Próximo Jogo

Próximo Jogo

30/01/2016

Et Pluribus Corruptus

Em bom momento me afastei da opinião pública Sportinguista. Não pelo Sporting Clube de Portugal ou qualquer um dos seus intérpretes, mas pelo estado do Futebol Português - que se aproxima a passo largo para um abismo de que dificilmente conseguirá sair. Ou, pelo menos, não sem a ajuda dos próprios Clubes, que terão que conseguir unir-se numa mini-revolução regulamentar...

Não vou sequer tentar elencar tudo o que se passou desde Junho do ano passado. Não tenho tempo nem sequer a paciência necessários para o fazer. Tenho a consciência - quiçá utópica - de que as pessoas não são todas esquizofrénicas nem paranóicas e que, portanto, observam o desenrolar da realidade dos factos com a mesma lucidez que um norte-americano que nunca cá pôs os pés nem, muito menos, conhece os corredores e os meandros com que se cose a Liga e a Federação. Se referi Junho de 2015 como ponto de viragem podia ter referido Junho de 1980; a única diferença é que o polvo mudou de mãos. E de nomenclatura. E não se chama Paul nem tem dons adivinhatórios; antes, o poder de um mestre titeriteiro, que subverte e antecipa os acontecimentos a seu favor. Sem pejo nem uma réstia de honra. Assim, à cara podre!

Olha-se para o Sporting Clube de Portugal, hoje, como uma doença venérea. Também muito por uma estratégia de manipulação operada em quasi-uníssono por muitos dos nossos inimigos - sim, inimigos mesmo; os mesmos que há um par de anos nos diziam que "um Sporting forte faz falta ao Futebol Português", naquele tom de velório em que toda a gente fala bem do falecido que, em vida, era um tremendo filho da p***. Oh, a hipocrisia onde por tantos anos esconderam o verdadeiro ódio com que sempre nos encararam!...

O que se diria de Roosevelt e Churchill hoje, se aquele acordo com Stalin não tivesse resultado e, hoje, estivéssemos sob a influência de uma Alemanha nazi?! Talvez não merecessem os pedestais em que hoje se os colocam...

Quem me conhece sabe que sou um homem de princípios e que, portanto, embarcarei sempre nessas naus, nem sempre seguras, onde se luta por ideiais puros. Excepção feita, claro, aos extremismos bacocos que não geram mais senão mais extremismo. Bem sei que se diz amiúde, sem se saber muito bem de onde e como surgiu, que alguém com princípios é um tolo. Mas também sei que o maior prazer de um sábio é passar-se por tolo diante de um tolo que se quer passar por sábio.

O Sporting Clube de Portugal sofre hoje as consequências dessa luta, utópica e nem sempre profícua. Bateu de frente contra um infindável muro de Berlim, incapaz de passar a grande muralha da China e conquistar o seu território. Incapaz não por culpa própria, mas porque os Deuses do Olimpo futebolístico português pararam no tempo, a meio do séc. XX. Nem Zeus já é Zeus; perdeu a omnipotência que o separava de qualquer um dos seus súbditos, e é hoje um servo do status quo. Nas ruas da Constituição (Porto) e Alexandre Herculano (Lisboa) só passa quem paga o dízimo.

Houve um dia "alguém" que disse, mal-entendido, que "tenho nojo do Futebol Português". Logo se levantaram as vozes de burro, sem perceberem que nunca chegariam aos céus, e as virgens ofendidas mas só das orelhas. Esquecendo-se, obviamente, que já outros antes ousaram dizer o mesmo, no mesmo exacto contexto: os tão idolatrados Presidentes dos nossos maiores rivais, Luís Filipe Vieira e Jorge Nuno Pinto da Costa. Os mesmos a quem, para minha profunda tristeza, até Sportinguistas acendem velas e rezam o Pai-Nosso a cada dia, como se se tratasse de 2 divindades terrenas - qual Jesus Cristo. As super-stars aqui são estas...

E o anti-Cristo, diz-nos o Livro das Revelações por que se regem, está identificado: Bruno de Carvalho. Um pária da sociedade desportiva, "fora do sistema", fora da mãe - como se costuma dizer. É nele que recai a soma de todos os males que vêm ao Mundo. Não só pelos demais, mas pelos que deviam ser de menos também, alguns dos nosso próprios sócios e adeptos. Não que se deva defender algo ou alguém porque sim, mas porque, notoriamente, há lutas, batalhas, uma guerra a travar.

Se há guerras que fazem sentido e valem a pena são estas, em que temos a certeza que guerreamos não pela destruição, mas pela defesa de um princípio básico, não só do Futebol mas do Mundo: a Justiça!
Partilhar:

12 comentários:

  1. Excelente post. Totalmente de acordo. JM SL.

    ResponderEliminar
  2. Marco Rebelo29/1/16 18:17

    Tendo em conta toda a pressão feita este ano a árbitros por parte do presidente do clube diferente, é natural que leia este texto com um sorriso irónico no rosto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mauro Silva29/1/16 18:23

      O caríssimo Marco já se esqueceu de como começou a temporada, não já? Só esta época já perdi a conta a quantas vezes contestaram a arbitragem, por interpostas pessoas. Há, aliás, alguém que diz que o Sporting já foi beneficiado em 12 pontos e que, só até agora, ficaram por marcar 15 penalties a favor do Benfica. Já contra, não diz, pois claro...

      E do João Gabriel com a Taça da Liga a dizer que a ganharam com toda a justiça, das exposições em vídeo na Luz a enumerar erros dos árbitros, da entrega de DVDs (loles) contra os árbitros no parlamento, no exigir de explicações a Vitor Pereira (que, submisso, as deu), no exigir que determinados árbitros nunca mais arbitrassem o Benfica (curiosamente nunca falaram no Capela ou no Manuel Mota, pois claro), enfim... é só ter memória...

      Eliminar
  3. Caro Marco,

    Mas este senhor não é presidente:
    http://desporto.sapo.pt/futebol/taca_de_portugal/artigo/2015/11/22/rui-vitoria-nao-quero-ser-comido-de-cebolada

    E este também não:
    http://rr.sapo.pt/noticia/40307/rui_volta_a_dizer_basta_e_garante_que_em_vitoria_nao_se_toca

    Embora este já seja:
    http://www.dn.pt/desporto/benfica/interior/luis-filipe-vieira-classifica-de-escandalosa-a-arbitragem-do-jogo-com-rio-ave-4946522.html

    Mas pronto isto já não é pressão....não é? Deve ser só coincidência não ver uma penalti assinalado contra desde Março de 2015! E o que não tem faltado é oportunidades para tal.

    Portanto serve isto tudo para dizer que li o comentário com um sorriso irónico no rosto!

    ResponderEliminar
  4. Excelente texto Mauro Silva.

    O Sporting infelizmente não tem representatividade nos órgãos decisórios e comunicacionais e acaba por prejudicado "sistematicamente".

    Muito sinceramente a organização do futebol português deve ser revista , acabar com estes ninhos de poder criados para servir interesses sombrios , de modo a trazer verdade desportiva ao jogo que move milhões e paixões.

    Nos Vouchers esqueceram-se eles de questionar:

    - oferta não nominativa que permitia a venda logo dinheiro.
    - observadores e delegados também recebiam

    Com o Slimani andam a tentar escolher data para o castigar.

    Não podemos simplesmente desistir , é preciso combater o sistema instalado,

    NÓS SOMOS DA RAÇA QUE NUNCA SE VERGARÁ , VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

    ResponderEliminar
  5. julio silva29/1/16 20:31

    exclente texto mauro

    ResponderEliminar
  6. Acostista29/1/16 21:03

    NÓS SOMOS DA RAÇA QUE NUNCA SE VERGARÁ , VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!Acabo como começou o caro m1950, porque acho que foi este presidente que acordou esse espírito adormecido em muitos sportinguista. Sobre o texto, já não é surpresa para ninguém a qualidade de raciocínio e replicação do rigor do mesmo em palavra escrita por parte do Mauro Silva. Como não me canso de referir, essa qualidade e isenção é de envergonhar a elite do jornalismo desportivo nacional cujo "ganha-påo" é servir um sistema corrupto que manipula os 99% que apenas lêem os cabeçalhos. Quando alguém pensou que o Dias Ferreira tinha dado gaffe ao dizer Comunicação Comercial em vez de Com. Social, não percebeu que ele usou uma denominação mais adequada - eu chamar-lhe-ía propaganda facciosa. Corrupção, toda a gente sabe que existe; chamar os nomes pelos bois, dá direito a linchamento. Tenho esperança numa limpeza. Haveremos de ter o poder de perdoar a quem nos tem ofendido. Como? Ganhando sempre! Viva o Mauro Silva. Viva o Sporting Clube de Portugal!

    ResponderEliminar
  7. Muito bem, Mauro.

    A postura tem de ser mesmo esta.

    Todos os Sportinguistas têm de ter a noção de que o nosso Clube está a ser alvo de uma ataque feroz fora das quatro linhas, e que temos de estar todos juntos para vencer esta batalha.

    O mais recente ataque de que fomos alvo - a abertura deste processo ao Slimani dois meses depois dos factos terem ocorrido - é óbvio que tem por objectivo a suspensão do nosso avançado para o "derby" com o Benfica.
    Isto tem de ser denunciado por antecipação, para ao menos perceberem que não somos lorpas.

    E temos de continuar a fazer crescer a onda verde e o apoio incondicional à equipa de futebol, para darmos a resposta a estes ataques no local próprio: em campo.

    ResponderEliminar
  8. Sinceramente nem sei o que dizer sobre tudo a que temos assistido sem ser extremamente desagradável. Até os próprios adeptos do slb já reconhecem que tudo lhes é favorável nos dias que correm, ao nível das instituições que comandam o futebol em Portugal.

    Este sistema vai ser muito mais difícil de desmontar que o anterior, visto que é muito mais hábil, e baseado em situações no limite da ilegalidade (por exemplo nunca há corrupção factual e real, como havia no sistema mais a norte). Por outro lado, a opinião pública tenderá sempre a ignorá-lo e a chamar que m denuncia de calimero, visto que mais de metade é afiliada ao clube que o sistema sustenta.

    São tempos tristes aqueles nos quais vivemos a vários níveis, no mundo em geral e no nosso país em particular, e o futebol naturalmente não lhes escapa.

    SL

    ResponderEliminar
  9. Grande título e grande texto.
    Uma prosa inspirada e certamente influenciada por uma série baseada na hipotética dominação do mundo por uma espécie de Estado Lampiânico...
    Grande Mauro!

    ResponderEliminar
  10. setaverde30/1/16 08:41

    Como todos sabemos, quando um corpo é atacado por um organismo estranho, o seu sistema imunitário reage e ataca-o, independentemente de ser maligno ou benigno. O futebol é uma extrapolação mediática da sociedade em que vivemos. Saudações leoninas.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!