tanta informação. Fomos escandalosamente roubados durante 20 anos.

    ResponderEliminar
  2. Sportinguistas a roubarem sportinguista penso que tem sido a imagem de marca.
    Tenho muitas saudades do falecido João Rocha que deve dar voltas no caixão agoniado com esta máfia.

    ResponderEliminar
  3. Luis Maia Pereira29/6/15 20:13

    Concordo com a ideia geral de que o Sporting foi altamente lesado com o "projecto roquete" que que teve muitos intervenientes "viscondes", que tomaram decisões de gestão e patrimoniais que nos iam levando quase à falência. Godinho Lopes esteve no projecto do estadio novo, teve uma derrapagem brutal e ficámos com um estádio com muitas deficiências. Mas será que as pessoas se lembram por que avançámos para um projecto deste tipo, com um novo estádio e alvalaxia?
    Lembro que o Sporting, nos anos 80 esteve em situação financeira péssima, que foi recuperada em boa parte por Sousa Cintra. Antes, os salários andaram atrasados, os empréstimos bancários e outros eram feitos dando património como garantia e tudo estava cada vez mais dificil.Recordo que até o Figo esteve para ir para os lampiões, pois tinha justa causa para sair. Por outro lado, o estádio estava cheio de problemas com infiltrações,precisando de obras importantes,para as quais não havia dinheiro. Lembram-se da novela da "pala"? Dai, a decisão estratégica de tentar encontrar receitas extras, mas regulares para suportarem as ambições desportivas. A ideia era boa, mas correu tudo muito mal.

    ResponderEliminar
  4. Não havia dinheiro para a manutenção do velho alvalade, mas houve dinheiro para um estadio e academia de raiz?

    ResponderEliminar
  5. Por falar em mafia.....

    Para quando uma investigação ao Benfica?
    Espero que esteja para breve ou que alguêm fale com alguêm para isto entrar em acção.

    Vender putos tabelados a 15M não é normal, ainda por cima quando os negocios são sempre feitos entre Valencia ou Monaco (equipas do Jorge Mendes).
    Nenhuma equipa no mundo vende os putos da formação a 15M cada...isto mete lavagem de dinheiro, trafico de influencias e enriquecimento ilicito.
    E mais, todos os anos compra mais de 10 jogadores, todos ou 90% com ligação ao Jorge Mendes.
    Eu acho que, só o facto do Jorge Mendes, como agente de futebol, pertencer indirectamente, á direção do Benfica, cheira-se a corrupção.
    Seria bom alguêm investigar isto tudo.

    Peço desculpa ter transformado o meu comentário nesta situação, mas acho que deve ser investigado, para bem do futebol nacional e espero que alguêm deste blogue conheça alguêm que possa dar andamento a isto.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!