01/12/2015

Copo meio cheio, copo meio vazio

Em onze jornadas o Sporting CP conseguiu nada menos do que 29 pontos, correspondentes a nove vitórias e dois empates, o que não pode deixar de ser considerado muito positivo. Somando a isto a conquista do primeiro troféu em disputa na temporada, a Supertaça, e as três vitórias consecutivas sobre o eterno rival, incluindo uma humilhação no seu estádio e uma eliminação da Taça de Portugal, podemos considerar este arranque de temporada fantástico. Numa apreciação mais qualitativa, parece-me evidente que a equipa melhorou em praticamente todos os aspectos, isto apesar de na minha opinião não ser individualmente mais forte. Defendemos muito melhor e atacamos com mais critério, em suma somos um conjunto mais equilibrado do que em anos anteriores. Todos sabemos que ainda vamos no início, que apenas jogámos cerca de um terço da Liga, mas também sabemos que é importante começar bem. Esperemos que seja o arranque duma época de regresso às conquistas.

Quanto à abordagem que Jorge Jesus tem tido na Liga Europa, confesso que me sinto dividido. Por um lado compreendo, respeito e até partilho o entendimento de que jogar à quinta-feira e ao domingo para um núcleo de 14 jogadores, poderá reflectir-se numa quebra de rendimento aquando dos jogos decisivos do final da temporada, e Jorge Jesus conhece essa realidade como poucos. O que eu tenho mais dificuldades em entender é a desvalorização da competição em si, e neste ponto discordo do treinador (assunto abordado com mestria aqui). De qualquer forma, compreendo que não seja uma prioridade, até porque é mais fácil garantir o acesso directo à Liga dos Campeões 2016/17 por via da Liga portuguesa, do que propriamente vencendo a Liga Europa.

Aquilo que me tem realmente preocupado é a manifesta dificuldade da equipa em conseguir enfrentar adversários ultra-defensivos. É evidente que a melhor forma de o fazer passa por desbloquear o jogo cedo. Nos jogos contra Tondela, Nacional, Boavista, Arouca e Belenenses a equipa não conseguiu fazê-lo com a competência desejada, apesar de apenas no Bessa termos perdido pontos. Parece-me portanto urgente que nos tornemos mais competentes neste aspecto, sob pena de vermos pontos fugir em jogos deste tipo, que previsivelmente será uma boa parte dos que temos pela frente. Não tenho também quaisquer dúvidas que Jorge Jesus tem esta mesma preocupação, e que não há melhor treinador para resolver isto. A possibilidade de sermos (ou não) campeões nacionais passa muito por aqui. Veremos o que o futuro nos traz.

O que vos parece esta análise, Sportinguistas? justa ou nem por isso?

um abraço e saudações leoninas. 



Partilhar:

16 comentários:

  1. Discordo totalmente neste ponto:

    "De qualquer forma, compreendo que não seja uma prioridade, até porque é mais fácil garantir o acesso directo à Liga dos Campeões 2016/17 por via da Liga portuguesa, do que propriamente vencendo a Liga Europa."

    Embora eu saiba qual a importancia de estar na Champions, estas a meu ver, a prioritizar mal. Ou seja, das a entender que o que e' importante e' estar na CL, seja via EL ou Liga Portuguesa.

    Ora eu acho que o que e' realmente importante e' ganhar titulos, sendo um deles a Europa Liga.

    ResponderEliminar
  2. seabra

    Concordo contigo, o mais importante/prioritário é a conquista de títulos, e também me parece que é mais provável consegui-lo internamente do que fora de portas. Sendo assim, e admitindo que há um "trade-off" entre liga portuguesa e liga europa, há que prioritizar um deles.

    O JJ escolheu a liga portuguesa, e acho que fez bem nesse aspecto. O que me parece que ele observou mal foi o menosprezo ao prestígio da liga europa. Aliás até foi em seu próprio prejuízo, uma vez que os maior feitos do seu currículo ao nível europeu foram precisamente nesta mesma competição. E para além disso, é uma boa oportunidade para o Sporting valorizar a sua marca ao nível dos rivais, o que quer queiramos quer não, ainda não acontece.

    SL

    ResponderEliminar
  3. Eu acredito que precisamos de ser campeões. Esquecer a Liga Europa é a melhor coisa. Sendo campeões, para o ano já vou pensar na Liga Europa se não passarmos do Grupo!

    ResponderEliminar
  4. "Aquilo que me tem realmente preocupado é a manifesta dificuldade da equipa em conseguir enfrentar adversários ultra-defensivos. É evidente que a melhor forma de o fazer passa por desbloquear o jogo cedo. Nos jogos contra Tondela, Nacional, Boavista, Arouca e Belenenses a equipa não conseguiu fazê-lo com a competência desejada, apesar de apenas no Bessa termos perdido pontos. Parece-me portanto urgente que nos tornemos mais competentes neste aspecto, sob pena de vermos pontos fugir em jogos deste tipo, que previsivelmente será uma boa parte dos que temos pela frente. Não tenho também quaisquer dúvidas que Jorge Jesus tem esta mesma preocupação, e que não há melhor treinador para resolver isto. A possibilidade de sermos (ou não) campeões nacionais passa muito por aqui. Veremos o que o futuro nos traz."

    Apesar dos adversários nos terem causado poucos problemas defensivos, a verdade é que se o Sporting tivesse empatado contra o Nacional, Arouca, Belenenses ou até Estoril, não tinha sido de todo injusto.

    As dificuldades em criar situações claras de golo contra equipas muito fechadas são facilmente perceptíveis. Na minha opinião, estas devem-se a:

    1) Extremos com pouca capacidade para desequilibrar em condução. Nem João Mário nem Ruiz tem como principal característica o facto de serem fortes no 1x1. Havendo muitos jogadores adversários atrás da linha da bola, e tendo em conta o modelo de jogo do JJ (muito importante dado que se fosse um modelo mais "paciente", com mais circulação antes de tentar penetrações, talvez não fosse tão preciso este tipo de extremos que referi) é necessário que alguns jogadores tenham capacidade para "bater" o seu marcador directo e ir embora, obrigado o adversário a ajustar e com isso abrir espaços para penetrar

    2) Falta de criatividade do nº 8. Adrien não é um médio criativo nem forte em condução. Não consegue quebrar linhas e com isso obrigar a desajustes defensivos.

    3) Falta de qualidade dos habituais avançados titulares, no que diz respeito jogo interior. Contra adversários muito recuados, com pouco espaço entre linhas, é fundamental que os avançados (que no modelo do JJ baixam muito para servir de apoio) tenham qualidade técnica para receber e passar mas também para conduzir, caso haja espaço para enquadrar.

    Muito dificilmente o Sporting não vai perder vários pontos contra este tipo de equipas, se nada mudar entretanto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, só um pequeno reparo. O que falta aos avançados é jogar bem em passe em espaços curtos entre a defesa e meio campo do adversário e não propriamente a condução da bola.
      Pinho

      Eliminar
  5. Honoris

    Bom comentário, a complementar o que eu disse com as suas causas técnico-tácticas, confesso que não tenho esse conhecimento nem capacidade.

    Resta-me esperar que algo mude o pelo menos que erres redondamente no teu prognóstico relativo à perda de pontos contra autocarros.

    SL

    ResponderEliminar
  6. Estou de acordo com JJ a prioridade é o Campeonato/Liga, pois não temos jogadores de qualidade para jogarmos para tentar ganhar Campeonato/Liga e Liga Europa. PS - Ontem ao fazer zapping passei no programa "Dia Seguinte" na SIC, onde rgs falava de direitos televisivos e dizia que o Slb era quem levava mais gente aos Estádios. E deu-se como exemplo o jogo contra o Tondela e rgs com ar triunfal desafiou os outros intervenientes a dizer quantas pessoas os seus clubes levaram contra o Tondela (jogo em Aveiro). Infelizmente nenhum lhe soube responder, porque não leram o jornal (insuspeito) "O Jogo" de 29/11/2015 que curiosamente referia as assistências ao jogo dos 3 grandes, assim: Fcporto - 3.000 e tal espectadores; Slb - 9.000 e tal e Sporting: 22.000 e tal espectadores (não decorei as centenas)! Os 2 (Slb e Fcp) juntos levaram a esse jogo pouco mais de metade dos espectadores que o Sporting levou!!!Uma diferença abismal. Caiu mais um mito (que muito pode beneficiar os lamps). Ou melhor se a Cs quisesse e os sportinguistas estivessem atentos este MITO cairia, pois já na época passada se provou que não era como os lampiões diziam. É que os MITOS dos 6 milhões; 14 milhões; 265 milhões de sócios que depois se verifica serem de 150 e tal mil, não são inócuos, podem traduzir-se em patrocínios de milhões. Há que estar atento e denunciar o que não estiver correcto, se não o Sporting pode ser prejudicado. Desculpem o off the topic. SL

    ResponderEliminar
  7. Uma analise muito lúcida vindo de uma pessoa com um pessimismo tremendo. Estás de parabéns por teres conseguido ultrapassar isso neste post.

    Concordo em tudo!

    ResponderEliminar
  8. setaverde1/12/15 20:42

    Boa noite, Diogo. Concordo com praticamente tudo aquilo que escreveste. Em relação à desvalorização da liga europa por parte do nosso treinador, penso que é mais externa do que interna. O discurso para dentro deve ser outro, o de luta em quaisquer circunstâncias pela vitória, seja como visitante, ou como visitado. Quanto à gestão do nosso plantel, ontém ficou à vista que Jorge Jesus tem razão, porque a nossa manta ainda é demasiado curta para ambicionármos conquistar todas as competições nas quais nos encontramos. Ainda para mais, é o ano de estreia do Jorge Jesus, que está a conhecer os jogadores, os cantos à casa, como se costuma dizer e é normal ele dar prioridade à competição que há mais tempo não conquistamos, como é o caso do campeonato nacional, pois fomos campeões pela última vez na época de 2001-2002. Depois, sucede-se na hierarquia das prioridades a taça de portugal. A título pessoal gostava de ter no nosso museu uma taça da liga, pois foi uma competição criada pelo sporting e pelo boavista. Abraço e saudações leoninas.

    ResponderEliminar
  9. Em relação ao futebol , vou copiar um comentário feito hoje de manhã:

    "1 de dezembro de 2015 às 10:57

    Vamos lá meter isto em pratos limpos.O Sporting joga em ataque posicional , persiste na forma de jogar de uma equipa grande , procura o espaço interior tenha ou não tenha espaço , e nessa situação está a faltar criatividade qualidade de definição no último terço , ao contrário do que acha a maioria , não é necessário o desequilíbrio de um super extremo para partir autocarros , é preciso qualidade a definir , o Sporting tem cometido um erro que é fazer com o Slimani baixe para dar apoios , algo que raramente faz em qualidade e naquela zona os passes teem de sair rápido e ao primeiro toque.

    Há 2 soluções , ou jogadores como João Mário, Montero e Ruiz jogam ali no centro do terreno para dar maior qualidade de definição nesses espaços curtos , ou a outra solução é um "Carrillo" para a mudança de velocidade e assim poder manter elementos menos criativos como Adrien e Slimani , esta solução é a mais óbvia para os adepto , sendo que ganha na reação à perda , mas isso não quer dizer que só se pode ganhar este tipo de jogos assim. A primeira solução vimos no jogo contra o Lokomotif.A circulação de bola é positiva até chegar ao adensar de adversários no espaço interior por onde persiste sempre em jogar.

    A nível defensivo o Sporting nem sequer consente oportunidades de golo.O Benfica de Jesus , não só no dorso tinha mudança de velocidade e desequilíbrio ( não muita criatividade) pelo Enzo como também a tinha nas alas pelo Gaitán e pelo Sálvio.

    O Jesus sabe certamente o que escrevi , o dilema é , meter esses jogadores tecnicistas e perder agressidade na reação à perda contra equipas que teem certamente um contra-golpe muito rápido , ou ter jogadores menos criativos mas muito agressivos na reação e condicionamento da saída de bola do adversário , que num ou outro lance conseguem com espaço definir bem e marcar.

    É a história do tapa-se a cabeça e destapa-se os pés , mas não é nunca por falta de soluções , ou falta de futebol , doce doce , era jogadores como Montero , Ruiz e João Mário tivessem outro comportamento na reação à perda , à Barcelona por exemplo onde este tipo de jogadores teem essa cultura , não porque caiem em cima da bola mas sabem perfeitamente ocupar o espaço rapidamente para recuperar rapidamente à bola.

    É uma questão de cultura , que jovens como William e João Mário quando a entenderem serão jogadores de classe mundial.Jesus teria de fazer essa aposta e iria perder pontos se necessário até eles ganharem essa cultura de agressividade , mas jogaria sempre com os mais capazes em espaços curtos , não pode... pois tem de ser campeão."

    Acrescento que sinceramente esperava que Jesus alterasse esse comportamento nos jogadores do SCP e assim pudesse utilizar esses mais tecnicistas , tinha mesmo essa esperança.

    ResponderEliminar
  10. Já agora excelente post meu caro.

    ResponderEliminar
  11. "Concordo, só um pequeno reparo. O que falta aos avançados é jogar bem em passe em espaços curtos entre a defesa e meio campo do adversário e não propriamente a condução da bola."

    Concordo que o principal é o passe e receção mas, quando há espaço, devem conduzir, e quanto mais fortes forem nisso, melhores seremos, quer em organização quer em transição

    ResponderEliminar
  12. Falta um Bruno César...
    Contra as equipas ditas pequenas Adrien devia dar o lugar a JM e este a Matheus ou Gelson,acho que estariamos mais perto de vencer assim.
    JJ tem noção deste problema como é óbvio e acho que se acentua mais com a pouca qualidade de João Pereira,isto é,se o corredor fica praticamente entregue ao lateral que tem quase sempre a oportunidade de cruzar com qualidade,a percentagem de acerto não pode ser de 10%,e tem sido,espero que com Schelotto melhore,porque se os laterais conseguissem aproveitar melhor essas situações,com Slimani na área não tenho dúvidas que tinhamos marcado pelo menos mais 5 golos,veja-se que no jogo contra o Guimarães,3 golos foram em cruzamentos,não é por acaso...
    No fundo as lacunas são:-um desequilibrador,Bruno César,Matheus e Gelson,cumprirão este papel,poucas dúvidas tenho disso.
    Laterais a aproveitar melhor as situações de cruzamento-Jefferson é bom,mas podia estar melhor,Esgaio não é bom o suficiente,João Pereira,idem,só nos resta ter fé em Schelotto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece me que estás com demasiadas expectativas no Bruno César. Para além do remate fácil e potente que tem não me parece que vá desequilibrar no 1x1.
      Pinho

      Eliminar
  13. José Pinho

    olha que em Alvalade desequilibrou várias vezes no 1x1.

    Por acaso fui ver o jogo outra vez e o BC realizou uma bela exibição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC1906,
      Também é diferente desequilibrar frente a equipas fechadas e frente a equipas como o Sporting. Mas espero estar enganado. Não digo que foi uma má aquisição mas esperava mais. Mesmo assim penso que poderá resolver muitos jogos ao estilo de Talisca no ano passado.
      Pinho

      Eliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!