Próximo Jogo

Próximo Jogo

06/07/2015

Hallelujah!

A novela durou sensivelmente um mês, mas eis que está resolvida: Marco Silva e a sua restante equipa técnica rescindiriam, por mútuo acordo, os seus vínculos contratuais com o Sporting Clube de Portugal.

Do que nos é dado a conhecer, da imprensa - para não variar, este acordo foi alcançado exactamente nas mesmas medidas da primeira proposta, com apenas uma nuance: pagamento de 1 dos 3 anos que restavam no contrato (sensivelmente 350 mil €), salvaguardando cláusulas de confidencialidade (impedindo a discussão acerca da vigência dos visados no Clube), e cláusula anti-rivais (que impede os visados de poder vir a treinar SL Benfica e FC Porto - e SC Braga, o que não faz sentido, e até dá mais importância que a devida a esse Clube. A nuance prende-se com a maturidade da cláusula anti-rivais; a primeira proposta consagrava um período de 4 anos para essa proibição, enquanto que, agora, esse prazo terá descido 1 ou 2 anos, não se conhecendo em certeza.

Sporting Clube de Portugal e Marco Silva estavam condenados a este desfecho que, diga-se, já tinha sido alcançado antes da apresentação oficial de Jorge Jesus. Se, do lado do Clube, haveria constrangimento por deixar procrastinar por tanto tempo esta resolução - crucial para a sã vivência desportiva do Clube, do lado do "Special One das Amoreiras" havia, mais que a convicção da razão, a necessidade da desvinculação, o quanto antes, para que pudesse imediatamente abraçar um novo desafio - ao que se diz, nos gregos do Olympiakos CFP.

Já li hoje quem - Sportinguista - se diz "desiludido com o Marco", pois "só tinha que fazer valer os seus direitos, até ao último momento e até ao último tostão". Desses, cuja opinião apenas valido pelo absurdo, só tenho a considerar que não me revejo, de todo, neste desejo mais ou menos profundo de ver o Sporting Clube de Portugal perder a defesa dos seus interesses, apenas para que isso consubstancie (mais) uma conveniente crítica à Presidência, na pessoa do Presidente Bruno de Carvalho. Não deixa de ser elucidativa, ainda assim, esta necessidade premente de criticar algo. Poderia aqui acrescentar uma citação ou um excerto de alguém importante, sobre a hipocrisia da crítica, para parecer mais culto que aquilo que sou; felizmente o 'Google' é uma ferramenta extremamente útil e à disposição de todos, cultos e incultos!...

A partir deste momento, Jorge Jesus é oficialmente Treinador da Equipa Profissional principal do Sporting Clube de Portugal. Deixe-se a novela-Marco Silva no Passado, onde pertence...

A semana passada foi pródiga em entrevistas, desde o Presidente Bruno de Carvalho, passando pelo novo director-geral para o Futebol, Octávio Machado, e acabando, ontem, numa entrevista de Jorge Jesus em pleno Playoff, da SIC Notícias.

Infelizmente, pelas mais variadas razões, não se pôde retirar grande matéria de interesse de nenhuma delas. Talvez a de Octávio Machado tenha sido a mais elucidativa, pois confirmou terem sido, ele e Manuel Fernandes, desejos de Jorge Jesus para integrar a "estrutura". Das entrevistas de Bruno de Carvalho (conduzida por uma desconhecedora e impreparada Judite de Sousa) e de Jorge Jesus (num programa onde o portista Rodolfo Reis se revelou, de novo, a besta cúbica que é, onde António Simões fez tudo por tudo, sem sucesso, subvertendo "problemas" do SL Benfica, colocando o ónus sobre Jorge Jesus, e onde o pivot João Abreu, que se supõe moderar, não fez o seu trabalho, confirmando ser completamente desajustado quer para um programa daqueles quer, muito menos, com um entrevistado desta importância futebolística), nada resultou de muito significativo senão a postura dos mesmos, cuidada e calma, sem fugir a questões e, no caso do Presidente, até dando o braço a torcer quanto a algumas atitudes.

De hoje em diante, Jorge Jesus quer, pode e manda, na medida das suas funções, como Treinador. E fica tão melhor de rampante ao peito, não fica?

Deixemos trabalhar quem sabe e ajudemo-lo a fazer melhor ainda, quanto melhor possível. Contribuamos todos para que os êxitos semanais e o sucesso final sejam possíveis!
Partilhar:

10 comentários:

  1. Não consigo perceber a razão de tanto entusiasmo, por um treinador medíocre que só ganhou alguma coisa graças ao colinho...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo6/7/15 18:41

    mediocre foi o treinador que acabamos de despachar,o marco silva que se deu ao "trabalho" de empatar 10!!!!!jogos só para o campeonato...isso é que é ser mediocre.

    Anibal777

    ResponderEliminar
  3. Anónimo7/7/15 01:38

    Ó Viegas a azia ainda continua? Eheheh. Aconselho Rennie 3 vezes ao dia durante a pré-época, após a Supertaça reforça com Kompensan. Eheheh. SL

    ResponderEliminar
  4. Vamos ver quem é que vai ficar com azia... Eu não estou muito preocupado porque o vosso presidente se vai incompatibilizar com o Jesus, como fez com todos os outros treinadores...
    Mas pelos vistos não gostaste que eu vos apontasse a incoerência leonina...
    É que das duas uma: Ou o Jesus é um bom treinador e o Benfica ganhou com mérito (teoria Benfiquista), ou o Jesus só ganhou com o colinho (teoria sportinguista e portista) e nesse caso foram enganados e levaram uma treta de treinador.
    Não podem querer as duas. Qual é que escolhem?

    ResponderEliminar
  5. herrflick7/7/15 13:52

    Um bom acordo. O Sporting acaba por pagar a Marco Silva, entre honorários e a indemnização agora acordada, um valor próximo daquele que o novo treinador do Benfica receberá por época. Como tal, é um acordo que não onera excessivamente o clube.
    A cláusula de confidencialidade garante que não haverá lavar de roupa suja, o que é importante para a estabilização do clube, depois de uma época em que, inacreditavelmente, o treinador foi o principal foco de indisciplina. A cláusula que o impede de treinar rivais é um castigo merecido, uma vez que MSilva nunca desmentiu os contactos que poderá ter tido com dirigentes ou emissários do Porto, e, desta forma, ficará como exemplo de que estas estratégias não funcionam no clube.

    ResponderEliminar
  6. António Viegas,

    É preciso estar com muitas dores de cabeça para vir a um blog alusivo ao Sporting Clube de Portugal questionar os Sportinguistas. Para mais, fazendo generalizações bacocas.

    Com certeza haverão muitos Sportinguistas que não gostarão de Jesus, ou que passaram a gostar, pelo simples facto de ter ingressado em Alvalade. Porém, não é o meu caso nem o de nenhum dos meus colegas de blog - como facilmente poderá constatar, se se quiser dar ao trabalho de procurar as (poucas) considerações sobre Jorge Jesus que aqui se fizeram.

    Da minha parte, em particular, condenei-lhe veementemente o parábola do "limpinho, limpinho", como o voltaria a fazer hoje; uma coisa é defender o Clube que lhe paga, outra bem diferente é tomar o País futebolístico por estúpido. Para além disso, brincava com a sua forma de falar, como brinco hoje e brincarei no futuro, até porque nunca o fiz de forma perjurativa.

    A "incoerência leonina" de que fala não passa de uma pequena amostra que você mesmo tomou como representativa do total e, como tal, induziu em erro. Também eu lhe podia apontar a "incoerência encarnada", porque também há benfiquistas que, considerando Jesus muito bom antes, agora já consideram que não vale nem metade do que diziam. Sabe (?!), a Sociedade é assim, plena de incongruências e hipocrisias, mas daí a apontar especificamente essas incongruências a quem nunca as teve.... a distância é grande, e a perna, como a dos mentirosos, é mais curta que a dos coxos. Se é que me entende...

    Mais lhe adianto: se é verdade que houve uma incompatibilidade insanável de BdC com MS (e olhe que os motivos não são todos tão estapafúrdios como aqueles que leu na imprensa, plantados pelo assessor de Marco Silva), é completamente mentira que tenha havido incompatibilidade com Leonardo Jardim - e ele próprio confirma-o nas várias entrevistas que já deu. Terão havido divergências decorrentes do trabalho de cada um no Clube? Claro que sim! Como houve entre Jesus e Vieira ao longo dos 6 anos que passaram juntos na Luz. Faz parte!...

    Deixe lá de ser mais um dos tantos discípulos de Goebbels, que uma mentira, mesmo que contada milhentas vezes... é uma mentira, de igual forma.

    Abraço desportivo. E são...

    ResponderEliminar
  7. O record e a abola lançaram que a clausula anti rivais eram apenas para FCP e SLB , o Braga é uma aldrabice que o senhor MS meteu cá para fora para humilhar o SCP , tal como fez ao meter cá fora o ponto do fato do clube , para ridicularizar o SCP.

    Chama-se comunicação , o jornal ojogo e o acessor de imprensa de MS , o Jean Paul Lares que trabalha no mesmo jornal sabem o que andam a fazer.

    ResponderEliminar
  8. Caro Mauro Silva,

    Folgo em saber que neste blogue sempre se reconheceu o mérito de JJ e do Benfica nos últimos campeonatos ganhos, e que portanto nunca alinharam na teoria estapafúrdia do colinho.
    É bom saber que nem todos os sportinguistas alinham nas teorias do controle do Benfica ao nível das nomeações, até porque não fazem sentido.
    Repare, se o Benfica controlasse as nomeações, porque diabo teria levado com o Pedro Proença na maioria dos jogos decisivos do últimos anos?
    E porque é que o Capela nunca mais apitou o Sporting? E porque é que, nem Duarte Gomes nem Bruno Paixão, apitam o porto há vários anos?

    ResponderEliminar
  9. António Viegas,

    Quer que eu também lhe faça perguntas desse género? É que há muitas por onde escolher. Não o vou fazer, até porque nem este é o post indicado para o fazer e porque já estamos a levar isto para um off-topic que não trás para aqui anda de interessante.

    Digo-lhe apenas que defender a omnipotência de Vítor Pereira no Conselho de Arbitragem é como defender que o Pinto da Costa é um cidadão exemplar. Só cabe na cabeça de quem nele tem interesses próprios...

    ResponderEliminar
  10. Anónimo9/7/15 17:58

    Foi um dos poucos erros cometidos pelo nosso Presidente, o ter contratado este senhor, e logo por 4 anos!
    Se o contratou por um período tão alargado foi porque tinha elevadas expetativas quanto ao desempenho deste senhor.
    Mas cedo teria constatado que a pessoa não era de confiança e só traria problemas.
    Devia-o ter despedido de imediato, pois está provado que o arrastar de problemas deste tipo não leva a lado nenhum.
    Quando se diz que este senhor foi mal tratado pelo Sporting está-se a ofender uma legião de desempregados e de trabalhadores a receberem 600 € e menos por mês, muitas vezes com filhos a cargo.
    O Sporting pagou-lhe mensalmente as verbas acordadas e ainda lhe pagou mais de 350.000 € quando da rescisão do contrato.
    Quantos trabalhadores não são despedidos sem levarem um tostão?
    Deixou mensagens de despedidas aos jogadores e adeptos mas não ao Presidente.
    Devia lembrar-se que só foi contratado pelo Olympiakos por ter sido treinador do Sporting.
    Não era como treinador do Estoril que o Olympiakos se lembraria dele, mas nem isto teve em conta.
    Só fico admirado como ainda há Sportinguistas que consideram o nosso Presidente como o "mau" nesta história.
    DUARTE

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!