Próximo Jogo

Próximo Jogo

19/12/2016

Futebol Feminino: Ana Borges é reforço de Inverno

O Sporting Clube de Portugal anunciou este domingo, em pleno Estádio de Alvalade, a contratação de Ana Borges para a equipa de Futebol Feminino. A ex-jogadora do Chelsea FC, e figura da Selecção Nacional, é reforço de peso para o Futebol Feminino dos leões e foi apresentada no relvado durante o intervalo do jogo de futebol masculino Sporting CP - SC Braga.

Ana Borges cumpre assim dois objectivos de infância: representar o Clube do coração e participar no Campeonato Nacional de Futebol Feminino, depois de passagens por Espanha, Estados Unidos da América e Inglaterra, onde representava desde há quatro épocas os blues.

“Venho para o Sporting CP para conquistar títulos. O campeonato, a Taça…Tudo farei para ajudar o Sporting CP, o clube de toda a minha vida”, sustenta a experiente jogadora da equipa das quinas, que irá jogar de leão ao peito até final da época, proveniente de um empréstimo de seis meses.
Partilhar:

2 comentários:

  1. Foi aqui no SVPN, que se falou pela 1ª vez, na possível vinda de Ana Borges, para o Sporting. Uma fonte de um Núcleo leonino deu esse alerta e depois trocaram-se opiniões aqui no chat, ainda na incerteza da chegada da jogadora. Depois foi a comunicação social a dizer que estaria no "radar leonino", e começou o rumor a ter pernas para andar, e mais se confirmou quando Portugal ficou apurado para o Europeu 2017, e Ana necessitava de jogar, no Chelsea tinha feito poucos jogos e esteve diversas vezes no banco, o que não lhe agradava.
    Com contrato a terminar em Junho de 2017, foi a forma ideal que se chegou para jogar em Portugal e no clube do seu coração. Como jogadora vai de certo ajudar a equipa feminina do Sporting a ser mais forte, pois trata-se de uma jogadora muito forte no um para um, fazendo lembrar por vezes a Carla Couto, a melhor jogadora de sempre no feminino, que por coincidência também é uma grande Sportinguista.
    Será que ainda poderemos ter em breve outra prenda no sapatinho?
    jomaso43

    ResponderEliminar
  2. Dia Internacional da Mulher
    por Maria Ribeiro na Tasca do Cherba

    HOJE HÁ PIPIS

    O seu nome é Ana Borges e a sua profissão é jogar futebol. Isso mesmo, no século XXI existem mulheres que fazem do futebol a sua vida, e não apenas no sentido metafórico da questão. Ana Borges é defesa direito, mas também pode jogar em zonas mais adiantadas (uma espécie de Schelotto mais bonito) e, de momento, defende uns leões mais ricos e mais poderosos, num clube chamado Chelsea. Ana Borges é sportinguista. Daquelas tão loucas que torceu pelo Sporting no dia que nos deslocámos a Stanford Bridge, contra o seu empregador. «O nosso coração é verde sempre».
    Certamente que a Ana, outras anas que andam pelo mundo do desporto, daria tudo para ter a sorte de William, Mané ou Rui Patrício, e poder vestir as cores do clube do seu coração. Um privilégio que, infelizmente, apenas pertence a 50% da população, que ainda tem a sorte de enriquecer com isso. A Ana nunca será rica a praticar a sua profissão, isso é uma loucura que já não será do tempo dela. Nunca vai ser capa de jornal, nem será polémica, nem terá os seus golos e passes a passar em loop nas redes sociais. A Ana continuará a ir apenas aos seus treinos e a fazer o que mais gosta, com contratos mais reduzidos e mais baratos, com menos títulos relevantes e com poucas fotografias no Estádio de Alvalade.

    Porque hoje, no Dia Internacional da Mulher, em 2016, a diferença entre homens e mulheres já só não se nota nas bancadas e nas roulotes.

    Ainda se nota em tudo o resto que orbita em torno do mundo do futebol, que com a importância social que tem perde todo o tempo a integrar crianças desfavorecidas (apenas meninos, claro) ou a juntar toda a espécie de fundos para curar doenças, e esqueceu de ser parte importante do fim da discriminação contra a mulher na sociedade ocidental. O futebol potencia o afastamento das mulheres, porque sem o querer apenas eleva a deuses homens.
    O futebol esqueceu-se de ser parte das alterações que se fazem sentir em quase todas as profissões e em muitos dos desportos que se praticam, porque o futebol gosta de perpetuar o estado das coisas até que o ar se torne irrespirável.
    Não sei se Ana Borges algum dia jogará com o verdadeiro Leão ao peito. Sei que no país onde está pode pelo menos cumprir alguns dos seus sonhos de criança. Sei que passamos horas e gastamos milhões a reforçar equipas B que nunca enriquecerão o nosso palmarés, ao invés de sermos rosto da mudança, num país que precisa urgentemente de valorizar as suas mulheres. Sei que onde quer que estivesse uma equipa do Sporting, mesmo de futebol feminino, teríamos festa, casa cheia e muito apoio vindo da bancada.
    O Sporting é a maior potencia desportiva nacional, mas o futebol é a maior potencial desportiva mundial, que mais paixões move. Não seria altura de dar oportunidade a mais 25 atletas de ganharem títulos com a camisola mais bonita do mundo?

    PS: Obrigado Maria, e que o teu Sportinguismo seja sempre bem visível, como foi neste artigo sobre a nossa nova atleta Ana Borges.
    jomso43

    ResponderEliminar

O SVPN reserva-se ao direito de moderar sem aviso prévio, qualquer comentário abusivo/ofensivo ou insultuoso.

Qualquer comentário desenquadrado com o tema do post não será aprovado.

Para facilitar a discussão, agradecemos que assinem os comentários - quem não tem conta pode seleccionar o campo Nome/URL (o URL pode ser deixado em branco), onde podem assinar o vosso nome ou um qualquer nickname à vossa escolha!