09/05/2016

O Desígnio do Leão


Quando comecei este post, estava para o começar com um elucidativo "foi um ano atípico, este". Curioso, não? Já desde 2006/2007 que não havia um Campeonato tão disputado, até à última Jornada, e já desde 2004/2005 não se via um Sporting Clube de Portugal tão pujante, desportivamente. Infelizmente, o mais provável é que, nesta como naquelas épocas, acabemos por não alcançar o máximo objectivo, também por "uma unha negra".

A verdade é que, aconteça o que acontecer, continuamos a somar records:
  • Máximo número de pontos de sempre: 83 (com possibilidade de aumentar para 84 ou 86 pontos);
  • Máximo número de vitórias de sempre: 26 (a que se pode somar mais uma);
  • Máximo de golos marcados numa época: 75 para o Campeonato e 107 em toda a temporada (com um jogo ainda por disputar);
  • Maior média de assistências de sempre: 40 018 espectadores/jogo para o Campeonato, 36 967 espectadores/jogo em toda a temporada.
Bem sei que ficará sempre o "amargo de boca" de não ganharmos o Campeonato, maior ainda pelo longo período de travessia no deserto; já 14 anos. Porém, trago um orgulho tremendo comigo neste Sporting Clube de Portugal, de novo incomodativo, batalhador, ganhador. E mais que apontar-lhe defeitos, prefiro valorizar todos os envolvidos, desde o mais anónimo funcionário ao Presidente do Clube. Olhar para esta equipa e tentar compará-la com qualquer outra das nossas equipas dos últimos 10/12 anos é um exercício de futilidade, mas não deixa de ser demonstrativo, nesta vertente também, do que nós - adeptos - passámos todos estes anos.

Há 3 anos atrás, 90% das pessoas, Sportinguistas incluídos, olhariam para o Clube como um caso perdido, quase que em estado moribundo, em que a única coisa a fazer seria administrar os devidos cuidados paliativos. Tivemos, aliás, vários ex-dirigentes a afirmá-lo sem apelo nem agravo! Hoje, olhamos o Clube e vêmo-lo forte, desportiva e até financeiramente, o que seria quase inimaginável num período temporal tão curto. Mérito a quem o tem, obviamente...

Se cometemos erros, se não está tudo "como deve ser"? Claro que sim. Qualquer Clube está em constante mudança, em constante busca pelo melhor, e o Sporting Clube de Portugal não é excepção. A começar por aquela que tem sido a minha maior crítica, em toda esta vigência: a comunicação externa. Deixámo-nos embarcar na táctica guerrilheira dos Goebbels da nossa praça e é-nos agora cada vez mais difícil inverter esse paradigma. Percebamos também que não é fácil permanecer calado ou sequer tentar ter uma atitude mais pró-desportivismo quando, de outros lados, nos atiram com SMS's imaginárias, Treinadores que não querem ser "comidos de cebolada" num dia mas já acham "que temos bons árbitros e é preciso protegê-los" no dia seguinte, ou directores de propaganda que atiram com insinuações públicas constantes (mesmo que, logo de seguida, peçam desculpas, privadas, a todos).

Todavia, constatar que, em todos estes anos, a maior crítica interna a esta Presidência continua a assentar, sobretudo, no carácter e personalidade do Presidente não deixa de me fazer sorrir. Poucos são os que questionam a gestão do Clube, quer desportiva quer financeiramente e, quando o fazem, sustentam-se meramente em eventos episódicos que muitas vezes até são orquestrados (ou, no mínimo, patrocinados) por uma imprensa que se alimenta demais do caos, menosprezando a valorização do fenómeno desportivo que também os alimenta. Já para não ir mais além e obrigar-me a mim próprio a discorrer sobre a tendenciosidade do que escrevem, por que o escrevem e para quem escrevem.

Enfim, o Sporting Clube de Portugal é hoje o Clube respeitado que a certa altura deixou de ser. Todos estaremos lembrados da profusão de "notáveis" rivais e da lenga-lenga do "um Sporting forte faz falta ao Futebol português". Pois eis que bastou eleger-se um Presidente confrontante (em demasia, admito perfeitamente) para que todos aqueles "ilustres" rivais deixassem cair a máscara e voltassem à sua (deles) verdadeira face: a da hipocrisia. A cara de quem, afinal, se está  cagando (link) - perdoem-me a expressão - para o Futebol e menos ainda para o português e que, vendo bem, o tal do "Sporting forte" não só não é nada necessário como é perfeitamente descartável!...

E isto, meus amigos, é o maior nojo deste nosso futebolzinho. Há quem ache que isto se resolve a começar pelos Clubes. Já a mim ninguém me tira a ideia de que isto tem de começar pelos media, expurgando aqueles que só lá estão notoriamente em função de uma única razão: a de serem fiéis às máquinas de propaganda...


Bem-hajam todos; guardem essa réstiazinha de esperança para o próximo fim-de-semana mas não esperem por milagres. Ainda não temos um Futebol como o holandês ou o espanhol, em que as equipas menos prováveis "roubam" títulos aos "Grandes", nas últimas jornadas!...

O que quer que aconteça, se começarmos a próxima época como acabámos esta (independentemente do que acontecer em Braga), estaremos certamente muito mais perto de alemejar o título que nos foge há taaaaanto tempo.
Partilhar:

3 comentários:

  1. Concordo com o que vai dito, só não consigo - por nao ter dados nem conhecimento para tal - dizer o estado financeiro do scp.

    Quanto ao aspeto desportivo, acho que a escolha do JJ foi ganha (como se esperava): quanto vale hoje o Ruben Semedo, o Slimani, o Joao Mario etc etc.... A média de pontos é fantástica, os golos também. Todos ficámos a sentir que a taça nos escapou injustamente, e que a liga europa foi frouxa, mas creio que este será o caminho a manter, escolhendo alguns jogadores para dar mais qualidade ao ataque (sector que para mim precisa de maior qualidade), e mantendo algumas peças chave.

    Se não formos campeões, faltam poucos meses para se reacender o sonho e, c****, nunca foi tão real sonhar!

    ResponderEliminar
  2. é objectivo que a nossa equipa subiu (pelo menos um patamar competitivo)

    é também evidente que assim estamos muito mais perto do sucesso, e no futuro ele virá se continuarmos o mesmo caminho

    Apesar disto, a frustração não deixa de ser enorme, não por ser uma época perdida, que não o foi, mas sim por deixarmos escapar entre os dedos um título que tinha tudo para ser nosso. Custa muito, esta fase.

    SL

    ResponderEliminar
  3. jarvalho9/5/16 21:35

    O SCP poderá não conquistar os campeonato este ano - veremos - mas tenho um orgulho tremendo desta equipa.
    Somos claramente - e de longe - a melhor equipa a jogar em Portugal.
    É uma delícia ver estes jogadores em acção e a forma como a equipa evolui em campo.
    E como se sublinha no post, tantos recordes que foram batidos este ano.

    Fizemos um campeonato que, em condições normais, chegava e sobrava para sermos campeões folgadamente.
    E se contássemos com as "ajudas" (em campo e fora dele) do nosso rival, aí já há muito que tínhamos festejado o titulo.

    De qualquer forma, só uma prestação extremamente (diria estranhamente) eficaz do nosso principal rival perante as equipas mais pequenas impedirá que fiquemos em 1º lugar.
    Note-se que o nosso rival irá bater o recorde de pontos nesta competição, que antes pertencia ao FCP de André Villas Boas (que tinha, então, uma excelente equipa com extraordinarios jogadores)

    No entanto, não deixa de ser um ano em que o SCP esteve à altura das expectativas - pois que poucos de nós pensariamos que seriamos campeões - e que cumpriu as promessas dos dirigentes e do seu treinador - iria lutar até ao fim pelo titulo de campeão.

    E em vez de frustração, acho que devemos sentir esperança. Esperança de que estamos muito mais perto de, finalmente, chegarmos ao fim em 1º lugar e de podermos começar a disputar a primazia do futebol português.

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!